A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Mamas

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 Valentina Gomes 
Mamas 
CONCEITOS: 
Estrutura superficial proeminente. 
As glândulas mamárias estão localizadas na tela subcutânea, interposta na matriz de tecido adiposo, sobre os 
músculos peitoral maior e menor. 
Homens e mulheres possuem mama. 
→ Nos homens são atrofiadas. 
→ Nas mulheres, são características sexuais secundárias e se desenvolvem depois da puberdade. 
A gordura ao redor do tecido glandular determina o tamanho das mamas não-lactantes 
O formato e tamanho dependem de fatores genéticos, étnicos e dietários, podendo inclusive variar de tamanho em 
um mesmo indivíduo durante o ciclo menstrual ou a lactação. 
LOCALIZAÇÃO: 
Bilateralmente 
Região anterior superficial do tórax 
Leito mamário se estende: 
→ Transversalmente: margem lateral do esterno à linha medial 
axilar. 
→ Verticalmente: da costela II a VI. 
Processo Axilar: Parte da glândula pode estender-se até a fossa 
axilar. 
Divisão em quadrantes: para melhor descrição anatômica e localização de tumores e cistos. 
ANATOMIA: 
 
Externa 
→ Papila Mamária 
→ Aréola 
→ Sulco Inframamário 
→ Sulco Intermamário 
→ Processo Axilar da Mama 
Interna 
→ Parênquima: Constituído por lóbulos de glândula mamária. Glândulas mamárias são glândulas 
sudoríparas modificadas. Os alvéolos secretam leite e são organizados como cachos de uva. 
→ Estroma: Matriz de tecido adiposo da fáscia superficial. Componente estrutural da mama. 
→ Ductos Lactíferos: Drenam os lóbulos convergindo em aberturas independentes. 
→ Seio lactífero: Parte dilatada do ducto lactífero, profundamente a aréola, na qual gotículas de leite 
se acumulam ou permanecem na lactante. 
→ Ligamentos suspensores da mama: Ligamentos cutâneos fixados à derme. Condensações de 
tecido fibroso que ajudam a sustentar os lobos e lóbulos das glândulas mamárias. 
→ Espaço Retromamário: Entre a mama e a fáscia peitoral há um plano de tecido conectivo frouxo. 
Permite certo grau de movimento a fáscia. 
 
 
 
2 Valentina Gomes 
 
 
VASCULARIZAÇÃO: 
Irrigação arterial 
Artéria subclávia → Ramos mamários mediais de ramos perfurantes. 
→ Ramos intercostais anteriores da artéria torácica interna 
Artéria axilar → Artéria torácica lateral 
→ Artéria toracocromial 
Parte torácica da aorta → Artérias intercostais posteriores (2º, 3º e 4º) 
Drenagem venosa 
Veia axilar 
Veia torácica interna 
 
DRENAGEM LINFÁTICA: 
Importante devido seu papel na metástase de células cancerosas. 
Papila mamária 
Aréola Plexo linfático subareolar 
Glândulas mamárias 
Quadrantes laterais (Maior parte da linfa - 75%) → Linfonodos axilares → Linfonodos Claviculares → Tronco 
linfático subclávio 
Quadrantes mediais → Linfonodos paraesternais (ou mama oposta) → Troncos linfáticos mediastinais 
Quadrantes inferiores → Linfonodos abdominais 
INERVAÇÃO: 
Ramos cutâneos laterais dos nervos intercostais (4º ao 6º) 
Ramos cutâneos anteriores dos nervos intercostais (4º ao 6º) 
Fibras sensitivas e eferentes simpáticas (lactação). 
CÂNCER DE MAMA: 
→ Tumores geralmente originados de células epiteliais de ductos lactíferos das glândulas mamárias. 
→ Células cancerosas metastáticas que entram num vaso linfático, geralmente passam por dois ou três linfonodos 
antes de entrarem no sistema venoso. 
→ Linfonodo Sentinela: É o primeiro linfonodo a receber células cancerosas metastáticas. 
→ A interferência do câncer na drenagem linfática pode gerar linfedemas, podendo resultar em alteração do aspecto 
da pele ou desvio da papila mamária. 
→ Invasão cancerosa do tecido glandular e formação de fibrose, levando a formação de depressões ou retração da 
papila mamária. 
→ O aumento de linfonodos palpáveis pode ser indicio de câncer de mama, facilitando o diagnóstico precoce. 
 
3 Valentina Gomes 
PRINCIPAIS SINAIS DO CÂNCER DE MAMA 
MAMOGRAFIA 
Exame radiográfico usado para detectar massas na mama. 
A mamografia é usada como guia para a remoção de cistos, abcessos e tumores. 
As massas tumorais apresentam-se como uma área densa, grande e irregular. Se diferenciam dos cistos, pois os 
cistos geralmente apresentam um interior menos denso e por isso menos claro.