A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
3a5b04bd-ef96-4270-be68-7e0dee7eb97e (3)

Pré-visualização | Página 1 de 4

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO 
CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA 
 
 
 
 
NOME DO ACADÊMICO: 
ERIKA BACCA DE ANDRADE 
 
 
 
 
 
 
 
PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR 
STARTUP SUSTENTÁVEL: UM CASO DE EMPREENDEDORISMO VERDE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÁCERES-MT 
2020 
NOME DO ACADÊMICO: 
ERIKA BACCA DE ANDRADE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR 
STARTUP SUSTENTÁVEL: UM CASO DE EMPREENDEDORISMO VERDE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Trabalho Gestão financeira apresentado à UNOPAR, 
como requisito parcial para a obtenção de média bimestral 
na disciplina de Comportamento Organizacional; Gestão 
de Projetos; Homem, Cultura e Sociedade, 
Empreendedorismo. Responsabilidade Social e 
Ambiental; 
 
Orientador: Prof (a). Daiane Renata Pizelli. 
 
 
 
 
 
 
CÁCERES-MT 
2020 
SUMÁRIO 
 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO ............................................................................................................ 3 
1. EMPREENDEDORISMO ......................................................................................... 4 
2. GESTÃO DE PROJETO .......................................................................................... 6 
3. MODELO DE GESTÃO ........................................................................................... 8 
4. HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE....................................................................... 9 
5. LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ............................................................. 10 
CONSIDERAÇÕES FINAIS ...................................................................................... 13 
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 14 
INTRODUÇÃO 
 
 
 
A Produção textual é uma forma teórica de demonstrar os conhecimentos 
obtidos nas aulas online, com isso consegue desenvolver a aditividade proposta e 
além do mais, desenvolver de formar coerente a fim de obter o máximo de 
aprendizado. 
Neste trabalho serão abordados tópicos como Empreendedorismo, Gestão de 
Projetos, Modelos de Gestão, Homem, Sociedade e Cultura e Legislação Social e 
Trabalhista. 
A sociedade atual vem se preocupando cada vez mais com a questão de 
sustentabilidade, ecologia e os negócios tem se unido a isso. Percebido que as 
empresas não são vilãs mas sim mais uma ferramenta a favor do meio ambiente e 
das pessoas que lutam por ele. Cada vez mais são aliados e tem mudado a concepção 
das pessoas acerca dos resultados produzidos e das intenções de seus 
administradores. 
O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e os mercados 
encontram-se sempre em processo de mudança, não permitindo erros a aqueles que 
querem entrar. Com nichos cada vez mais específicos e explorados é de fundamental 
importância explorar as Startup sustentáveis. 
É esperado com este trabalho que as pessoas percebam que os novos 
dirigentes das organizações, munidos de conhecimento e experiência, vem para 
mudar o mundo e torna-lo mais sustentável. 
4 
 
 
 
 
1. EMPREENDEDORISMO 
O campo do empreendedorismo pode ser definido como aquele que estuda os 
empreendedores, examina suas atividades, características, efeitos sociais e 
econômicos e os métodos de suporte usados para facilitar a expressão da atividade 
empreendedora (FILION, 1999). Filion e Dolabela (2000) sugerem algumas formas de 
ser empreendedor. Cada uma delas implica um tipo de atividade e requer determinado 
conhecimento. 
O empreendedorismo social busca resgatar as pessoas de situações de risco 
social e promover a melhora de sua condição de vida na sociedade, por meio da 
geração de capital social, inclusão e emancipação social. 
O empreendedor social, em contrapartida, não tem como prioridade criar lucros 
financeiros substanciais para seus investidores - organizações filantrópicas e 
governamentais na maior parte - ou para si mesmo. Em vez disso, o empreendedor 
social busca valor na forma de benefícios transformacionais em grande escala, que 
se acumulam em um segmento significativo da sociedade ou na sociedade em geral. 
Ao contrário da proposição de valor empreendedora que assume um mercado que 
pode pagar pela inovação e pode até oferecer vantagens substanciais para os 
investidores, a proposta de valor do empreendedor social tem como alvo uma 
população carente, negligenciada ou altamente desfavorecida que não tem meios 
financeiros ou influência política para alcançar o benefício transformador por conta 
própria. Isso não significa que os empreendedores sociais, como regra fixa, evitem 
propostas lucrativas. O empreendimento social pode gerar renda, e pode ser 
organizado com ou sem fins lucrativos. 
O empreendedorismo social é formado por três componentes principais: 
1) A identificação de um equilíbrio estável, mas inerentemente injusto, que 
causa a exclusão, a marginalização ou o sofrimento de um segmento da humanidade 
que não tem meios financeiros ou influência política para alcançar qualquer benefício 
transformador para si; 
2) A identificação de uma oportunidade nesse equilíbrio injusto, desenvolvendo 
uma proposição de valor social e trazendo inspiração, criatividade, ação direta, 
coragem e fortaleza, desafiando assim a hegemonia do estado estável; 
3) Criar um novo equilíbrio estável que libere o potencial inexplorado ou alivie 
o sofrimento do grupo alvo, por meio da criação de um ecossistema estável, 
assegurando um futuro melhor para o grupo alvo e até para a sociedade em geral. 
5 
 
 
 
 
O que diferencia o empreendedorismo comum do empreendedorismo social é 
simplesmente a motivação - o primeiro grupo é estimulado pelo dinheiro; o segundo, 
pelo altruísmo. Mas, de acordo com Roger L. Martin & Sally Osberg, a verdade é que 
os empreendedores raramente são motivados pela perspectiva de ganho financeiro, 
porque as chances de ganhar muito dinheiro são raras. Para ele, tanto o 
empreendedor comum quanto o empreendedor social são fortemente motivados pela 
oportunidade que identificam, perseguindo implacavelmente essa visão e obtendo 
considerável recompensa psíquica do processo de realização de suas ideias. 
Independente de operarem em um mercado ou em um contexto sem fins lucrativos, a 
maioria dos empreendedores nunca é totalmente compensada pelo tempo, risco e 
esforço. 
O empreendedorismo ambiental ou verde, começou a surgir quando os clientes 
começaram a se atentar para os danos ambientais causados pelas empresas, 
buscando, de alguma forma, consumir de maneira consciente produtos 
ecologicamente amigáveis (PASTAKIA, 1998), ao mesmo tempo em que a escassez 
de recursos naturais começou a ficar cada vez mais evidente em escala global 
(ALLEN; MALIN, 2008). Possui características como incentivar ou promover ações 
diretas na preservação do meio ambiente e no desenvolvimento sustentável. 
E, neste cenário, existem empresas startup. Segundo Gitahy (2011) o 
empreendedorismo startup se popularizou na década de 90, quando surgiu a bolha 
da internet nos Estados Unidos, mas só passou a ser conhecido no Brasil nos anos 
de 1999 a 2001, quando as empresas (.com) passaram a atuar no mercado eletrônico. 
Russell (1999), afirma que a prática do intraempreendedorismo tem sido o foco de 
crescente atenção não só dos executivos como também dos acadêmicos. Isto mostra 
que inovação e sustentabilidade andam juntos há anos, pois a percepção das pessoas 
quanto à interação com o meio ambiente e seus impactos aumentou e ações 
sustentáveis são mais comuns e valorizadas. 
Significava um grupo de pessoas trabalhando com uma ideia diferente que, 
aparentemente, poderia fazer dinheiro. Além disso, "startup" sempre foi sinônimo de 
iniciar uma empresa e colocá-la em funcionamento. 
Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial 
pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa 
inovadora com custos de manutenção

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.