A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Tarefa 2 2

Pré-visualização | Página 1 de 2

TAREFA 2.2
Aluno: Antônio Carlos Ferreira Júnior
Consulte a Resolução 359/91 do CONFEA e redija um texto com as 18 atribuições do Engenheiro de Segurança do Trabalho explicando, ainda que preliminarmente, os significados das peças técnicas envolvidas a cada uma delas.
Por exemplo: no item 4 - Vistoriar, avaliar, realizar perícias, arbitrar, emitir parecer, laudos técnicos e indicar medidas de controle sobre grau de exposição a agentes agressivos de riscos físicos, químicos e biológicos, tais como poluentes atmosféricos, ruídos, calor, radiação em geral e pressões anormais, caracterizando as atividades, operações e locais insalubres e perigosos;
· Qual o significado de vistoriar? É diferente de inspecionar?
· Por força dessa atribuição (4) o que o EST está apto a desenvolver e ser remunerado por isso?
· Quais atribuições só são possíveis praticar se houver base em cálculo diferencial, bem como o básico da graduação (física, química, calculo numérico, etc.)
A intenção nessa atividade é possibilitar que o EST tenha clara definição de suas atribuições, por isso, vale a pena pesquisar a semântica dessas palavras, pois muitos colegas desconhecem, confundem e até mesmo deixam de ganhar honorários por embaralhar essas 18 atribuições, abrindo espaços a leigos como médicos, advogados e técnicos exercer competências que são específicas e exclusivas da EST.
1 - Supervisionar, coordenar e orientar tecnicamente os serviços de Engenharia de Segurança do Trabalho.
A atividade de supervisionar do EST não é apenas acompanhar o andamento das atividades e atribuir funções aos seus subordinados. Suas atribuições exigem além da supervisão. Um supervisor eficaz precisa também motivar e estimular o desenvolvimento de sua equipe. Já a atividade de coordenar é entendida como o ato de organizar um conjunto de atividades ou um a trabalho em equipe, de forma harmônica. Quanto a atividade de orientar, cabe ao Engenheiro de Segurança do Trabalho, ser a referência, ou seja, ser capaz de esclarecer tecnicamente sobre as normas específicas, visando o cumprimento de todas as atividades do projeto e do planejamento.
2 - Estudar as condições de segurança dos locais de trabalho e das instalações e equipamentos, com vistas especialmente aos problemas de controle de risco, controle de poluição, higiene do trabalho, ergonomia, proteção contra incêndio e saneamento;
O Engenheiro de Segurança do Trabalho deve identificar, analisar, neutralizar, e controlar os riscos presentes no meio ambiente de trabalho, visto que com o conhecimento técnico adquirido, considerando que ele é apto a ter uma visão especial as questões que envolvem Saúde e Segurança no Trabalho. Em seguida, este deve elaborar laudos e relatórios periódicos que possam identificar e reduzir quaisquer riscos e exposições dos colaboradores, além de alertar o empregador para a realização de ações preventivas e corretivas.
3 - Planejar e desenvolver a implantação de técnicas relativas a gerenciamento e controle de riscos;
A partir de um programa de gestão de riscos implantado na empresa, o planejamento e desenvolvimento são atividades que tem relação com a produção estruturada das atividades laborais, que através de princípios técnicos, de maneira que já previsto pelo programa, a empresa tenha recursos para a manutenção de controle de riscos.
4 - Vistoriar, avaliar, realizar perícias, arbitrar, emitir parecer, laudos técnicos e indicar medidas de controle sobre grau de exposição a agentes agressivos de riscos físicos, químicos e biológicos, tais como poluentes atmosféricos, ruídos, calor, radiação em geral e pressões anormais, caracterizando as atividades, operações e locais insalubres e perigosos;
· Vistoriar é um levantamento de acontecimentos, realizado através de perícias e exames detalhados e uma descrição precisa dos elementos que a compõem;
· Inspecionar envolve perícias, vistorias, exames ou avaliações das condições técnicas de uso e de manutenção do objeto a ser inspecionado com o intuito de orientar e corrigir problemas encontrados;
É de responsabilidade apenas do EST, realizar cálculos e laudos de medidas s obre riscos físicos, químicos e biológicos, além de poder identificar com precisão o grau de exposição de locais insalubres e perigosos ao qual o trabalhador poderá estar submetido, visto que qualquer outro profissional não tem conhecimento e aptidão para tal atividade.
5 - Analisar riscos, acidentes e falhas, investigando causas, propondo medidas preventivas e corretivas e orientando trabalhos estatísticos, inclusive com respeito a custo;
O Engenheiro de Segurança do Trabalho tem a obrigação de:
· Reconhecer as fontes de riscos, por meio da consulta periódica com os trabalhadores, considerar risco ao longo prazo para a saúde, consultar registros de acidentes e problemas anteriores para o tipo de setor da empresa e de outras fontes;
· Recomentar medidas preventivas e corretivas que atenuem ou até extingam todos tipos de riscos com o intuito de evitar que os trabalhadores estejam expostos a qualquer dano que não possuía antes de entrar, e trazendo assim benefícios financeiros para a empresa;
· Orientar as pessoas que estão expostas aos riscos, na fonte, na trajetória ou no próprio trabalhador.
Engenheiro de Segurança do Trabalho deve ter discernimento requerido para realizar a análise e proposição de medidas preditivas, preventivas e corretivas de qualquer acidente, através de medidas técnicas que apenas profissionais de Engenharia tem capacidade e qualificação para realizar.
6 - Propor políticas, programas, normas e regulamentos de Segurança do Trabalho, zelando pela sua observância;
O profissional EST, precisa se posicionar e fazer com que as questões com que se depara no dia a dia, devam ser abordadas na forma de lei.
Desta forma, tanto trabalhador quanto empregador possam se beneficiar destas políticas e normativas, mostrando e compartilhando os benefícios que as ações propostas, consequente, beneficiando a todos, tanto na parte de acidentes e doenças do trabalho, quanto na parte financeira e social.
7 - Elaborar projetos de sistemas de segurança e assessorar a elaboração de projetos de obras, instalação e equipamentos, opinando do ponto de vista da Engenharia de Segurança;
É essencial e necessário a atuação do Engenheiro de Segurança do Trabalho, já que qualquer projeto de sistemas de segurança envolve uma série de cálculos diferenciais como no dimensional, cálculos de radiação de temperatura, riscos calculados através de amostragens.
Ainda o uso de indicadores para diferentes tipos de controles, medição, qualificação de riscos.
8 - Estudar instalações, máquinas e equipamentos, identificando seus pontos de risco e projetando dispositivos de segurança;
Conhecer o meio ambiente de trabalho da empresa, para junto com outros engenheiros participar diretamente nos projetos identificando e avaliando os riscos potenciais. A fim de evitar que as proteções sejam utilizadas de maneira errada, ou seja, evitando riscos, é essencial que este estudo seja realizado pelo EST, visto que o risco é muito maior quando o trabalhador está utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) ineficientes, em vez de não estar os utilizando. Pois, o funcionário acaba por se expor ao risco presumindo que está seguro com os equipamentos a sua disposição.
9 - Projetar sistemas de proteção contra incêndios, coordenar atividades de combate a incêndio e de salvamento e elaborar planos para emergência e catástrofes;
· Projetar é planejar, é criar soluções práticas para problemas, é utilizar cálculos diferenciais, é realizar procedimentos operacionais padrões a fim de serem empregados evitando riscos.
· Coordenar pode ser definido como organização/orientação de atividades daqueles que trabalham visando um objetivo comum.
É indispensável que o Engenheiro de Segurança do Trabalho elabore plano de atendimento para emergência e/ou catástrofes antecipando os riscos e sinalizando as rotas de saída do local e assim garantindo a segurança das pessoas