A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Emergência na Veterinária

Pré-visualização | Página 2 de 5

que pode 
substituir em algumas situações por oximetria. O valor normal de 
saturação é de 94-98. 
• > 90% 94-98, valor ideal. Só deve considerar emergência quando 
o valor estiver abaixo de 90. 
• Baixa FiO2- Quantos % o animal está respirando. Nestes casos 
resolve o problema dando oxigênio. 
• Disfunção de hemoglobina - Problema na hemoglobina; quando 
isto ocorre, na maioria das vezes está correlacionado com 
intoxicações por cebola no cão e no gato. Pode ser intoxicação 
por paracetamol. 
• Doenças pulmonares ou mecânicas (hipoventilação, FR baixa, 
baixa amplitude respiratória). 
 
Toda vez que a saturação estiver baixa, ou seja, abaixo de 90, irá ter 
que buscar a causa base. Uma das causas pode ser a baixa oferta de 
oxigênio, ou seja, baixa FiO2. Pacientes em incêndio, que foram 
esquecidos no carro são pacientes que recebem o mínimo de 
oxigênio para mantêr a saturação acima de 90. Se o animal tiver 
disfunção de hemoglobina irá interferir na saturação também. 
 
Oxímetro - SpO2: Há 3 situações em que o oxímetro não irá funcionar, 
hipotensão, animal intoxicado por monóxido de carbono e animal 
hipotérmico. 
Como melhorar a saturação? Como aumentar a SaO2? 
• Aumentar a Fio2, em primeiro lugar colocar no oxigênio. Se o 
animal não melhorar na oxigenoterapia colocar em ventilação 
mecânica. Tratar a doença pulmonar. 
 
Exemplo: Paciente com saturação <90%, fala que o animal está 
dessaturado, deve oxigenar o animal. Sendo assim deve medir a 
fração de Pao2/ FiO2. 
Relação PaO2/Fio2: Avalia pela Hemogasometria 
Pao2 é o valor de oxigênio diluído no plasma, FiO2 é a fração de 
oxigênio. Pao2 acha na hemogasometria, e FiO2? 
 
• Fio2 ar ambiente = 21% = 0,21 
• Máscara ou catéter nasal = 35% = 0,35 
• Paciente entubado ou em gaiola de oxigênio - Deve informar 
quantos de oxigênio está utilizando no ventilador ou gaiola. 
Ex: Pao2 100, animal respirando no ambiente. 
Irá divir Pao2 por Fio2, 100:0,21= 476. Mas de onde veio este valor 
0,21? 0,21 é o valor fixo de ar ambiente. Sempre que o animal tiver a 
saturação baixa irá fazer esta conta. 
 
PaO2 = 100 mmHg 100/0,21= 476 
 
• > 400 - Respiração normal, o problema é na hemoglobina. 
Disfunção de hemoglobina (tratar problema). 
• > 301- 400 - Respiração anormal porém eupneico; disfunção de 
hemoglobina, tratar a causa. 
• 201 – 300 - Dispnéia: Problema respiratório, oxigenar 
• < 200 - Falência respiratória; morre se tirar a oxigenação. 
 Se for acima de 300, não precisa oxigenação. 
Exemplo: PaO2 70 mmHg, animal por cateter nasal. 70/0,35= 200, 
falência respiratória, se tirar do O2 ele irá a óbito. 
 
Quando a relação PaO2/Fio2 for menor que 300, o problema é 
respiratório. Então terá que analisar AaO2 – Gradiente alvéolo arterial 
de O2. 
Análise AaO2 - O valor se vê na Hemogasometria 
• AaO2 <15: Pulmão normal. 
• AaO2 15 – 25: Pneumopatia leve, algo extrapulmonar (tumor, 
miastenia gravis). 
• AaO2 > 25: Pneumopatia grave (o problema é no pulmão) 
Exemplo: <15: Pode ser um problema neurológico interferindo a 
respiração. 
Exemplo: 15 – 25 : Buldogue com dificuldade respiratório em calor, 
braquiocefálico, muito esforço para respirar irá gerar edema 
pulmonar. Padrão extra-pulmonar. 
 
PaCO2 – O valor se vê na hemogasometria, irá dizer em relação à 
ventilação. 
• > 55 mmHg: precisa de ventilação 100%. 
• > 43 mmHg: Hipoventilação, o ar não entra nos pulmões, existe 
um problema mecânico e necessário ventilador mecânico. 
• 31- 43 mmHg: Ventilação normal, precisa de Oxigênio terapia. 
• < 31 mmHg: Hiperventilação é uma consequência, e não um 
problema. É uma resposta fisiológica do corpo. 
Exemplo: Animal que corre. Sepse, quando tratar volta ao normal. 
Cetoacidose diabética como mecanismo de defesa, quando 
tratatado o animal melhora. 
Em uma situação de edema pulmonar, o animal na fase inicial pode 
apresentar hiperventilação, mas depois fica em hipoventilação. 
 
Na emergência não é interessante realizar hemogasometria o tempo 
todo pois terá que colher o sangue, e isto irá incomodar no caso de 
uma internação. Então tem um aparelho que se chama Capnógrafo, 
para avaliar a pressão de CO2. 
 
Capnografia/ ECO2: 
Para utilizar o capnógrafo precisa ter o resultado de pressão, pois se 
tiver baixo não adianta nem tentar. 
Os capnógrafos analisam e registram a pressão parcial de CO2 pela 
respiração, ao invés do sangue como a hemogasometria. Então se o 
paciente está na mascara, coloca o capnógrafo na mascara, se está 
no cateter nasal coloca no cateter nasal, se o paciente no tubo, 
coloca no tubo. Irá medir na expiração. 
 
Não adianta usar capnografia com pressão arterial muito baixa, o 
capnógrafo perde a função e só da com hemogasometria. O valor de 
referência muda um pouco. 
• > 45% Hipoventilação 
• < 35% Hiperventilação 
 
 
 
Resposta: Este animal está mau oxigenado devido à falta de 
hemoglobina, deve realizar transfusão sanguínea. 
 
 
 
 
Resposta: O problema neste animal é saturação, está baixa. O 
problema não é respiratório, é disfunção de hemoglobina. A 
saturação deu baixa, o paciente está dessaturado, coloca no 
oxigênio. Se a saturação está baixa irá fazer PaO2/ 0,21= 476. Quando 
o valor dá acima de 400 é disfunção de hemoglobina. Neste caso era 
um gato intoxicado por paracetamol. Precisa tratar a intoxicação, 
Aceticisteína. 
 
 
Resposta: A saturação está baixa, coloca na oxigenação. A 
hemoglobina está boa, não há necessidade de transfusão sanguínea. 
Este animal tem problema respiratório pois a PA/ Fio2 deu 190, é 
problema respiratório, se tirar do oxigênio falência respiratória. Se 
tirar esse animal do oxigênio ele morre. Na AaO2 determinou que o 
animal não tem problema na musculatura. Necessita de ventilação 
mecânica. Se na clínica não tiver ventilação mecânica encaminha 
para internação que tenha ventilação mecânica. 
 
 
AaO2- Menor que 15 é for a do pulmão. 
 
Exemplo: Se é um pneumotórax coloca no ventilador mecânico, e 
depois drena o líquido. 
• Este paciente tinha botulismo e paralisou a musculatura. 
 
 
 
Resposta: O paciente está dessaturado, hemoglobina está normal, 
não tem disfunção de hemoglobina e sim problema respiratório. O 
problema é pulmonar pois o gradiente está acima de 25, sendo uma 
pneumopatia grave. 
 
O CO2 é 40, então este animal só precisa de oxigênio e não de 
ventilação mecânica. 
 
Aula 26/03/2020 
 
Para medir o débito cardíaco teria que medir FC e Volume Sistólico. 
Fc é simples, porém volume sistólico não. 
VS= Quanto de sangue sai à cada batimento. 
 
Para medir tem 3 técnicas invasivas, 
• Catéter - que tem risco de machucar e lesionar quando passar 
com ele. Este catéter não é barato e tem risco com o paciente. 
• Delta PP (Swan Ganz) - É pelo oxímetro, este oxímetro deve ter 
um software necessário. Para dar o valor de débito cardíaco 
deve ter paciente anestesiado, entubado e na ventilação 
mecânica. Para pacientes na emergência não é a melhor técnica, 
e sim para pacientes no transoperatório. 
• Ecotransesôfagico - Aparelho igual o de endoscopia, desce pelo 
esôfago e posiciona o aparelho do lado da artéria aorta, desta 
forma consegue medir quanto de sangue sai da aorta. Mas para 
isso o paciente precisa estar inconsciente ou anestesiado. 
 
Na emergência não utiliza estes métodos e sim o conceito. 
 
 
Não irá utilizar nenhuma das 3 técnicas citadas acima para medir o 
débito cardíaco, e sim o conceito de pré carga, contratilidade e pós 
carga. 
Pré carga: Volume de sangue que chega no coração, retorno venoso. 
Contratilidade: Capacidade do coração de bombear o sangue, exercer 
sua força sem alteração. O coração não deve estar nem hipertrofiado 
e nem dilatado. Força, sem alteração anatômica e valvas funcionando 
normal. 
Pós carga: Dificuldade do sangue de sair do coração. Deve ter uma 
pressão ideal para ejetar o sangue,