A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
50 pág.
AULA 1 DIREITO PREVIDENCIARIO

Pré-visualização | Página 1 de 3

DIREITO PREVIDENCIÁRIO
Profa. Me. Silvia Resmini Grantham
I
CONTRATO PEDAGÓGICO
REGRAS INICIAIS
CHEGUE NO HORÁRIO!!!
SALA DE AULA NÃO É RESTAURANTE, LANCHERIA, BISTRÔ OU PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO
FAÇA AS TAREFAS PREVIAMENTE AGENDADADAS E LEIA A BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA
SAIA DA SALA PARA FALAR AO CELULAR
E, DENTRO DA SALA, SOMENTE USE O CELULAR A SEU FAVOR, PARA PESQUISA.
*
SISTEMÁTICA DAS AVALIAÇÕES
1ª avaliação: Boletim de Notícias - 4,0 pontos
Elaboração um Boletim de Notícias, contendo, no mínimo, 5 notícias sobre processos que envolvam ações previdenciárias. Cada notícia deverá trazer o número do processo judicial a que se refere e uma ilustração.
A avaliação do Boletim levará em consideração:
Conteúdo, se compatível com a disciplina (3,0)
Criatividade e capricho na apresentação (1,0)
2ª avaliação (6,0 pontos): prova objetiva e dissertativa, abrangendo todo o conteúdo das aulas até a data da prova. 
3ª avaliação (4,0 pontos): Entrega de dois infográficos, cada um avaliado em 2,0 pontos.
1º infográfico: sobre aposentadorias no Regime Geral de Previdência Social
2º infográfico: sobre aposentadorias no Regime Próprio de Previdência Social
Os infográficos deverão ser entregues impressos, à professora
NÃO SERÃO AVALIADOS INFOGRÁFICOS IGUAIS
A avaliação de cada infográfico levará em consideração:
O conteúdo do trabalho apresentado, se compatível com a disciplina e a correção das informações (1,0)
O capricho e criatividade na apresentação (1,0)
4ª avaliação: (6,0 pontos): prova objetiva e dissertativa, abrangendo todo o conteúdo das aulas até a data da prova. 
 
APS
	A Reforma da Previdência Social tem sido um dos assuntos mais polêmicos da atualidade. É imprescindível que todos conheçam o que muda com a PEC 6/2019. 
Os alunos deverão acessar os links: 
https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2192459 http://sa.previdencia.gov.br/site/2019/03/NOVA-PREVIDENCIA.pdf 
2. O aluno deverá construir uma análise crítica dos textos, considerando os conhecimentos adquiridos na disciplina, traçando um paralelo entre as regras atuais do regime da Previdência Social e as alterações trazidas pela PEC 6/2019, destacando os pontos positivos e negativos da reforma. 
3. A atividade deverá ser lançada no Blackboard. 
– 1,0 ponto extra na média.
	AULA	DIA/MÊS	CONTEÚDO
	1	07/08	Apresentação da disciplina. Unidade 1. Noções introdutórias de Seguridade Social. 
	2	14/08	Unidade 2. Princípios de Seguridade Social e Direito Previdenciário.
	3	21/08	Unidade 3. Financiamento da Seguridade Social.
	4	28/08	Unidade 4. Relação jurídica previdenciária. Segurados e dependentes.
	5	04/09	Unidade 4. Continuação.
	6	11/09	Unidade 5. Manutenção e perda da qualidade de segurado. Carência. 
	7	18/09	Unidade 6. Benefícios por tempo de serviço: aposentadorias
	8	25/09	Continuação Unidade 6. 
	9	02/10	Unidade 7. Benefícios por incapacidade. Entrega da 1ª Avaliação: Boletim de Notícias (4,0 pontos).
	10	09/10	Continuação Unidade 7.
	11	16/10	2ª Avaliação – 6,0 pontos (prova objetiva e dissertativa). 
	12	23/10	Unidade 8. Benefícios de proteção à família
	13	30/11	Continuação Unidade 8. 
	14	06/11	Unidade 9. Serviço Social. Habilitação e Reabilitação. 
	15	13/11	Unidade 10. Benefícios assistenciais.
	16	20/11	Unidade 11. Regime Próprio de Previdência Social. 
	17	27/11	Continuação Unidade 11. Entrega da 3ª Avaliação: Dois infográficos sobre as aposentadorias no RGPS e no RPPS (4,0).
	18	04/12	4ª avaliação – 6,0 pontos (prova objetiva e dissertativa).
	19	11/12	Entrega de notas, revisão de provas.
	20	18/12	G2.
	UNIDADE I. Noções introdutórias de Seguridade e Previdência Social.
 
	Abrangência histórica da Seguridade Social
	A estrutura da Seguridade Social no Brasil
	Princípios constitucionais
	Regimes Previdenciários
 
1.1. Abrangência histórica da Seguridade Social
	- Estado de Bem-Estar Social: pautado pelos valores de bem-estar e solidariedade e se propõe a assegurar direitos não apenas individuais, mas também transindividuais (coletivos e difusos), dentre os quais se encontra a Seguridade Social, que tem vinculação direta com uma certa noção de estabilidade, já que representa, a priori, o Estado protegendo a sociedade contra os riscos sociais. 
	
- Primeiras manifestações da Seguridade Social: A história da Seguridade demonstra, no entanto, que esta, ainda que se identifique, sobretudo, com o Welfare State, apresenta suas primeiras manifestações já no fim do século XVII, quando surge a idéia de seguro social, entendido pelos liberais como forma de redução de incertezas, mesmo que visto, inicialmente, com certa desconfiança.
	
	
	
	- Primeiras manifestações: fim do século XVII – surgimento da idéia de seguro social (entendido pelos liberais como forma de redução de incertezas).
 	Nascimento da Seguridade Social = percepção da noção de riscos sociais, que começaram a preocupar a sociedade a partir do advento do Mercantilismo (época marcada pelo pensamento fisiocrata que rejeitava qualquer forma de proteção social além dos vínculos monetários). 
	
*
	Revolução Francesa: liberalismo clássico. 
 
	Revolução Industrial: converte em virtude a até então vergonha do empréstimo a juro. 
 	
	Nascimento da Ciência Econômica: os problemas da produção, da distribuição, da moeda e do valor, assumem características inéditas e tão próprias que já não é mais possível continuar lidando com os mesmos no quadro da política.
 	
	Rosanvallon: desde a Revolução Francesa, o grande problema consistia em adequar o “princípio da solidariedade”, segundo o qual a sociedade teria uma dívida para com seus membros, ao “princípio da responsabilidade” – em cada indivíduo é senhor da sua vida e deve se responsabilizar por ela. 
	Surgimento de duas classes perfeitamente definidas: 
 
	- as dos que podem oferecer capital ao processo produtivo;
	- a dos que só têm a força de trabalho a oferecer. 
 
	O grande problema é que a força de trabalho não pode ser acumulada em caso de doença ou acidente que torne o trabalhador inativo
	Tentativa de solução: aplicação do seguro aos problemas sociais (passando-se da noção subjetiva da conduta e da responsabilidade individual à noção subjetiva do risco). 
 
	Abordagem em termos de risco tem a vantagem de poder considerar de modo unificado muitos problemas diferentes: doença, velhice, desemprego, acidentes, que são reunidos em uma mesma categoria. 
 	
	Os benefícios passam a ser vistos como um dever, não uma liberalidade. 
 
	Seguridade Social: sistema criado e organizado pelo Estado para dar cobertura a tais eventos, chamados de riscos sociais.
	Três grandes referenciais teóricos que pautam, no mundo ocidental desenvolvido, a estruturação de seus sistemas:
 
 a) o Industrial-meritocrático ou Conservador-corporativo;
b) o Residual ou Liberal;
c) o Institucional-redistributivo ou Social-democrata
a) Modelo Industrial-meritocrático, ou Conservador-corporativo: 
	Foi criado pelo Chanceler Bismarck, na Alemanha de 1881. 
	Plano completo para a criação de um sistema público de segurança social para os trabalhadores, representando o início de um crescente processo de intervenção do Estado neste domínio. 
	Sua feição original previa como direitos: segurança obrigatória contra as contingências de doença, acidentes de trabalho, velhice e invalidez, custeada por contribuições vertidas pelos empregados e empregadores, em Caixas próprias para cada categoria profissional.
	 
	Mas justamente o fato de se tratar de um sistema pautado por contribuições sociais foi o que, na opinião de Esping-Andersen, não assegurou a desmercadorização substancial dos cidadãos, tão buscada na época, através da introdução da Seguridade Social pelos Estados de Bem-Estar Social. 
	Os benefícios dependiam quase inteiramente de contribuições e, assim, de trabalho e emprego. 
 
b) Modelo Residual ou Liberal:
 
	Predomina a assistência aos comprovadamente pobres, reduzidas transferências universais

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.