A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
SISTEMA MUSCULAR Resumo rápido.

Pré-visualização | Página 1 de 1

SISTEMA MUSCULAR 
O sistema muscular é composto pelos diversos músculos do corpo 
humano. Os músculos são tecidos, cujas células ou fibras musculares possuem 
a função de permitir a contração e produção de movimentos. 
As fibras musculares, por sua vez, são controladas pelo sistema nervoso, que 
se encarregam de receber a informação e respondê-la realizando a ação 
solicitada. 
A seguir temos uma tabela com suas características, funções, componentes 
classificação e regeneração. 
CARACTERÍSTICAS DO TECIDO MUSCULAR 
• Produção dos movimentos corporais: movimentos globais do 
corpo, como andar e correr. 
• Estabilização das posições corporais: a contração dos músculos 
esqueléticos estabiliza as articulações e participam da manutenção 
das posições corporais, como a de ficar em pé ou sentar. 
• Regulação do volume dos órgãos: a contração sustentada das 
faixas anelares dos músculos lisos (esfíncteres) pode impedir a saída 
do conteúdo de um órgão oco. 
• Movimento de substâncias dentro do corpo: as contrações dos 
músculos lisos das paredes vasos sanguíneos regulam a intensidade 
do fluxo. Esse tipo de músculo também pode mover alimentos, urina e 
gametas do sistema reprodutivo. Os músculos esqueléticos promovem 
o fluxo de linfa e o retorno do sangue para o coração. 
• Produção de calor: Quando o tecido muscular se contrai ele produz 
calor e grande parte desse calor liberado pelo músculo é usado na 
manutenção da temperatura corporal. 
 
 
COMPONENTES 
• Fáscia Superficial: separa os músculos da pele. 
• Fáscia Muscular: é uma lâmina ou faixa larga de tecido conjuntivo 
fibroso, que, abaixo da pele, circunda os músculos e outros órgãos do 
corpo. 
• Epimísio: é a camada mais externa de tecido conjuntivo, circunda 
todo o músculo. 
• Perimísio: circunda grupos de 10 a 100 ou mais fibras musculares 
individuais, separando-as em feixes chamados fascículos. Os 
fascículos podem ser vistos a olho nu. 
• Endomísio: é um fino revestimento de tecido conjuntivo que penetra 
no interior de cada fascículo e separa as fibras musculares individuais 
de seus vizinhos. 
 
 
CLASSIFICAÇÃO 
O tecido muscular é classificado em três tipos distintos, são eles: tecido 
muscular estriado cardíaco, tecido muscular estriado esquelético e tecido 
muscular não estriado. 
• Tecido muscular estriado cardíaco: Apresenta estriações e é 
encontrado na parede do coração. A contração desse tecido 
é vigorosa, rítmica e involuntária, portanto, não somos capazes de 
controlá-la. Possui fibras alongadas, com um ou dois núcleos, os quais 
estão localizados mais próximos à região central. Sua fibras 
musculares apresentam ramificações unidas por discos intercalares. 
• Tecido muscular estriado esquelético: É rico em estriações e 
está conectado aos nossos ossos, sendo os casos do bíceps e do 
tríceps. Apresenta fibras musculares longas, que podem atingir até 30 
cm, cilíndricas e com vários núcleos na periferia das células. A 
contração desse tipo de tecido muscular é rápida e vigorosa e ocorre, 
geralmente, de maneira voluntária. 
Nas fibras musculares, observa-se as miofibrilas, que são feixes 
de filamentos. Elas são formadas por quatro tipos de proteínas: a 
miosina, a actina, a tropomiosina e a troponina. Entre essas proteínas, a 
actina e a miosina são encontradas em maior quantidade. 
As fibras musculares esqueléticas possuem um padrão de estriações 
transversais, conseguidas graças à alternância de faixas claras e 
escuras. 
• Tecido muscular não estriado ou liso: Não possui estriações, 
diferentemente dos demais. Suas células são longas, com um núcleo 
central, e apresentam formato fusiforme, ou seja, suas extremidades são 
mais estreitas que o seu centro. A contração desse tecido é involuntária 
e lenta. Ele pode ser encontrado na parede de vários órgãos, tais como 
bexiga, esôfago e artérias. Caso tenha maior interesse nesse tópico, leia 
nosso texto: Tecido muscular liso. 
 
 
 
REGENERAÇÃO MUSCULAR 
No adulto os três tipos de tecido muscular exibem diferenças na 
regeneração. O músculo cardíaco não se regenera. Nas lesões do coração 
(enfarte), as partes destruídas são invadidas por fibroblastos, que produzem 
fibras colágenas, formando uma cicatriz. Embora os núcleos das fibras 
esqueléticas não se dividam, tem uma pequena capacidade de 
reconstituição. Admite-se que as células satélites sejam responsáveis pela 
regeneração, visualizadas somente ao ME, consideradas mioblastos inativos. 
Estas células também são importantes na hipertrofia, quando se fundem com 
as fibras musculares preexistentes. O músculo liso é capaz de uma 
regeneração mais eficiente. Ocorrendo lesão as fibras musculares lisas que 
permanecem viáveis entram em mitose e reparam o tecido. Na parede dos 
vasos sanguíneos há participação dos perícitos, que se multiplicam por 
mitose originando novas células musculares lisas, ocorrendo a regeneração. 
• Músculo estriado esquelético: regenera-se com dificuldade 
utilizando células satélites que ficam ao redor das fibras. 
https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/coracao.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/esofago.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/arterias.htm
https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/tecido-muscular-liso.htm
• Músculo estriado cardíaco: O músculo cardíaco não se regenera, 
exceto nos primeiros anos de vida. Lesões no coração são reparadas 
através da proliferação de tecido conjuntivo. 
• Músculo liso: células musculares viáveis entram em mitose e 
reparam o tecido.