A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Aula 14

Pré-visualização | Página 1 de 6

As teorias sobre liderança: 
de Weber a Welch
Ao final desta aula, você deverá ser capaz de:
analisar o desempenho de chefes à luz dos conceitos 
de autoridade formal x liderança e poder x autoridade; 
estabelecer um estilo de liderança em um caso 
hipotético;
analisar o perfil de gerência em um caso hipotético. 
14
ob
je
tiv
os
A
U
L
A
Meta da aula 
Analisar as teorias tradicionais e contemporâneas 
sobre liderança e a evolução das abordagens 
sobre o tema, desde os estudos de Weber até os 
princípios definidos por Welch.
1
2
3
Pré-requisitos 
Para acompanhar esta aula, é importante 
que você releia a Aula 11, em especial 
os trechos que se referem às teorias 
motivacionais.
168 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 169
A
U
LA
 
1
4
 
INTRODUÇÃO OS ESTUDOS WEBERIANOS SOBRE O PODER E A AUTORIDADE
Os primeiros estudos sobre liderança enfatizaram o que denominamos “perfil 
do líder”, ou seja, os líderes são estudados com base em suas características 
pessoais, suas motivações, comportamentos e estilos.
Weber, em suas pesquisas sobre dominação, estabeleceu a diferença entre 
exercício do poder e exercício da autoridade (reveja tais conceitos na Aula 9, 
em Burocracia). Em sua análise, Weber diferenciou a autoridade formal da 
liderança, conforme resumiremos no quadro a seguir:
Pois então vamos explicar melhor aquilo que está exposto no quadro. 
A autoridade formal é inerente ao cargo (pressupõe-se a autoridade em virtude 
da posição ocupada, como uma chefia de setor, por exemplo); a liderança é 
fruto de habilidades, interesses e comportamentos exercidos pelo líder e aceitos 
pelos liderados. Logo, a fonte (origem) de autoridade formal está no cargo, 
enquanto a fonte de liderança está na aceitação de uma pessoa como líder 
por parte de seus seguidores.
Com isso, podemos estabelecer que o exercício da autoridade formal é 
restrito às funções e responsabilidades do cargo, que são fixadas por normas 
organizacionais. E que o exercício da liderança é amplo, ainda que restrito ao 
grupo social em que a liderança é exercida, e esse exercício compreende as 
relações entre o líder e seus seguidores.
Mas, afinal, qual é a importância disso? Tal distinção entre autoridade formal 
e liderança trouxe nova luz à análise do desempenho dos ocupantes dos 
cargos de chefia nas organizações. Observou-se que muitos chefes que têm 
autoridade formal devido ao cargo que ocupam não exercem liderança sobre 
seus subordinados. E muitos empregados que não são chefes desempenham 
papéis de líderes por serem muito influentes junto a seus colegas.
Com isso, voltamos às noções de poder e autoridade quando observadas em 
situações práticas nas quais autoridade formal e liderança são percebidas como 
coisas distintas.
Autoridade formal Liderança 
Baseia-se em normas Baseia-se na aceitação pelos outros
Pertence ao cargo e não ao indivíduo Limitada ao grupo social dentro do qual o líder exerce influência
É permanente, enquanto o cargo existir É efêmera, enquanto persistir a sintonia entre líder e seguidores
168 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 169
A
U
LA
 
1
4
 
Almas gêmeas
Pablo e Helena eram um casal perfeito, o que poderíamos chamar almas gêmeas. 
Conheceram-se na universidade, estudaram juntos, assistiam às aulas juntos e, não 
poderia ser diferente, começaram a trabalhar juntos na mesma empresa.
Ele, mais conservador, detalhista, amante dos números, exímio calculista, foi designado 
chefe do Setor de Atendimento ao Cliente (SAC). Ela, mais sensível, de comportamento mais 
irreverente, amistoso e sociável, foi para a área de treinamento e desenvolvimento.
Portanto, um casal de chefes, ambos ocupando cargos de gerência numa distribuidora de 
alimentos, sediada na região oeste da cidade do Rio de Janeiro.
Atividade 1
O poder está associado ao exercício da autoridade formal e é decorrente 
do cargo de chefia exercido pela pessoa. São as prerrogativas do cargo que 
conferem poder ao seu ocupante, e não ele, como pessoa.
A autoridade, por sua vez, tem a ver com liderança, pois depende das 
habilidades, conhecimentos e experiência do indivíduo. O exercício da 
autoridade, na concepção weberiana, equivale ao exercício da liderança, 
que significa “influenciar positivamente as pessoas”, fazê-las aceitar de boa 
vontade suas idéias. E o fazem porque consideram tais idéias boas, melhores 
e promotoras do seu próprio crescimento e desenvolvimento profissional.
Os primeiros estudos 
sobre relações humanas na 
empresa estabeleceram as diferenças entre 
o líder formal (chefes com autoridade formal) e os 
líderes informais (empregados que não ocupam cargos 
de chefia mas que influenciam seus colegas).
A dicotomia autoridade formal x liderança também aprofundou 
os estudos sobre poder e autoridade. O próprio Weber 
estabeleceu esta diferença ao definir ambos assim:
"poder é a faculdade de forçar ou coagir alguém a fazer sua 
vontade, por causa de sua posição ou força, mesmo que essa 
pessoa preferisse não fazer;
 autoridade é a habilidade de levar as pessoas a 
fazerem de boa vontade o que você quer por 
causa de sua influência pessoal".
!!
1
170 C E D E R J
História do Pensamento Administrativo | As teorias sobre liderança: de Weber a Welch
C E D E R J 171
A
U
LA
 
1
4
 
Com menos de seis meses nos cargos, as 
diferenças começaram a surgir. Pablo tinha 
um estilo próprio. Fazia poucas reuniões com 
seus subordinados - apenas uma reunião 
mensal - nas quais definia metas, avaliava 
os resultados, cobrava as responsabilidades, 
identificava erros de desempenho e tudo 
mais.
Perguntado sobre o seu estilo de gerência 
pelo seu superior, Isaías, gerente-geral da 
empresa, ele foi claro: “Dou ordens e quero 
vê-las cumpridas”.
Helena tinha um estilo diferente. 
Reunia-se freqüentemente com sua equipe, analisava metas em conjunto, propunha 
ações, ouvia sugestões e estabelecia um plano de melhorias de desempenho para 
cada um dos membros da equipe. Diante da mesma pergunta feita pelo gerente-geral, 
ela falou: “Sou gerente, mas sou líder também. Procuro influenciar meus subordinados, 
de modo que eles possam ter um desempenho ótimo que nos leve a alcançar nossas 
metas e promover o seu autocrescimento e desenvolvimento”.
Analise o desempenho de ambos à luz dos conceitos de autoridade formal x liderança 
e poder x autoridade.
_______________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
Resposta Comentada
Pablo é o típico chefe. Exerce a autoridade formal e seu comportamento diz 
respeito ao exercício do poder. Gerencia dando ordens, controlando e cobrando 
resultados.
Helena exerce a liderança, embora tenha autoridade formal e poder que lhe são 
conferidos pelo cargo que ocupa. Seu papel é diferente: influenciar pessoas, 
motivá-las, fazê-las crescer e se desenvolver, e, com isso, levá-las a atingir as 
metas da empresa. É o que podemos denominar gerente-líder.
Figura 14.1: Unidos no amor e na empresa.
Ed
w
in
 P
ijp
e
(s
xc
.h
u
_4
94
52
2_
49
79
08
55
)
170 C E D E R J
História