Tutoria_SP4
8 pág.

Tutoria_SP4


DisciplinaTutoria520 materiais570 seguidores
Pré-visualização3 páginas
1. Discorrer sobre mortalidade infantil no Brasil, tendência atual, causas 
Uma coisa impressionante é que 70% das mortes no Brasil poderiam ter sido 
evitadas (Falta de atenção às mulheres durante a gestação é causa de 41% dos 
óbitos infantis evitáveis) 
Em 2018 teve até um esboço de um plano de enfrentamento para a redução da 
mortalidade, por meio de um trabalho conjunto do Ministério da Saúde com o 
Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e o Conselho 
Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Ainda em construção, o Plano tem 
como um dos objetivos reduzir a mortalidade infantil no país. 
2. Identificar os fatores que colaboram para aumentar ou prevenir a mortalidade 
infantil 
Causas: 
\u2022 falta de assistência e de instrução às gestantes 
\u2022 desnutrição 
\u2022 déficit nos serviços de saneamento ambiental: A ausência de saneamento 
provoca a contaminação da água e dos alimentos, podendo desencadear 
doenças como a hepatite A, malária, febre amarela, cólera, diarreia. 
Prevenção: 
\u2022 acabar com a fome e a miséria 
\u2022 aumentar o acesso ao saneamento básico (água e esgoto tratados) 
\u2022 melhorar a instrução das mulheres 
\u2022 dar à população de baixa renda mais acesso a serviços de saúde de 
qualidade 
\u2022 aumentar as campanhas de conscientização sobre a importância da 
vacinação, da reidratação oral e do aleitamento materno (Há evidências de 
que o aleitamento materno é a estratégia isolada de maior impacto na 
mortalidade na infância, com capacidade de reduzir em 13% as mortes de 
crianças menores de cinco anos por causas preveníveis em todo o mundo.) 
o O brasil tem o maior e mais complexo rede de banco de leite do 
mundo (hoje temos 219 bancos de leite espalhados pelo Brasil) 
\u25aa Entretanto uma ampliação desse programa para fortalecer 
mais o ambiente de aleitamento materno 
\u2022 investir em pesquisas médicas 
3. Exemplificar e descrever as principais doenças exantemáticas na infância 
\u2022 Sarampo 
o Infecção viral que é grave para crianças pequenas, mas de fácil 
prevenção por meio de vacina. 
o Transmissão 
\u25aa A doença se espalha pelo ar por gotículas respiratórias 
produzidas ao tossir ou espirrar. 
o Sintomas 
\u25aa febre acompanhada de tosse; 
\u25aa irritação nos olhos; 
\u25aa nariz escorrendo ou entupido; 
\u25aa falta de apetite; 
\u25aa mal-estar intenso. 
\u25aa Nesse período podem ser observadas, na parte interna das 
bochechas, manchas brancas que são características da 
doença. Em 3 a 5 dias, podem aparecer outros sinais e 
sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das 
orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o 
aparecimento das manchas vermelhas, a persistência da febre 
é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente 
em crianças menores de 5 anos de idade. 
\u2022 Rubéola 
o Infecção viral contagiosa evitável por vacina e conhecida pela sua 
erupção vermelha característica. 
o Transmissão 
\u25aa A doença pode se espalhar pelo contato direto com a saliva ou 
o muco de uma pessoa infectada ou pelo ar, por meio de 
gotículas respiratórias produzidas ao tossir ou espirrar 
o Os sintomas costumam aparecer de duas a três semanas após a 
exposição, e também incluem febre baixa e dor de cabeça. 
o Brasil recebeu o certificado de eliminação em 2015 
\u2022 Escarlatina 
o Doença bacteriana que se desenvolve em algumas pessoas que têm 
faringite estreptocócica (Estreptococos são microrganismos aeróbios 
Gram-positivos que causam muitos distúrbios, incluindo faringite, 
pneumonia, infecções em feridas e na pele, sepsia e endocardite.) 
o Sintomas 
\u25aa Início súbito com calafrios e febre alta nos primeiros dias, que 
vai baixando aos poucos nos dias subsequentes até 
desaparecer; 
\u25aa Dor de garganta intensa; 
\u25aa Erupção cutânea (exantemas): Pequenas manchas vermelho-
escarlate de textura áspera na pele que aparecem inicialmente 
no tronco, depois tomam a face, o pescoço, os membros, 
axilas e virilha, mas poupam as palmas das mãos, as plantas 
dos pés e ao redor da boca. 
\u2022 Exantema súbito 
o Infecção viral comum em crianças pequenas que pode causar febre 
alta e uma irritação na pele. 
o É comum e costuma afetar crianças de dois anos de idade. 
o O sintoma inicial é a febre alta (38ºC a 40ºC) durante três ou quatro 
dias. À medida que ela vai caindo, surge uma erupção cutânea 
(maculo pápulas rosadas), que se concentra mais no tronco e menos 
na face e nos membros, e desaparece em dois ou três dias. 
\u2022 Eritema infeccioso 
o doença exantemática (provoca erupções vermelhas) infecciosa, 
causada pelo parvovírus humano B19 
o No início, a infecção pode ser assintomática. Se surgirem, os 
primeiros sintomas são febre baixa, dor de cabeça e no corpo, mal-
estar, coceira. Os sinais mais característicos, porém, são a palidez ao 
redor da boca e as manchas em forma de maculo pápulas que 
deixam as bochechas muito vermelhas, em forma de asa de 
borboleta ou como se a pessoa tivesse levado um tapa. 
o Depois de um ou dois dias, a erupção se espalha pelo tronco, pernas, 
braços, extremidades, e desaparece, mas pode recidivar nas áreas 
expostas à luz solar, com as mudanças bruscas de temperatura, sob 
estresse ou esforço físico. 
\u2022 Varicela 
o Infecção viral altamente contagiosa que causa uma irritação cutânea 
com bolhas na pele. 
o A varicela é altamente contagiosa para quem ainda não teve a 
doença ou não foi vacinado contra ela. 
o Sintomas 
\u25aa manchas vermelhas e bolhas no corpo; 
\u25aa mal-estar; 
\u25aa cansaço; 
\u25aa dor de cabeça; 
\u25aa perda de apetite; 
\u25aa febre baixa. 
o As bolhas surgem inicialmente na face, no tronco ou no couro 
cabeludo, se espalham e se transformam em pequenas vesículas 
cheias de um líquido claro. Em poucos dias o líquido escurece e as 
bolhas começam a secar e cicatrizam. Este processo causa muita 
coceira, que pode infeccionar as lesões devido a bactérias das unhas 
ou de objetos utilizados para coçar. 
4. descrever os principais quadros infecciosos de diarreia encontrados na 
infância diferenciando-os quanto ao agente, localização e mecanismos 
Diarreia osmótica (Geralmente causada por Vírus) 
\u2022 A presença de enteropatógenos causa lesão do endotélio. 
\u2022 Diminuição das dissacaridases (enzimas que quebram açúcar). 
\u2022 Sobra açúcar na luz intestinal e é fermentado pela flora intestinal. 
\u2022 Produção de ácidos orgânicos e gases. 
\u2022 Aumento da osmolaridade luminal: puxa líquido, deixando a diarreia 
volumosa, líquida e explosiva. 
\u2022 Apresentação da diarreia osmótica: fezes ácidas e hiperosmolares, 
explosivas, 
\u2022 Substâncias redutoras presentes, distensão abdominal, cólicas abdominais, 
hiperemia da região anal. 
Diarreia exsudativa (Geralmente causada por bactérias) 
\u2022 A presença de toxina pode agir sobre o metabolismo da célula 
\u2022 Lesão da célula: enterócito sendo lesado 
\u2022 Consequentemente: diarreia com muco, pus e sangue, cólica, dor. Pouco 
volume, mais vezes. 
\u2022 Apresentação da diarreia secretora: fezes disentéricas, em pequenos 
volumes com muco, pus e sangue. 
 
5. Listar as principais doenças respiratórias neonatais 
Síndrome do desconforto respiratório 
A SDR é a afecção respiratória mais frequente no RN pré-termo, sendo mais comum nos 
RN prematuros com menos de 28 semanas de gestação, do sexo masculino, em filhos de 
mãe diabética e nos que sofreram asfixia ao nascimento. A deficiência quantitativa e 
qualitativa do surfactante alveolar é a principal causa da SDR. 
Taquipneia transitória do RN 
O pulmão fetal contém em seu interior líquido secretado pelo epitélio respiratório desde o 
período canalicular (17ª semana gestacional). O líquido pulmonar exerce pressão de 
distensão sobre as vias aéreas, que é um estímulo essencial para seu desenvolvimento e 
crescimento, em particular da porção respiratória ou ácino. Ao final da gestação, a sua 
produção é de 4 a 5 mL/kg por hora, alcançando o volume de 25 a 30mL/kg. Durante o 
processo de nascimento ocorrem alterações cardiopulmonares importantes. Cessa a 
produção