A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
110 pág.
bioética em serviços hospitalares (2)

Pré-visualização | Página 1 de 23

CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 
 
1 
Projeto Pós-graduação 
Curso Gestão Hospitalar 
Disciplina Bioética em Serviços Hospitalares 
Tema 01 Conceitos em Ética e Bioética 
Professor João Luiz Coelho Ribas 
 
Introdução 
A evolução da gestão de unidades hospitalares está diretamente ligada 
à história e à evolução da Medicina, à concepção da unidade hospitalar e à 
evolução dos conceitos éticos e bioéticos. 
Portanto, esta disciplina tem como objetivo principal possibilitar um 
intercâmbio entre a ética e bioética hospitalar e a função do gestor nesse meio, 
com seus anseios e suas dificuldades. 
Nesse tema, acompanharemos a evolução da bioética desde a sua 
concepção até o seu estado nos dias atuais, entrelaçando seus conceitos e 
conhecimentos com o nosso dia a dia, os nossos conhecimentos, as nossas 
dificuldades e incertezas. 
Para mais detalhes, não deixe de assistir ao vídeo de introdução do 
professor João. 
Problematização 
Imagine que chegou ao seu conhecimento no Comitê de Ética da 
instituição em que você trabalha, para sua avaliação e conduta, a seguinte 
situação: há muitos anos, um barco afundou ao se chocar contra um iceberg. 
Um dos botes salva-vidas estava cheio e vazando, e para reduzir a carga, 
jogaram 14 homens ao mar. Duas irmãs de homens que foram jogados 
também se atiraram. 
Os critérios utilizados foram que casais não seriam separados e todas as 
mulheres seriam preservadas. Dessa forma, todos os que ficaram no bote 
 
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 
 
2 
salvaram-se e o marinheiro foi o único membro da tripulação processado por 
homicídio. 
O juiz disse que o certo seria terem sorteado as pessoas a serem 
salvas, sendo sua sentença a seguinte: “Em nenhuma forma, além desta 
(sorteio) ou outra similar, eles teriam direitos iguais em bases iguais, e em 
nenhuma outra forma é possível resguardar contra a parcialidade e opressão, 
violência e conflito”. 
A sentença do juiz foi criticada, baseada no argumento de que essa 
situação de crise envolvia uma “aposta” muito alta para ser simplesmente 
resolvida com uma “jogada”, e as responsabilidades eram muito grandes para 
serem deixadas a cargo do destino. 
Agora você precisa emitir um parecer sobre o fato. Então, o que você 
faria? 
Para Início de Conversa 
O fator primordial do novo gestor hospitalar não é se preocupar somente 
com a administração geral do hospital, mas também com cada detalhe que 
acontece na sua unidade, na recepção, no consultório do médico, no posto de 
enfermagem, no quarto do paciente e, especialmente, como estão seus 
recursos humanos e a qualidade dos seus profissionais, de forma a equilibrar 
as atividades administrativas e assistenciais. 
Nessa complexa e multifacetada organização de saúde surge a Bioética 
Hospitalar, de caráter essencial e presença obrigatória nos dias atuais em cada 
canto do hospital e em cada mente profissional. 
Em meio às discussões de moral, ética, leis e princípios e com o rápido 
desenvolvimento tecnológico, houve excepcional desenvolvimento do método 
científico, o qual buscava provar que tudo o que, até então, era observado 
empiricamente era de fato real e cientificamente existente. Discussões cada 
vez mais acaloradas surgiram a respeito da vida e da sua manipulação por 
meio de experimentação, o que culminou na forma de diagnóstico e tratamento 
 
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 
 
3 
que utilizamos hoje. 
Para ilustrar a discussão ética referida anteriormente, assista ao vídeo “Uma 
reflexão sobre a complexa relação entre ética e desenvolvimento científico”, o 
qual está disponível no link: <http://www.youtube.com/watch?v=g9Pmavlq 
1S0>. 
E a nossa formação ética e bioética como está? 
Quando pensamos hoje em ética, especialmente associada à área da 
saúde, pensamos automaticamente no contato que tivemos durante o nosso 
desenvolvimento profissional, mais especificamente durante a nossa formação 
universitária. 
O problema é que na grande maioria das vezes em que vivenciamos 
qualquer discussão envolvendo ética, esta estava muito provavelmente inserida 
em uma matéria, em um caso clínico ou em algo que talvez estivesse na mídia 
e que indignava a nós e aos nossos professores. 
De fato o que nos falta – digo isso a todos nós profissionais que de uma 
forma ou de outra estamos envolvidos com a saúde, o bem-estar e a melhora 
ou manutenção da qualidade de vida de nossos pacientes – é o 
desenvolvimento de um raciocínio bioético que deveria nos capacitar para o 
que hoje chamamos de “bioética ao pé do leito”, ou seja, decisões que 
precisamos tomar (e na maioria das vezes não temos a escolha de pedir a 
opinião a um colega) e que podem colocar em jogo o que acreditamos e, 
especialmente, colocar em jogo o diploma e a competência que exibimos. 
Infelizmente, apesar de a ética ser ampla e nos trazer desafios diários, 
muitas universidades restringem-se a transmitir conhecimento ético na 
disciplina de Deontologia e não no desenvolvimento do raciocínio ético, pois 
em Deontologia, na maior parte das vezes, aceita-se e não se discute, diferente 
da ética que, geralmente, discute-se, mesmo que não cheguemos a uma 
unidade. 
No entanto, qual é, de fato, a grande diferença entre ética, bioética e 
http://www.youtube.com/watch?v=g9Pmavlq1S0
http://www.youtube.com/watch?v=g9Pmavlq1S0
 
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 
 
4 
deontologia e qual a relação com a gestão hospitalar? Ficou curioso e quer 
saber a resposta? Basta acessar o vídeo no material digital e ver a resposta 
com o professor João. 
Em termos de definição temos: 
 Ética – estuda fatos referentes à conduta humana, suscetível de 
qualificação do ponto de vista do bem e do mal a um determinado tempo 
e sociedade (FERREIRA, 2004). 
Assim, a ética diz respeito aos princípios e valores morais que 
direcionam a nossa conduta perante a sociedade para não haver prejuízos a 
ninguém. 
 Bioética – tem como objetivo enfatizar o conhecimento biológico e os 
valores humanos, incluindo a visão, a decisão, a conduta e as normas 
morais das ciências da vida e dos cuidados com a saúde, em um 
contexto multidisciplinar, garantindo o respeito à pessoa humana desde 
o início de sua vida até o término dela (POTER, 1971, p. 127). 
Portanto, sua finalidade é de nos auxiliar a participar racional e 
cautelosamente no processo da evolução biológica e cultural. 
 Deontologia – são regras fixadas por uma categoria profissional, tendo 
um papel regulador da ação profissional, para que esta seja exercida 
adequadamente de acordo com o momento histórico social, 
estabelecendo condutas e punindo transgressões (LUCATO; FRANÇA, 
2007). 
Lembrando que, além desses conceitos, outros dois são essenciais 
neste processo e valem a pena ser mencionados: é o de moral e o de lei, de 
acordo com Ferreira (2004): 
 Moral – do latim morale, “relativo a costumes”. Conjunto de regras de 
conduta consideradas como válidas, quer de modo absoluto para 
qualquer tempo ou lugar, quer para um grupo ou pessoa determinada. 
 Lei – regra de direito ditada por uma autoridade estatal (elaborada e 
 
CCDD – Centro de Criação e Desenvolvimento Dialógico 
 
5 
votada pelo poder legislativo) e se tornando obrigatória para manter a 
ordem e o desenvolvimento em uma determinada comunidade. 
O que você acha de ilustrarmos com um exemplo os conceitos de moral, 
ética e lei? Seria interessante, não é mesmo? Para isso, vá até o material 
digital e não perca o vídeo do professor João. 
Vale lembrar que quando falamos de ética, assim como de lei, elas são 
influenciadas de forma decisiva pela cultura de um povo e a época histórica 
que esse povo está vivendo. Assim, podemos notar que suas “normas” e 
“regulamentações” não são de forma alguma estagnadas, sendo alteradas 
sempre que exista uma situação, ou uma sequência de fatos, que pode levar