A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Emergência na Veterinária

Pré-visualização | Página 5 de 5

do vaso estará menor que for a. Desta forma irá 
entrar o gás carbônico, para ser levado no pulmão e exalado. Os 
nutrientes viraram metabólitos, e volta metabólitos pro fígado e 
rim, no fígado será metabolizado e no rim será excretado. Irá 
retornar linfas que serão levados no vaso linfático. Ou seja, se a 
pressão estiver boa o corpo irá funcionar de forma correta, que 
é levar os nutrientes e colher o lixo. Se o animal ficar hipotenso 
nada disso irá acontecer, a célula não vai receber oxigênio, vai 
produzir ácido lático, não vai ter co2, o conteúdo arterial vai 
estar igual ao conteúdo venoso e o paciente virá a falecer. 
 
• A partir do momento que o Débito Cardíaco, o organismo irá 
fazer vasoconstrição seletiva, vai tirar sangue de órgãos de 
onde acha que é menos importante, para poder mandar para os 
órgãos que acha mais importante (Pulmão, coração, cérebro). 
Isto irá ocorrer seja porque o paciente está hipovolemico, se a 
contratilidade está baixa ou se a pós carga está baixa. Sempre 
que o débito cardíaco cair esse mecanismo será ativado. 
• ICC = Está indo pouco sangue no rim e vai ativar sistema renina 
angiotensina aldosterona. Vai fazer vasoconstrição e melhorar a 
pressão. Mas só vai melhorar a pressão apenas, o débito 
cardíaco vai piorar. Deve fazer vasodilatador e inotrópico, desta 
forma vai estar jogando sangue no sentido do rim, vai filtrar 
melhor e parar de fazer vasoconstrição. 
 
E será nesta ordem, primeiro irá cortar da pele, a pele ficará com 
aparência pálida. Irá ter menos sangue no intestino, diminuindo a 
motilidade e fazendo com que o animal tenha perda de apetite. Nos 
cavalos, não irá perder o apetite e virá a óbito. O animal pode parar 
de defecar ou ter diarréia. Nos músculos irá apresentar fraqueza, 
normalmente o animal não quer se levantar e fica deitado. Quando 
chegar aos rins irá interferir o débito urinário, o animal não vai 
urinar (anúria). Quando atinge o fígado irá ter aumento de 
bilirrubina, vai causar icterícia na mucosa. No momento que o 
pulmão para de receber sangue irar gerar um quadro respiratório, 
o animal começará a bufar e irá vir a óbito. 
→ Fazer fluidoterapia, a bilirrubina vai abaixar, o animal vai 
respirar melhor, aos poucos vai voltar coloração normal da 
mucosa. 
 
Quando um paciente apresenta dificuldade para estabilizar a pressão, 
irá avaliar o débito urinário. Hiperperfusão tecidual o animal não 
morre, hipoperfusão tecidual o animal morre. 
• Hipoperfusão no rim não suporta muito tempo, o animal vai se 
tornar doente renal rapidamente. 
• Por isso deve avaliar o débito urinário do animal, para que isto 
não ocorra na internação. Irá avaliar com a fralda ou sondagem 
em animais em estados mais graves. 
DÉBITO URINÁRIO 
<0,5 mL/kg/h - Anúria 
 0,5 a 1 mL/kg/h - Oligúria 
 1- 2 mL/kg/h - Urina normal 
>2 mL/kg/h - Poliúria 
 
Como achar este valor? Irá colher esta urina, colhendo de horas 
em horas e dividir pelo peso do paciente. 
 
Exemplo: Deixou colhendo este volume durante 4 horas; 
 50 mL – 10 kg – 4 Horas 
 50 dividido por 4 = 12,5 
 12,5 divido por 10 = 1,25 mL/kg/h 
 
Resolução: 50/4 = 12,5/10 = 1,25 mL/kg/h 
A urina deste paciente está normal, está dentro dos parâmetros. 
• Divide tempo, pelo peso, então irá achar o resultado do débito 
urinário. 
 
Quando o animal está internado, irá avaliar a coloração da mucosa do 
animal, se o animal se alimentou ou não, se defecou ou não, se está 
apático ou não, dosa bilirrubina (ter noção do acometimento do 
débito cardíaco). 
 
Mas como nem tudo são flores, tem uma situção em que irá 
complicar. 
 
 
Deve avaliar o caso ao todo. A pressão está 120 x 80, está boa. Mas 
não é normal ter FC acima de 200, TPC acima de 4 segundos e anúria. 
Quando que acontece isso? Vasoconstrição com hipovolemia. 
→ Vasoconstrição: Pressão sobe, por isso a pressão está boa. 
→ Hipovolmeia: Cai pressão. 
 
Um animal que acabou de ser atropelado, o animal está perdendo 
sangue e apresentando dor. A dor irá ativar o mecanismo de 
vasoconstrição, fazendo com que aumente a FC, não produza urina, 
aumente o TPC. Em casos de pacientes em sepse, ás vezes dilata a 
periferia e a coloração de mucosa fica normocorada. Por isso sempre 
deve avaliar o paciente ao todo, nunca olhar para um parâmetro só e 
sim o conjunto. 
 
• Sempre que pegar um paciente com a pressão boa, e o restante 
ruim, o diagnóstico é vasoconstrição com hipovolemia. Irá 
realizar tratamento para hipotensão. Este paciente vai melhorar 
no teste de carga, ou quando utilizar o medicamento inotrópico. 
Normalmente o animal já responde no teste de carga, pois você 
aumenta a quantidade de volume e isso vai fazer com que pare 
de fazer vasoconstrição. 
 
 Antigamente era utilizado um teste chamado PVC, que foi contra 
indicado. Um catéter era colocado na jugular, na qual tinha uma 
torneira junto para medir a pressão. Media a chegada de sangue 
no átrio, então dava resultado se a fluidoterapia está boa ou 
não. Provaram que o PVC não funciona em diversos casos e 
deixou de ser indicado, ficou no passado. Hoje em dia o ideal é 
observar pelo ECO o tamanho do átrio, mas se não tiver, irá 
tratar com prova de carga e medicamentos inotrópico. 
 
 
 CASOS CLÍNICOS 
 
 
→ ANIMAL 1= Olhar primeiro a pressão sistólica, que é 120, neste 
caso a pressão sistólica está normal. Para avaliar a 
contratilidade irá fazer a conta de subtração da pressão 
sistólica menos a distólica (120- 80= 40). A contratilidade está 
boa. 
 
→ ANIMAL 2= Pressão boa e baixa contratilidade. Contratilidade 
20. 
 
→ ANIMAL 3= Hipotenso e boa contratilidade, irá se recuperar 
rápido, tem um prognóstico melhor. Tratar com fluidoterapia, se 
não responder a fluidoterapia irá utilizar inotrópico, se não 
responder irá usar vasoconstritor. 
 
→ ANIMAL 4= Hipotenso e contratilidade baixa, prognóstico 
reservado. Tratar com fluidoterapia, se não responder a 
fluidoterapia irá utilizar inotrópico, se não responder irá usar 
vasoconstritor. Mesmo tratamento em relação ao animal 3, só irá 
mudar o prognóstico. 
 
→ ANIMAL 5= 220x 160:Hipertenso e boa contratilidade. Usar 
vasodilatação (inibidor da ECA, hidralazina) Irá utilizar inibidor 
da ECA, o inibidor da ECA bloqueia os efeitos do hormônio 
angiontensina ll, provocando relaxamento dos vasos 
sanguíneos e consequentemente, reduzindo a pressão arterial. 
 220x200: Hipertenso e contratilidade ruim (pulso ruim). 
Irá utilizar vasodilatador e será internado. O coração deste 
paciente está ruim, na hora que for vasodilatar a pressão pode 
despencar, então deve usar vasodilatador aos poucos internado, 
para que não despenque a pressão.