A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
PRÁXIS 1 - MÉTODOS E SISTEMAS DE CUSTEIO - ALGUÉM TEM A RESPOSTA?

Pré-visualização | Página 1 de 1

DISCIPLINA
	Métodos e Sistemas de Custeio
	PROFESSOR
	Pedro Cláudio da Silva
Cenário
A Teoria das Restrições, também denominada de TOC (Theory of Constraints) é um desenvolvimento relativamente recente no aspecto prático da tomada de diversas decisões organizacionais nas quais existem restrições. A TOC foi inicialmente descrita pelo Dr. Eliyahu Goldratt em seu livro, A Meta.
Uma restrição é qualquer coisa numa empresa que a impede ou limita seu movimento em direção aos seus objetivos. É claro que a aplicação da TOC requer uma apropriada definição dos objetivos a serem atingidos. Para a maior parte das empresas, o objetivo principal é o lucro presente e sua sustentabilidade no futuro. Existem dois tipos básicos de restrições: físicas e não-físicas. As restrições físicas na maior parte das vezes estão relacionadas a recursos: máquinas, equipamentos, veículos, instalações, sistemas etc. As restrições não-físicas podem ser a demanda por um produto, um procedimento corporativo ou mesmo um paradigma mental no encaminhamento de um problema.
Numa empresa industrial, a TOC envolve três indicadores de desempenho que permitem avaliar se o conjunto das operações está se movendo em direção aos objetivos (lucro):
· Rentabilidade: é a taxa pela qual a empresa constrói seu lucro através da comercialização de seus produtos. Em essência, a rentabilidade de um produto poderia ser aproximada pela margem de contribuição (preço de venda – custo variável das matérias-primas). Os custos de mão de obra e outros custos fixos são considerados como parte das despesas operacionais;
· Despesas operacionais: todo o dinheiro gasto pela empresa na conversão de seus estoques em margem de contribuição;
· Estoques: todo o dinheiro imobilizado pela empresa em coisas que podem ou poderiam ser comercializadas. Os estoques incluem não apenas os itens convencionais (matérias-primas, produtos em processamento e produtos acabados), mas também edifícios, terras, veículos, equipamentos. Não é incluído nos estoques, portanto, o valor do trabalho adicionado aos estoques dos produtos em processamento.
Percebe-se que a TOC possui uma ligação bastante forte com a contabilidade gerencial, especificamente com a abordagem de custeio pela margem de contribuição. Está claro que a utilização dos princípios geralmente aceitos na contabilidade financeira ou para fins legais pode levar a decisões sub ótimas,
basicamente pela necessidade de alocar e ratear todos os custos fixos aos centros de custo, os quais, eventualmente, podem ser restrições.
A TOC tem sido aplicada em três diferentes níveis de tomada de decisão: gerência da produção, na resolução de problemas relacionados aos gargalos, à programação e à redução dos estoques; análise de rentabilidade, levando à mudança de decisões baseadas em custo para decisões baseadas na melhoria contínua das operações que afetam a rentabilidade; e, gestão de processos, na identificação de fatores organizacionais, que não são necessariamente recursos, que impedem as empresas de atingirem seus objetivos.
São cinco os passos para aplicação da TOC:
· Identificar a restrição do sistema. Numa empresa industrial, a restrição pode ser o tempo disponível ou a capacidade de uma máquina, de um departamento ou de uma estação de trabalho. Para empresas de serviços ou de alta tecnologia, a restrição pode ser o tempo disponível dos funcionários mais capacitados;
· Calcular a rentabilidade por unidade de recurso consumida na restrição. Este valor é obtido pela divisão da rentabilidade ou margem de contribuição unitária pelo consumo de recursos da restrição para produzir um produto. A chave para maximizar o lucro é concentrar na produção e na comercialização de produtos com a maior rentabilidade por unidade de recurso consumida na restrição;
· Subordinar o sistema à restrição. Os recursos e estoques devem ser gerenciados de modo a prover exatamente o necessário para atingir os objetivos definidos para a restrição. Este passo pode implicar na ociosidade de recursos que não são restrições. Normalmente o sistema é subordinado a restrição através de um método de programação e controle da produção chamado de Tambor-Pumão-Corda (Drum-Buffer-Rope ou DBR);
· Romper ou elevar a restrição do sistema. Através da melhoria contínua das operações, da aquisição de capacidade ou de flutuações na demanda, por exemplo, a restrição do sistema pode ser rompida ou elevada, de modo que a esta restrição deixe de sê-lo. Uma nova restrição física ou não física, interna ou externa, assumirá o papel da restrição anterior;
· Identificar a nova restrição do sistema caso a restrição seja rompida.
Deve ser observado, no entanto, que a implementação da TOC pode exigir uma mudança substancial na maneira com que a empresa opera.
Fonte: https://www.ilos.com.br/web/teoria-das-restricoes-principais-conceitos-e-aplicacao-pratica/
O Caso
Uma empresa produz e vende, normalmente, todas as unidades de seus produtos por mês, atendendo 100% da demanda. Os artigos são classificados como de luxo e destinados à população de alta renda. A matéria-prima principal (lã) é importada e a mão-de-obra direta é qualificada.
Tabela 1 - Preços médios praticados pela empresa e demanda máxima do mercado
	Produtos
	Preço de Venda
	Demanda (unid./mês)
	
Cobertores de Casal (CC)
	
150,00
	
15.000
	
Cobertores de Solteiro (CS)
	
125,00
	
10.000
	
Mantas de Casal (MC)
	
130,00
	
8.000
	
Mantas de Solteiro (MS)
	
100,00
	
5.000
Tabela 2 - Padrões físicos de Mão de Obra Direta (MOD) e de Matéria Prima (MP) por unidade
	Produtos
	Quantidade de Lã (kg)
	Tempo de MOD (h)
	
Cobertores de Casal (CC)
	
2,60
	
2,50
	
Cobertores de Solteiro (CS)
	
1,50
	
1,50
	
Mantas de Casal (MC)
	
2,50
	
1,80
	
Mantas de Solteiro (MS)
	
1,20
	
1,00
Tabela 3 - Estrutura básica-padrão de custos e despesas
	
Matéria Prima ($/kg)
	
20,00
	
Mão de Obra Direta: salário dos operários ($/h)
	
6,00
	Comissões sobre a receita líquida
	10,00%
	
Despesas Administrativas gerais (fixas) - $/mês
	
100.000,00
	
Despesas comerciais (fixas) - $/mês
	
75.000,00
	
Custos Fixos - $/mês
	
615.000,00
Tabela 4 - Outros Dados
	. Sobre a receita bruta incidem tributos de
	25,00%
	. No preço da recuperáveis de
	matéria
	prima
	estão
	inclusos
	tributos
	
20,00%
	. O ônus de encargos sociais sobre MOD é de
	100,00%
Subsídios
1. Para auxiliar a solução do case é recomendável a leitura dos capítulos 15 e 16 do livro Contabilidade de Custos, do Prof. Eliseu Martins.
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 11ª ed. São Paulo: Atlas, 2018. Capítulos XV e XVI, p. 161
– 184.
https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788597018080/cfi/6/52!/4@0:0
2. Abaixo, segue algumas fórmulas para os cálculos necessários:
· Cálculo do custo unitário da matéria-prima: [(Quantidade Matéria Prima lã Kg/unidade x $MPKg) x (1 – %tributos recuperáveis)]
· Cálculo do custo unitário da MOD: [(Tempo de Mão de Obra h/unidade x $MOD) x (1 + %encargos sociais)]
3. O anexo I traz as planilhas de auxílio aos cálculos.
QUESTÕES

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.