A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
USUCAPIÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

USUCAPIÃO
	A aquisição de imóveis se dá com o 1) transferência inter vivos com o registro do título aquisitivo no registro do imóvel; 2) pela sucessão hereditária; 3) Usucapião e; 4) Acessão.
	Aquisição originária: não há transmissão de um sujeito para outro. 
Aquisição derivada: resulta de uma relação negocial entre o anterior proprietário e o adquirente
	Aquisição título singular: tem por objeto bens individualizados, particularizados.
Aquisição a título universal: a transmissão da propriedade recai num patrimônio. Sucessão herdi.
	CONCEITO - modo originário de aquisição da propriedade e de outros direitos reais suscetíveis de exercício continuado (servidões e o usufruto) pela posse prolongada no tempo, acompanhada de certos requisitos exigidos pela lei.
*Tomada através do uso
	Também é chamada de prescrição aquisitiva possibilitando que o tempo influa na aquisição a extinção de um direito.
As regras aplicadas na prescrição extintiva (art. 189 ao 206) recaem sobre a usucapião.[footnoteRef:1] (art. 1.244) [1: Vide resumo de prescrição ] 
	Entendo ser institutos idênticos de sinais invertidos. 
Na primeira autor adquire um direito em detrimento daquele que o perde.
Na segunda uma pessoa perde a pretensão de exigir do outro o que tinha direito.
	Princípios: *Utilidade social e *Conveniência de dar segurança e estabilidade à propriedade. 
	1) Extraordinária
2) Ordinária
3) Especial ou constitucional
3.1) rural (pro labore)
3.2) urbana (pró-moradia ou pro misero e familiar).
4) Usucapião indígena (Lei n. 6.001/73)
	PRESSUPOSTOS: 
1) coisa hábil (res habilis) ou suscetível de usucapião.
2) posse (possessio).
3) tempo (tempus).
4) justo título (titulus) e boa-fé (fides). (Só na ordinária) – instrumento hábil para transmitir o domínio e a posse (escritura, p. ex.)
	USUCAPIÃO EXTRAORDINÁRIA (art. 1238) - espécie mais comum e conhecida. Basta o ânimo de dono e a continuidade e tranquilidade da posse por quinze anos. O usucapiente não necessita de justo título nem de boa-fé
* art. 1379, par. único – usucapião extraordinária de servidão aparente.
	Requisitos: 
15 anos.
Animus domini (ânimo de dono). 
Forma contínua.
Posse mansa e pacífica.
Não precisa de justo título. 
Não precisa ter boa fé.
	Redução do prazo para 10 anos: quando o usucapiente utiliza o imóvel para moradia ou produção de algo (conceito de posse-trabalho), o requisito tempo é decotado em 5 anos, voltando para 10 anos.
	USUCAPIÃO ORDINÁRIA (art. 1242) – Em quase nada difere da extraordinária, resguardando o quesito tempo, animosidade, continuidade e pacificidade. Todavia, requer justo título e boa-fé do usucapiente.
	Requisitos: 
10 anos.
Animus Domini (ânimo de dono).
Forma contínua. 
Posse mansa e pacífica.
Possuidor de justo título. 
Possuidor de Boa-fé.
	Redução do prazo para 5 anos: aqui é necessário ter sido o imóvel adquirido de forma onerosa, que os possuidores tenham estabelecido residência e/ou tenham investido com interesse social ou econômico (posse-trabalho + onerosidade).
	USUCAPIÃO ESPECIAL ou CONSTITUCIONAL – modalidade estampada na Constituição Federal/88 e se divide em rural (pro labore) e urbana (pró-moradia).
Vai ser concedida ao homem ou a mulher e por apenas uma vez, não podendo este usucapir imóvel diversas vezes
	Rural (pro-labore) (art. 183 CF e 1239 CC)
* PN pode PJ não
* 5 Anos 
* Não ser proprietário de outro imóvel rural ou urbano
* Área de 50 hectares (CF e CC)
* Posse (moradia) – trabalho +
* Posse contínua, mansa e pacífica
* Não é necessário justo título 
* Não precisa ter boa-fé
A doutrina fala que não pode ter accessio possessionis (soma da posse anterior), visto que o usucapiente deve ter produzido na terra, característica personalíssima.
	Urbana (pró-moradia) (art. 183 CF e 1240 CC e art.9º Estatuto da cidades)
* PN pode PJ não
* 5 Anos 
* Não ser proprietário de outro imóvel rural ou urbano
* Área de 250 m2
* Posse (moradia) – sua ou família
* Posse contínua, mansa e pacífica
* Não é necessário justo título 
* Não precisa ter boa-fé
Pode haver usucapião de um imóvel dentro de um terreno maior, desde que o primeiro esteja delimitado em 
250 m²
Permite-se accessio possessionis de herdeiros legítimo que esteja na posse na abertura da sucessão.
	USUCAPIÃO COLETIVA - art. 10 do O Estatuto da Cidade - áreas urbanas com mais de duzentos e cinquenta metros quadrados, ocupadas por população de baixa renda para sua moradia por cinco anos, onde não for possível identificar os terrenos ocupados individualmente.
	USUCAPIÃO FAMILIAR (art. 1.240-A) - nova modalidade de usucapião especial
* PN pode PJ não
* 2 Anos – posterior à vigência da lei
* Não ser proprietário de outro imóvel rural ou urbano
* Seja co-proprietário do imóvel junto com o ex cônjuge.
* Tenha o ex cônjuge saído do imóvel voluntariamente
* Área de 250 m2
* Posse (moradia) – sua ou família
* Posse contínua, mansa e pacífica 
	
	USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL – é um meio de usucapir um bem imóvel introduzido pelo CPC, art. 1.071 que incluiu o art. 216-A na Lei 6.015.
* É facultativa, pode optar pela propositura da ação judicial.
* Fenômeno da desjudicialização do direito.
	O pedido é acompanhado por: 
1) ata notarial atestando o tempo.
2) planta e memorial descritivo
3) certidões negativas dos distribuidores da comarca da situação do imóvel e do domicílio do requerente. 
4) justo título ou quaisquer outros documentos.
	PROCEDIMENTO:
1) Ciência à União, ao Estado, ao Distrito Federal e ao Município, para que se manifestem, em quinze dias.
2) Publicação de edital em jornal de grande circulação, onde houver, para a ciência de terceiros eventualmente interessados, que podem manifestar-se em 15 dias. 
3) Havendo impugnação remete-se os autos ao juízo competente
4) Não havendo impugnação, procede o registro do imóvel.