A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Prisão em flagrante

Pré-visualização | Página 1 de 1

Prisão em flagrante
Processo penal
A expressão flagrante vem de FLAGRARE
Significa : arder, queimar, o evidente
que acabou de acontecer ou que esta acontecendo.
Flagrante 
 É aquilo que é VISTO, REGISTRADO ou OBSERVADO 
 
 no momento em que ocorre
 de maneira surpreendida e incontestável , 
 devido a presença de TESTEMUNHAS
A FLAGRÂNCIA NÃO É OUTRA COISA QUE A VISIBILIDADE DO DELITO (LOPES JR, 2016 p. 616 apud CARNELUTTI, p. 77)
O FLAGRANTE pode ser praticado por um particular ou pela autoridade policial.
Art. 301 do CPP
Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.
 Art. 302 do CPP.
A prisão em flagrante se configura quando :
O individuo que cometeu ou está cometendo a ação criminosa é perseguido e capturado pelas autoridades, pelo ofendido ou por qualquer outra pessoa.
Quando alguém é apreendido com armas ou demais utensílios que possam comprovar a execução de um crime recém praticado.
 
“não é uma medida cautelar pessoal, mas sim pré-cautelar, no sentido de que não se dirige a garantir o resultado final do processo, mas apenas destina-se a colocar o detido à disposição do juiz para que adote ou não uma verdadeira medida cautelar.” 
(LOPES JR, 2008, p.63).
Procedimentos a serem seguidos 
Da ocorrência do fato até a homologação ou não da prisão.
SEGUNDO jurisprudência dominante nO STJ; 
A prisão em flagrante por SER PRÉ CAUTELAR por si só NÃO PRENDE : 
Sendo assim, após a apreensão do suspeito existe uma espécie de “roteiro” a ser seguido:
 
OCORRENCIA DO FATO
Apresentação á autoridade policial
Lavratura do Auto de Prisão em Flagrante
Ouve-se o condutor e testemunhas, apresentação de dir. constitucionais . Permite-se comunicação com familiares e advogado.
Toma-se o Interrogatório
Entrega da nota de culpa ao flagrado onde constam os artigos da lei pelos quais esta sendo preso em flagrante
Remessa do APF no prazo de 24h 
ao 
JUIZ 
Aqui antes de ser apresentado a DPPA é realizado exame corpo de delito
Tempo 
Ao receber um Auto de Prisão em Flagrante , o juiz deverá homologar, proceder ao relaxamento ou converter a prisão em flagrante delito em prisão preventiva dentro do prazo de 24 horas
Caso o Juiz Receba o APF
Observa-se a LEGALIDADE do procedimento , o que a lei prescreve
Homologação da PRISÃO PREVENTIVA 
Se houver ilegalidade no procedimento :
Homologação da 
LIBERDADE PROVISÓRIA
Relaxamento da prisão
Aqui é observada
A NECESSIDADE OU NÃO da prisão
OU
Modalidades de flagrante 
Existe uma classificações para cada tipo de flagrante previsto em lei 
PRÓPRIO- é pego quando ainda esta cometendo o crime.
IMPRÓPRIO- Capturado logo após o crime ( cometimento).
PRESUMIDO – Quando são encontrados objetos com o suspeito que fazem presumir o cometimento do crime.
PROVOCADO- Ocorre mediante influência de terceiro (s).
ESPERADO- A autoridade policial é avisada que irá ocorrer o fato e se prepara para que possa efetuar a prisão durante a consumação .
FORJADO –( considerado ILEGAL). Quando são criadas ou implantadas provas para incriminar alguém .
AÇÃO CONTROLADA- Previsão Lei nº 11.343/2006
 Lei de drogas
Art. 53. Em qualquer fase da persecução criminal relativa aos crimes previstos nesta Lei, são permitidos, além dos previstos em lei, mediante autorização judicial e ouvido o Ministério Público, os seguintes procedimentos investigatórios:
II - a não-atuação policial sobre os portadores de drogas, seus precursores químicos ou outros produtos utilizados em sua produção, que se encontrem no território brasileiro, com a finalidade de identificar e responsabilizar maior número de integrantes de operações de tráfico e distribuição, sem prejuízo da ação penal cabível.
Parágrafo único. Na hipótese do inciso II deste artigo, a autorização será concedida desde que sejam conhecidos o itinerário provável e a identificação dos agentes do delito ou de colaboradores.
Também existe previsão de ação controlada ......
Na convenção de Palermo (Decreto 5.015/2004).
Lei nº 9.613/98 (Lei de Lavagem de Capitais).
Lei nº 12.850 (Lei do Crime Organizado).
 
 A PRISÃO EM FLAGRANTE É UM ATO JURÍDICO ADMINISTRATIVO.
 TEM CARÁTER PRÉ-CAUTELAR
 CONSTITUI UMA DAS FORMAS DE INSTAURAÇÃO DO INQUÉRITO POLICIAL
 
 (notitia criminis coercitiva).
 PRISÃO EM FLAGRANTE
 
X
 DIREITOS FUNDAMENTAIS 
Inciso LXI, do artigo 5º, da Constituição da República: 
“Ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente, salvo nos casos de transgressão militar ou crime propriamente militar, definido em lei”.
Observa-se assim a consagração do direito a LIBERDADE DE LOCOMOÇÃO de cada individuo.
Sendo assim a limitação desse direito constitui uma EXCEÇÃO.
Até mesmo em relação a hierarquia constitucional , esse direito LOCOMOÇÃO só pode ser limitado em favor de outros direitos fundamentais.
Pois as normas penais incriminadoras surgem com objetivo de proteger bens jurídicos também importantes, tanto para o ESTADO QUANTO PARA O INDIVÍDUO.
Referências bibliográficas
JR., L. e Aury 2017, Direito processual penal, 14ª edição, 14th edição, Editora Saraiva. Disponível em: integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788547216849/cfi/581!/4/2@100:0.00.
AHMAD, NIDAL. MATERIAL DE APOIO PROCESSO PENAL. Disponível em: https://www.passeidireto.com/arquivo/42928863/oab-2-fase-penal---nidal-ahmad
Disciplina : Processo Penal 2018.1
Professor : Bruno Menezes
Acadêmicos : Andrei, Andressa, Dieisson e Emannuel