A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
EXERCÍCIOS APLIC DE ESTRUT CONCR ARM

Pré-visualização | Página 1 de 1

EXERCÍCIOS APLIC DE ESTRUT CONCR ARM 
MÓDULO 1 – CONCEPÇÃO ESTRUTURAL E ESQUEMA ESTÁTICO 
1. a) Elementos estruturais da superestrutura. 
2. b) O pilar- parede se diferencia do pilar comum, primeiramente por ser um elemento 
de superfície, enquanto o pilar é um elemento linear. 
 
3.b) A primeira demostra layout e ambientes portanto é uma planta arquitetônica. 
 
5. e) Os demais são todos elementos da superestrutura. 
 
6. c) Viga parede faz parte da superestrutura. 
 
7. a) Esta Norma fixa os requisitos básicos exigíveis para projeto de estruturas de 
concreto simples, armado e protendido, excluídas aquelas em que se empregam 
concreto leve, pesado ou outros especiais. 
 
8. e) Todos esses elementos são indispensáveis na planta de formas. 
 
MÓDULO 3 – PILARES – COMPRESSÃO CENTRADA 
 
1. a) Conforme a (NBR 6118, item 14.4.1.2), pilares são elementos lineares de eixo 
reto, usualmente dispostos na vertical, em que as forças normais de compressão são 
preponderantes. 
 
2. c) Os pilares são os elementos estruturais de maior importância nas estruturas, 
tanto do ponto de vista da capacidade resistente dos edifícios quanto no aspecto de 
segurança. Como elementos verticais, são os principais responsáveis na estabilidade 
global dos edifícios, compondo o sistema de contraventamento juntamente com as 
vigas e lajes. 
 
3. b) Flexão composta Normal com grande excentricidade e com pequena 
excentricidade. 
 
5. d) A flambagem ou encurvatura é um fenômeno que ocorre em peças esbeltas 
(peças onde a área de secção transversal é pequena em relação ao seu 
comprimento), quando submetidas a um esforço de compressão axial. A flambagem 
acontece quando a peça sofre flexão transversalmente devido à compressão axial. 
 
9. c) Sistema de ligação entre elementos principais de uma estrutura para aumentar a 
rigidez do conjunto. 
 
MÓDULO 4 – PILARES – FLEXO – COMPRESSÃO NORMAL 
 
1. c) Estado em que as tensões de compressão atingem o limite convencional 
estabelecido. Usual no caso do concreto protendido na ocasião da aplicação da 
protensão. 
 
2. c) Estado em que as tensões de compressão atingem o limite convencional 
estabelecido. Usual no 
caso do concreto protendido na ocasião da aplicação da protensão 
 
4. b) Pilares são elementos estruturais lineares de eixo reto. 
 
10. b) Visando a não deformação da estrutura. 
 
MÓDULO 5 - ESCADAS – CÁLCULO E DIMENSIONAMENTO 
 
6. d) 
q = 25 x 0,4 x 1 = 10 KN/m 
Qt =10 + 22= 32 KN/m 
 
7. c) 
q=25 x 0,8 x 1,2 = 2k4 KN/m³ 
M=24 x 16²/8 = 768 KN.m 
 
8. c) q = 0,7 x 0,7 x 25 = 12,25 KN/m 
Qt = 12,25 + 12 = 24,25 KN/m 
9. a) 
qv = 0,6 x 0,2 x 25 = 3 KN/m 
qa = 0,2 x 9 x 16 = 28,8 KN/m 
Qt = 3 + 28,8 =31,8 KN/m 
M=31,8 x 10 ²/8 = 397,5 KN.m 
 
MÓDULO 8 – DIMENSIONAMENTO DA ARMADURA TRANSVERSAL E 
DETALHAMENTO DAS ARMADURAS 
 
2. a) Os tirantes são dispositivos lineares capazes de transmitir esforços de tração 
aplicáveis a uma região resistente do terreno, através do bulbo. 
 
6. a) Armadura constituída por varões de aço dispostos paralelamente à superfície de 
um elemento estrutural, segundo o seu eixo longitudinal. Este tipo de armadura é 
frequentemente usado em vigas para resistir aos momentos fletores, ou seja, forças 
normais, de flexão e tração. Já a armadura transversal que são os estribos tem função 
de garantir que a armadura principal fique bem posicionada, tanto positiva quanto 
negativa. Assim, ele também auxilia para deixar a estrutura mais forte e no aumento 
de resistência a esforços cortantes que estejam presentes em vigas. 
 
7. b) A armadura de pele são barras posicionadas nas laterais das vigas de concreto 
armado e a função é combater a abertura de fissuras por retração e pela tração. A 
armadura complementar, posicionada na capa no sentido transversal e longitudinal, 
para a distribuição das tensões oriundas de cargas concentradas e para o controle da 
fissuração, ou seja, são armaduras auxiliares. 
 
MÓDULO 9 – ESTUDOS DISCIPLINARES 
 
1 - a) Os aços CA25 e CA50 são produzidos por meio de laminação à quente e o CA60 
é trefilado à frio. 
 
2 - c) Pela NBR 7480 o teor do carbono é 0,08 à 0,5 % . 
 
3 - c) Existem 4 classes de agressividade ao concreto, com isso há a necessidade de 
mudança do cobrimento à partir dessas classes. 
 
4 - c) Na parte inferior da viga a fissura é muito pequena e quase invisível a olho nu. 
 
5 - d) O concreto tracionado fissura, não sendo permitido contar com qualquer 
resistência a tração deste material. 
 
6 - b) Esse módulo mede a deformação transversal. É uma grandeza sem dimensões. 
Chama-se de coeficiente (ou razão). 
 
7 - d) Os módulos de elasticidade do aço, concreto e madeira são: 210 GPa, 
30GPa e 10GPa. 
 
8 - a) Com os valores dos momentos flexores e da força cortante é possível calcular 
as armaduras de tração e de cisalhamento. 
 
9 - b) Armada em cruz (ou em duas direções), se fala das armações dos momentos 
positivos e armada em uma direção ( maior lado e menor lado) ,possuem armação na 
direção do vão menor . 
 
10 - e) Mmax=q.l^2/8 
Mmax = 8 x 2²/8 
Mmax = 4KN.m 
 
11 - b) Foi desenvolvido a partir dessa percepção e adequação de fórmulas para 
respectivos usos. 
 
15 - b) Calcula-se o momento fletor da laje em sua região mais solicitada, geralmente 
no extremo o carregamento é maior, ou seja, na parte superior, acima da linha neutra. 
 
16 - a) Viga isostática (bi-apoiada, com um dos apoios podendo se movimentar 
horizontalmente). Viga hiperestática (com dois ou mais vãos), armação negativa 
também. 
 
18 - b) Para esse tipo de edifício o problema maior é a superfície crítica em volta do 
pilar ( cálculo do Contorno ) . 
 
27. b) q = 32 KN 
P = 32 x 8^4/8 
P = 400 KN 
 
29. e) Mmax = 22 x 2,4²/8 
Mmax = 15,84 KN.m/m 
 
31 - a) Com a norma NBR 6118 DE 2003, o fotor água e cimento tem a classe de 
concreto com a resistência menor ou igual a 0,45 e maior ou igual a 40.