A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Artigo Cientifico

Pré-visualização | Página 2 de 4

De fato, não entenderá a literatura. 
 Então, como este TCC é de Letras e o tema: A importância do ensino de literatura nos 
segmentos da Educação Básica, nos dias de hoje. O educador deve criar através dos 
desafios pertinentes o gosto ao aluno da literatura. Pois, nela possui o saber. Ler, estudar 
na Educação Básica é o marco inicial para construção de pontes. Pontes, que podem levar 
uns bons médicos, futuros engenheiros, enfermeiros etc. 
 Literatura é socialização, e nela está uma parcela de combate às desigualdades sociais, 
econômicas. E como no todo, todos nós que estaremos a engajar no ato de educar. 
Devemos dar ao aluno a opção de lutar contra os ventos que não forem favoráveis na 
atualidade em que vivemos. Pois, no teatro, no cinema, shows usam-se literatura. Para 
isto as letras devem-se no lápis ou na leitura, ou quando um aluno vai a biblioteca de sua 
escola. Ser viva na sua mente e ter a criatividade de termos bons profissionais, mas, 
profissionais bons. Ler é cultura. Literatura é vida. 
Na Lei Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996, possui neste artigo citado: 
“Art. 3º - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a 
arte e o saber;” devemos então na Constituição, que a forma que família e escola andam 
juntas. É nela que construiremos uma sociedade culturalmente melhor. Dá ao aluno na 
literatura o “exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” citado em cima no 
resumo. 
 As dificuldades são muitas. Falta de investimento de espaço público em sala de aula, 
de merenda escolar e de estrutura como no geral, salário mal remunerados. Mas, o 
educador deve ser apaixonado pela literatura e isto irá contagiar aos seus alunos de várias 
formas diferentes e melhores de ensinar. Na Educação Básica está o pilar. É nela que o 
educador desenvolverá o hábito de ler, saber e descobrir. A literatura não deve ser inimiga 
do aluno. Ao contrário, sim sua amiga. Nela que se desenvolve o mundo. E o mundo 
desenvolve na literatura o aluno. Na falta do estado, o educador deve construir uma 
sociedade melhor, não opondo o papel familiar. Mas, trabalhando em conjunto numa 
sociedade hibrida. 
 A hibridez da educação literária é o desenvolvimento capaz, sim de trazer grandes 
frutos ao país. Uma sociedade conhecedora de direitos e deveres. O educador faz o seu 
papel e os familiares devem também fazer o seu. Para não ocupar o lugar ao outro. A 
literatura é o aprimoramento social do aluno. Nela, está livros e saberes a serem 
desenvolvidos e aprendidos. E teremos menos jovens, adolescentes doentes das mazelas 
sociais, mas se ele viver em uma comunidade social não muito bem assistida. Lembrará 
que a literatura fez parte de sua vida e poderá ajudar os seus próximos. 
 
2.2) O PAPEL DA LITERATURA COM A EDUCAÇÃO 
 
 Temos sempre a observar que o papel da literatura na educação, faz parte de um 
conteúdo extenso. Pois, nela temos que educar não é só conhecer todas as ciências sejam 
exatas ou não. Literatura é arte. E nela se desenvolve no indivíduo a aptidão de descobrir 
nas letras literárias um mundo novo a ser descoberto. 
 O grande pedagogo Paulo Freire (FREIRE, 1982, p. 115), destaco um ponto 
meticuloso para compreendermos todos aspectos da educação neste trecho: 
 
Em todas as etapas da descodificação, estarão os homens exteriorizando sua 
visão de mundo, sua forma de pensá-lo, sua percepção fatalista das “situações-
limites”, sua percepção estática ou dinâmica da realidade. E, nesta forma 
expressada de pensar o mundo fatalistamente, de pensá-lo dinâmica ou 
estaticamente, na maneira como realizam seu enfrentamento com o mundo, se 
encontram envolvidos seus ‘temas geradores’. 
 
 
 Dentro disto, o educar não é somente um professor a despejar nos alunos matéria 
literária e obrigá-los a ler. Eis a questão de Paulo Freire. Devemos ter uma maneira 
didática de que os alunos tenham interesse pela literatura. 
 Como sendo a literatura arte. Ela deve ser descodificada numa visão de mundo, em que 
o corpo como no todo seja motivado a interessar pela arte literária nos dias de hoje. Pois, 
na Educação Básica é fundamento para este interesse. Basear a Educação Básica fora da 
literatura acreditaremos que será um erro. 
 No site da Revista USP: “Um segmento que se descola e autonomiza, se vemos a 
literatura brasileira em perspectiva ampla...”. É neste sentido que devemos caminhar. 
Uma Escola de uma perspectiva ampla e literária. 
 Dentro desta perspectiva ampla, o educador deverá trazer na educação. Uma forma 
que livros, filmes e músicas. Possam ser prazerosos e dinâmicos na educação com a 
literatura. A literatura tem um conjunto de leques. Dentro destes, já citados como livros 
etc. São alguns meios do educador mostrar a arte da literatura para como os seus. A 
literatura desenvolve o indivíduo para a cidadania completa e cultural. 
 Na cultura literária ele desenvolver a sensibilidade do qual necessita para a sua vida. 
Estará guardada em letras literária, uma biblioteca e culturalmente ampliado em sua 
mente a ser desenvolvida. E neste desenvolvimento, poderá contagiar os seus pares. 
Sejam familiares ou não. Então, verá que a literatura tem um papel primordial com a 
educação. 
 Educação que transforma. Que cria. Convertendo situações que nos quais possam ser 
adversas. Numa situação favorável e educativa. 
 Literatura é educação. E o seu papel como é fazer do aluno que ele possa criar asas e 
voar ao infinito literário. 
 
 
2.3) O ENSINO DA LITERATURA NA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL 
 
 Nos dias atuais, temos a observar uma grande lacuna na educação básica com a 
literatura. Pois, esta lacuna se envolve numa educação hibrida no quesito de que temos 
que estimular a nossa juventude a ler mais. 
 Dentro dos quais a literatura não é uma matéria isolada do português e nem das outras 
ciências. É sim, uma forma qualificadora e estimuladora para os saberes. De acordo com 
Paulo Freire, 
 
 “A codificação de uma situação existencial é a representação desta, com alguns de 
seus elementos constitutivos, em interação. A descodificação é a análise crítica da 
situação codificada.” (Freire, 1985, p.114) 
 
 Pois, temos que descodificar as letras para um saber mais saboroso e dinâmico na 
Educação Básica. Essa interação do qual fala Paulo Freire, deve ser do educador e do 
aluno. No entanto, a interação desses elementos literários que dos quais o aluno aonde vá 
a biblioteca escolar para pegar o seu livro para poder aprimorar os seus conhecimentos 
que nos quais não seja apenas obrigado a um ritual escolar. E sim, uma contemplação de 
que na biblioteca esteja a fonte de seu saber. 
 Quando o aluno, tiver uma merenda satisfatória e estrutura ordenada e fontes de 
educadores estimulados a verem que não são depositório de conhecimento apenas. E sim, 
uma fonte inesgotável de que como está na constituição a família, a escola e o corpo 
docente estejam unidos para unificar com os meios literários os conteúdos de forma 
consciente e estimuladora. 
 Passa-se também, que na escola não termina a educação intelectual e moral do aluno. 
A família é um berço importantíssimo para que quando a sua criança ou jovem estiver no 
ambiente escolar encontrar uma fonte conhecimentos que serão estimulados para o saber 
de toda a sua vida. 
 A Escola transmite e o aluno recebe da literatura hoje no Brasil na Educação Básica 
algumas marcas de estudos. Como temos jovens que são inseridos para o novo e mecânico 
mercado de trabalho teremos que assinalar uma forma prazerosa e competente para o 
estímulo literário. 
 Esse estímulo literário vem de revistas,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.