A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
SISTEMA RESPIRATÓRIO

Pré-visualização | Página 1 de 3

Larissa Leslye - TXIX 
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO 
ESTRUTURA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
→ Células epiteliais que revestem o trato resíratório – reveste desde as fossas nasais até as áreas mais internas, embora 
esse tecido passe por modificações dependendo do local; 
→ Relembrando embriologia: Todo epitélio se originou do endoderma; na quarta semana temos os dobramentos 
acontecendo tendo um tubo dentro de um tubo (corpo), tendo extremidades da cavidade oral até os anus. No caso do 
sistema respiratório temos a separação do intestino anterior da traqueia pelo septo traqueoesofágico. Aí vamos ter 
ramificações → brotos pulmonares – pulmão. 
 
Anatomicamente: a organização básica é feita pelo bronquio direito sendo mais 
vertical e exibe um alinhamento direto em relação a tranqueia consqutenemente 
materiais estranhos aspirados como vomito tendem a acometer mais os pulmões 
do lado direito do que o esquerdo. 
Camadas: 
- Mucosa: abrange o epitélio respiratório – pseud.estraf. cilíndrico ciliado 
+ lâmina própria TCF + células caliciformes 
- Submucosa: TCD 
- Cartilaginosa: cartilagem hialina com fibras colágenas – só na traqueia até os brônquios – a partir de 
bronquilos não tem 
- Adventícia: TCF + VS 
 
BT: bronquiolo terminal 
BR: bronquiolo respiratorio 
DA: ductos alveolares 
AS: sacos alveolares (alvéolos) 
 
 
 
Larissa Leslye - TXIX 
 
→ Perceba que nos BT temos uma camada mais espessa de células epiteliais e elas vão afinando, chegando nos alveolos 
onde esse epitélio é simples pavmentoso com a presença principalmente de penumócitos (tipo 1 e 2). 
O epitélio das vias respiratórias de uma maneira geral é: pseudoestratificado cilíndrico ciliado com células 
caliciformes (falso estratificado, o núcleo está em diferentes posições nas células) 
Obs: todas as células tocam a membrana basal. 
- Células calicifomres: produtoras de muco, que aprisiona partículas estranhas; 
- Cílios: garante a movimentação do muco 
Obs: Patologias que perde o cílios = não tem a movimentação do muco, interferindo com uma movimentação mecânica 
Depois ele se torna epitélio simples cúbico (perde as células caliciformes) conforme vamos entrando, até se tornar 
simples pavimentoso em locais de trocas; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
As células de clara, estão presentes nos dois epitélios; essas células produzem um líquido que vi ajudar a não 
colocar essa região no processo de expiração; além de proteção – grânulos secretores que participam do 
processo inflamatório 
DUCTOS ALVEOLARES 
→ O epitélio que reveste é epitélio simples cúbico à simples pavimentoso → vai se achatando cada vez mais 
quando vai chegando no alvéolo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
→ A cartilagem hialina vai ser 
perdendo ao longo; células 
caliciformes tbm vão diminuindo; 
→ Tecido muscular caracterizada por 
presença de fibras elásticas 
 
Larissa Leslye - TXIX 
 
 
EDEMA PULMONAR 
- Pulmões pesados e úmidos – devido ao acúmulo de líquidos dentro dos 
alvéolos; 
- Diferentes etiologias, e a terapia depende desta etiologia 
 
*Possíveis causas de edema pulmonar: 
- Disiurbio hemodinamicos; aumento da pressão hidrostática; lesão, infecção, obstrução, traumas... 
 
* Dois tipos principais de edema pulmonar (vazamento do fluido intersticial em excesso que se acumula nos espaços 
alveolares) – pode acotecer por perturbações hemodinamicas ( edema pulmonar cardiogenico) e aumento da 
permeabilidade dos capilares ( edema pulmonar não-cardiogenico): 
- Edema hemodinamico: temos alterações que acontecem no lado esquerdo no coração; causando aumento da pressão 
hidrostática → capilar alveolar vai aumentar seu diametro → extravasamento do liquido para dentro do alveolo → 
edema 
- Edema de Lesão microvascular: consquencia de um processo inflamatorio; danos nas celulas epiteliais dos 
alveolos ou capilares gerando processo inflamatório → aumento da permeabilidade vascular desses capilares 
decorrente do processo inflamatorio → exsudato inflamatorio vaza para dentro do espaço intersticial → 
extravasamento desses liquido → alveolo com liquido de edema + proteinas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A: Devemos observar as células endoteliais (pneumócitos); apoiados na membrana basal, e abaixo da 
membrana basal, o espaço (com as setas) é o espaço intersticial onde temos as fibras colágenas e elásticas; 
nesse caso de edema, temos distúrbios hemodinamicos, que levam a aumento da pressão hidrostatica → 
aumento no diametro desse vaso (olhar na foto) = extravasamento do liquido para dentro do alveolo 
B: Vemos na imagem um processo de lesão ans células epiteliais (olhar bem direitinho, elas estão faltando), e 
com isso temos um rpcesso inflamatório; vemos que esse vaso não tem diferença no diametro, mas sim 
aumentou a permeabilidade devido essa infecção, tendo permeamento de proteinas e células inflamatórias, 
formando um liquido dentro do alveolo; 
 
 
Larissa Leslye - TXIX 
 
LESÕES PULMONARES AGUDAS (LPA) – mais relacionadas a edemas não-cardiogenicos 
- Lesão nas cel epiteliais – desprganização celular - processo inflamatório – aumento da permeabilidade 
vascular = formando edema não-cardiogenico 
→ A etapa final do prpcesso inflamatorio é necrose, portanto dependendo do grau teremeos morte das células 
epiteliais 
→ A manifestção histopatologica dessas doenças consiste em um dano alveolar difuso (DAD) – o dano a 
essas células decorrente do sistema inflamatório é continua e pode causar morte celular; 
1.1 Alterações causadas pelo Tabagismo 
*Temos alterações na camada da mucosa; 
 
Na imagem controle vemos o epitelio pseudoestratificado cilindrico ciliado apoiado em uma membrana basal 
(células basais que possuem a capacidade de diferenciaçao em cel epitelial ou caliciforme) abaixo dele a 
lamina propria 
Nos tabagistas vemos injurias repetitivas; o eptelio se transforma, temos aumento da espessura do tecido 
epitelial, aumento nonnumero de celulas caliciformes (bolas), portanto temos um processo de displasia 
acontecendo anesse tecido epitelial; o ep pseudo estratif cilindrico ciliado passa a ser um ep. Estratificado 
paviementoso não queratinizado com perda de cílios, aumento das células caliciformes que aumentam a 
produção de muco – esse muco se acumula em cima das células epiteliais (devido a não ter a movimetnação 
dos cilios) – ocorrendo a movimentação mecanica – pigarra 
#Cigarros e/ou pooluentes são as principais causas das patologias que acomemetem o sistema respiratório 
* Essas modificações que acontecem no epitelio, até que ponto essas alterações podem ser reversíveis? Sim, 
podemos ter um processo reversível com uma remodelação do tecido epitelial, mas não sabemos quanto 
tempo. 
 
1.2 Síndrome Respiratória Aguda 
* É iniciada com uma lesão dos pneumocitos (tipo 1 ou 2) ou do endotélio pulmonar (endotelio do capilar 
pulmonar proximo a região dos alveolos) resultando em um circulo vicioso de aumento de: lesão das células 
- processo inflamatorio - danos pulmonares e lesão de células – processo inflamatório... 
Obs: COVID- é considerada SIRS; temos ciclo viciosos de morte das células epiteliais; se lesa o tecido 
pulmonar e os capilares alveolares, diminuimos a eficiencia do processo respiratorio causando uma 
insuficiencia respiratória – proteina spike do virus tem afinididade com as célula epiteliais do pulmão 
Uma série de eventos importantes: 
1. Lesão endotelial (penumócito ou capilar) 
2. Adesão e extravasamento de neutrófilos 
3. Acúmulo de líquido (edema) não cardiogenico 
4. Necrose – perda da função celular 
Larissa Leslye - TXIX 
 
*Esses fatores de processo inflamatório estimulam o crescimento de fibroblastos e a deposição de colágeno 
para ocorrer reparação tecidual → levando a fibrose das paredes alveolares (qual região dos alveolos vai ter 
esse deposito de colágeno? No espaço intersticial onde tem presença de tec conj frouxo, fibroblastos e fibras 
colágenas; 
Possível reparo tecidual? Pode, alguns pacientes