Cricotireoidostomia
2 pág.

Cricotireoidostomia


DisciplinaUrgência e Emergência1.815 materiais50.323 seguidores
Pré-visualização1 página
Breno Mateus e Carlos Antônio
CRICOTIREOIDOSTOMIA
1. INTRODUÇÃO
\u2022 Acesso as vias aéreas através da membrana cricotireoidea;
\u2022 Existem duas formas: incisão cirúrgica e punção percutânea; 
\u2022 Na cirúrgica, o diâmetro do tubo é limitado a 7 mm.
2. INDICAÇÕES
\u2022 Situação de emergência de \u201cnão ventila, não entuba\u201d;
\u2022 Obstrução ou deformidade da VAS;
\u2022 Traumatismo que impossibilita a entubação;
3. PROCEDIMENTO
Preparação e materiais necessários: material para antissepsia e anestesia (gazes estéreis, solução
antisséptica, luvas estéreis, seringas e agulhas; material cirúrgico (lâmina de bisturi e fio cirúrgico de
nylon 3 ou 4-0); kit comercial para realização da cricotireoidostomia; pode ser utilizado cateter
intravenoso agulhado de 14G ou tubo endotraqueal ou cânula de traqueostomia.
4. TÉCNICA
1. Paciente em decúbito dorsal, com cabeça estendida. Identificar membrana cricotireoidea;
2. Realizar antissepsia da região e anestesia do local de punção;
3. Mantenha manualmente a cartilagem tireóidea estabilizada;
4. Realizar incisão na região e puncionar com o cateter agulhado na linha média sobre a
membrana cricotireoidea no sentido craniocaudal. O cateter agulhado deve estar conectado à
uma seringa e durante sua inserção deve-se aplicar uma pressão negativa por aspiração;
5. Parar a inserção da agulha quando ocorrer aspiração de ar e prosseguir apenas com a
inserção do cateter;
6. Retirar a agulha e a seringa, e introduzir o fio guia;
7. Após a inserção do fio guia, retirar o cateter;
8. Introduza a cânula de cricotireoidostomia montada sobre o dilatador utilizando o fio guia como
orientação;
9. Retire o fio guia e o dilatador, conecte o sistema de ventilação à cânula e inicie a ventilação;
10. Confirmar o posicionamento pela ausculta dos campos pulmonares;
11. Realizar raio-x.
Breno Mateus e Carlos Antônio
5. CONTRAINDICAÇÕES
\u2022 Obesidade mórbida e aumento do tamanho da tireoide;
\u2022 Epiglotite e outros processos inflamatórios na região glótica;
\u2022 Obstrução de vias aéreas nas estenoses subglóticas.
6. COMPLICAÇÕES
\u2022 Pneumotórax/pneumomediastino;
\u2022 Enfisema subcutâneo;
\u2022 Perfuração esofágica;
\u2022 Lesão das cordas vocais e tireoide;
\u2022 Mudança de voz;
\u2022 Obstrução de vias aéreas;
\u2022 Hipercarbia/hipoxemia;
\u2022 Fístula traqueoesofágica;
\u2022 Traqueomalacia.