A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
SIMULADO AV FILOSOFIA JURIDICA

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 QUESTÃO 
Etimologicamente, a palavra "Filosofia" é definida como "amor a sabedoria" 
Historicamente, a sua criação é atribuída a 
 
 
 
Anaxímenes, séc. VI a.C. 
 
Xenófanes de Cólofon, séc. VI a.C. 
 
Tales de Mileto, séc. VII a.C. 
 
Pitágoras, séc. VI a.C. 
 
Anaximandro, séc. VII a.C. 
 
 
2 QUESTÃO 
O Professor Fábio Konder Comparato afirma que "O verdadeiro curso de Direito não 
é uma simples preparação ao exercício profissional. É uma preparação para a vida" (O 
que é a Filosofia do Direito? Manole, 2004), destacando a importância da Filosofia para 
o ensino e aprendizado do Direito. A luz de tal consideração, podemos afirmar que, 
de fato, a Filosofia do Direito é importante, de diversas formas, para a formação do 
jurista, não sendo correto afirmar, todavia, que: 
 
 
 
C) a Filosofia nos desperta para a mera literalidade de toda a discussão sobre justiça, 
demonstrando que ela não tem aplicação na vida prática. 
 
A) a Filosofia nos obriga a refletir sobre a relação entre Moral e Direito; 
 
D) a Filosofia nos dá ciência da extrema complexidade do ser humano, com o que, a todo 
momento, teremos de lidar na vida profissional. 
 
E) a Filosofia nos permite eleger o modelo, o critério que pode ser apresentado ou utilizado para 
fundamentar a validade do Direito, a vigência do Direito ou a eficácia do Direito. 
 
B) a Filosofia deixa a descoberto a contraposição entre justiça e realismo, impedindo que 
sejamos vitimados pelo desprezo ou cinismo latente em relação às mazelas da vida. 
 
3 QUESTÃO 
A Justiça é uma espécie de meio-termo, não no mesmo sentido das outras virtudes, mas porque se 
relaciona com uma quantia ou quantidade intermediária, enquanto a injustiça se relaciona com os 
extremos. E Justiça é aquilo em virtude do qual se diz que o homem justo pratica, por escolha própria, o 
que é justo [...]. Esse trecho, extraído de uma obra clássica da Filosofia ocidental, trata de uma discussão 
da Justiça considerada como: 
 
 
 
Virtude, dentro do pensamento ético de Aristóteles. 
 
Simetria, dentro da Filosofia estética de Platão. 
 
Medida, dentro da concepção rigorosa e positivista de Hans Kelsen. 
 
Nenhuma das respostas 
 
Valor, no tridimensionalismo de Miguel Reale. 
 
4 QUESTÃO 
São características do Direito positivo, EXCETO: 
 
 
 
A ideia do Direito concebido como um sistema fundamental. 
 
As normas necessitam do respaldo da força para serem impostas, seja no 
sentido da regulação e organização desta força (estatal). 
 
Direito como sinônimo de ideal de justiça e moralmente perfeito. 
 
O Direito deve funcionar como conjunto ordenado de normas que 
formam uma unidade plena e carente de contradições. 
 
Estabelece uma concepção rigorosamente estatalista do Direito, que 
atribui à lei quase o monopólio da produção jurídica (legalismo). 
 
5 QUESTÃO 
Para Hobbes, o estado de natureza: 
 
 
 
é um estado de paz com guerra e paz ao mesmo tempo. 
 
é idêntico ao estado de guerra. 
 
faz homens livres e responsáveis pelas próprias ações. 
 
implica a liberdade para cada um fazer o que bem lhe aprouver. 
 
é um estado de paz, de harmonia e de assistência mútua. 
 
6 QUESTÃO 
Para Immanuel Kant, o indivíduo moral não visa à felicidade em suas ações, mas ao cumprimento do 
dever que o torna digno dela. Em sua obra Fundamentação da metafísica dos costumes, ele afirma que a 
busca por assegurar a própria felicidade seria um dever indireto, por quê: 
 
 
 
Nenhuma das respostas. 
 
Consistiria na realização do propósito da natureza para o homem. 
 
Afastaria a tentação para a transgressão dos deveres decorrente do sofrimento. 
 
Faria coincidir liberdade e natureza na condição humana. 
 
Atestaria que há uma ordem moral no mundo. 
 
7 QUESTÃO 
É uma característica fundamental da teoria da justiça de John Rawls, na 
Interpretação de Roberto Gargarella: 
 
 
 
 
 
 
A eleição de um rol determinado e imutável de bens de vida que deve 
estar disponível a todos os membros da sociedade, em qualquer época. 
 
 
Minimização do papel do Estado junto à sociedade, cuja intervenção 
deve reservar-se a corrigir ilegalidades patentes. 
 
 
A concepção de um Estado que privilegie a meritocracia, eis que é 
necessário recompensar adequadamente o esforço individual que, se 
utilizado em todo seu potencial, terminará por favorecer toda a 
sociedade. 
 
A ideia de que a herança, por exemplo, só é justificável se fizer parte de 
um esquema que melhora as expectativas dos membros menos 
favorecidos da sociedade. 
 
 
Utilitarismo, na forma da postura que considera um ato como correto 
quando maximiza a felicidade geral. 
 
8 QUESTÃO 
Leia o texto a seguir. 
A utilização da Internet ampliou e fragmentou, simultaneamente, os nexos de comunicação. Isto 
impacta no modo como o diálogo é construído entre os indivíduos numa sociedade democrática. 
(Adaptado de: HABERMAS, J. O caos da esfera pública. Folha de São Paulo, 13 ago. 2006, 
Caderno Mais!, p.4-5.) 
A partir dos conhecimentos sobre a ação comunicativa em Habermas, considere as afirmativas a 
seguir. 
I.A manipulação das opiniões impede o consenso ao usar os interlocutores como meios e 
desconsiderar o ser humano como fim em si mesmo. 
II.A validade do que é decidido consensualmente assenta-se na negociação em que os 
interlocutores se instrumentalizam reciprocamente em prol de interesses particulares. 
III. Como regra do discurso que busca o entendimento, devem-se excluir os interlocutores que, de 
algum modo, são afetados pela norma em questão. 
IV. O projeto emancipatório dos indivíduos é construído a partir do diálogo e da argumentação que 
prima pelo entendimento mútuo. 
Assinale a alternativa correta. 
 
 
 
Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. 
 
Somente as afirmativas II e IV são corretas. 
 
Somente as afirmativas I, II e III são corretas 
 
Somente as afirmativas I e II são corretas. 
 
Somente as afirmativas I e IV são corretas 
 
9 QUESTÃO 
Deodontologia é uma parte da Filosofia que trata dos princípios, fundamentos e sistemas 
de moral. Uma teoria ética considerada unicamente em dever e direitos, onde se tem uma 
obrigação moral imutável de se respeitar um conjunto de princípios definidos. 
Desta forma é correto afirmar que: 
 
 
 
Os fins de qualquer ação nunca justificam o meio neste sistema ético. 
 
 
Os fins de qualquer ação sempre justificam os meios neste sistema 
ético. 
 
 
Os fins de qualquer ação podem justificar o meio neste sistema ético. 
 
Os fins de qualquer ação às vezes justificam os meios neste sistema 
ético. 
 
 
Os fins de qualquer ação justificam o meio neste sistema ético. 
 
1O QUESTÃO 
 
Ana Lucia Sabadell (Manual de Sociologia Jurídica ¿ Introdução a uma leitura 
externa do Direito,São Paulo,Revista dos Tribunais, 5ª ed., 2010), divide em 
quatro concepções as modernas teorias do pluralismo jurídico.Leia os excertos 
acima,que sintetizam as quatro referidas concepções e, em seguida, assinale a 
alternativa cujas referências mais se aproximam de uma correta ilustração ou 
exemplificação da classificação proposta por Sabadell: 
 
 
 
"interlegalidade/pós-modernismo jurídico", "multiculturalismo/direito à 
diferença", "supranacionalidade/globalização" e "positivismo jurídico de 
combate", respectivamente. 
 
"positivismo jurídico de combate", "multiculturalismo/direito à diferença", 
"interlegalidade/pós-modernismo jurídico" e 
"paralegalidade/informalidade/"direito achado na rua", respectivamente; 
 
"interlegalidade/pós-modernismo jurídico", "direito natural", 
"supranacionalidade/globalização", "paralegalidade/informalidade/direito achado 
na rua", respectivamente; 
 
"direito natural", "interlegalidade/pós-modernismo jurídico", 
"supranacionalidade/globalização" e "paralegalidade/informalidade/"direito 
achado na rua", respectivamente; 
 
"interlegalidade/pós-modernismo jurídico",

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.