A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
32 pág.
usinagem

Pré-visualização|Página 1 de 32

PROCESSOS DE USINAGEM NÃO CONVENCIONAIS (NC)
UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES - UCAM
GRADUAÇÃO EM ENGENHA RIA MECÂNICA

A usinagem deu um gra nde salto tecnológico ao longo do século passado, desde o
surgimento do aço rápido no ano de 1.900, seguida da descoberta do metal duro e
posteriormente das pastilhas intercambiáveis, assim como da evolução das máquinas-
ferramenta, que ficaram mais rápidas e precisas, al ém do desenvolvimento do CNC.
De outro la do, nas últimas décadas ta mbém surgiram processos de usinagem não-
convencionais, seja como alternativa ao processo tra dicional ou para complementá-lo,
oferecendo maior precisão, ou menor consumo energético ou a redução da geração de
resíduos contaminantes.
“O termo usinagem não convencional refere-se a este grupo, que remove o
material em excesso de uma peça bruta através de várias técnicas que envolvem
energia mecânica, térmica, elétrica ou química (ou combinações destas energias). São
chamados de processos de usinagem, mas não usam uma fe rramenta de corte afi ada
como nos processos convencionai s. Groover, 2017
PROCESSOS NÃO-CONV ENCIONAIS

PROCESSOS NÃO-CONV ENCIONAIS
1. Mecânica - A energia mecânica utilizada é diferente daquela utilizada nos processos
convencionais, sem a ação de uma ferramenta de corte. Ex: erosão da peça através
de um fluxo em alta velocidade de abrasivo
2. Elétrica utilizam energia eletroquímica para remover o material.
3. Térmica. A energia rmica é utilizada para cortar ou moldar a peça em uma área
muito pequena da superfície da peça, por fusão e/ou vaporização
4. Química. Os produtos químicos aplicados removem de forma seletiva partes do
material da peça enquanto outras são protegida s por uma máscara.
Corte a Laser Corte a Jato d’agua
Usinagem por ultrassom