A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
Apostila Certificação Aneps

Pré-visualização | Página 9 de 20

Juro autorizado por lei. Está previsto no novo Código Civil, fixado segundo a taxa que estiver em vigor para a mora do pagamento de impostos devidos à Fazenda Nacional
2.2.3 O juro simples
O regime dos juros simples, a taxa de juros é aplicada sobre o principal (valor emprestado) de forma linear, ou seja, não considera que o saldo da dívida aumenta ou diminui conforme o passar do tempo.
No juro simples, a taxa de juros é aplicada sobre o valor principal de um empréstimo ou financiamento.
Exemplo: empresta-se R$ 1.000,00, ao juro de 2% ao mês, durante 6 meses.
	F = P (1 + i.n)
Onde:
· P = valor presente do empréstimo
· F = valor futuro do empréstimo
· I = taxa de juro em decimais
· N = número de períodos (meses, anos)
Teremos:
F = 1.000 (1 + 0,02 x 6) =
= 1.000 (1 + 0,12) =
= 1.000 x 1,12 = 1.120
2.2.4 O juro composto
No regime de juros compostos (também chamado de regime de juros sobre juros), os juros de cada período são somados ao capital para o cálculo de novos juros nos períodos seguintes.
Nesse caso, o valor da dívida é sempre corrigido e a taxa de juros é calculada sobre esse novo valor, como mostra a planilha abaixo.
Exemplo:
Seja um empréstimo de 1.000, juro composto de 2% (0,02), prazo de 6 meses.
Este empréstimo seria planilhado na forma a seguir:
	Período
	Principal
	Juro
	Total
	Jan
	1.000,00
	20,00
	1.020,00
	Fev
	1.020,00
	20,40
	1.040,40
	Mar
	1.040,40
	20,81
	1.061,21
	Abr
	1.061,21
	21,22
	1.082,43
	Mai
	1.082,43
	21,65
	1.104,08
	Jun
	1.104,08
	22,08
	1.126,16
Se fossem juros simples, o valor final seria de 1.120. No juro composto, esse valor torna-se 1,126,16.
Esta planilha transforma-se numa fórmula, que define o juro composto:
	F = P (1 + i)n
Onde:
· F= valor futuro
· P = valor presente
· i = taxa de juros em decimais
· n = período
Teremos:
F = 1.000 (1 + 0,02)6=
= 1.000 x 1,026 = 1.000 x 1,12616 =
= 1.126,16
2.2.5 O juro nominal e o juro real
Juro nominal é o valor contratado do juro, expresso num documento.
Juro real é a diferença entre o juro nominal e a inflação do período.
A avaliação do juro real depende de diferentes combinações de conceitos.
O analista deve selecionar:
· qual é a taxa de juro nominal, entre as taxas Selic, taxa futura ou a taxa de juros que atrai o investidor estrangeiro;
· qual é o índice de preços que mais convém à análise (IPCA ou IGP-M, ou ainda outro indicador relevante);
· qual é a taxa de inflação a ser descontada: inflação que já ocorreu ou a inflação projetada;
· qual o prazo a levar em conta na análise: seis meses, doze meses ou outro prazo.
A partir deste processo de seleção se constrói a taxa de juros real.
No modelo brasileiro, adiciona-se o conceito do juro real ex-ante, que resulta do desconto da expectativa de inflação projetada para um ano à frente, ou do juro ex-post, quando ele é calculado sobre a inflação passada.
Exemplo: consta de um contrato o juro nominal de 12% ao ano e conhece-se a taxa Selic de 7,25% ao ano.
O juro real da operação será 12% - 7,25% = 4,75% ao ano
2.2.6 O juro pré e o juro pós fixado
Num contrato de financiamento, podem ser fixadas duas formas de cobrança de juros:
	Juro pré-fixado
	Juro calculado sobre o capitalinicial
	Juro pós-fixado
	Juro calculado sobre o montante final
 
O juro pré-fixado tem formato simplificado: basta fixá-lo no contrato.
Já o juro pós-fixado é normalmente adicionado a um indexador da economia, denominado no contrato de financiamento.
Exemplos:
	Pré
	prazo de X meses, juros de 3% ao mês.
	Pós
	prazo de X meses, indexado ao IPCA mais juros de 6% ao ano
2.2.7 Principais taxas do mercado financeiro
As principais taxas do mercado financeiro estão listadas a seguir:
	Taxa nominal
	parâmetro de comparação entre operações financeiras, o seu valor não é aplicado nos cálculo. O mesmo que taxa proporcional
	Taxa efetiva
	taxa apurada durante todo o prazo da operação financeira. Ela é construída pelo processo de formação exponencial da taxa nominal ao longo dos períodos de capitalização.
	Taxa Equivalente
	aquelas que produzem o mesmo montante ao final de um determinado período, pela aplicação de um mesmo capital inicial
Exemplo de taxa nominal:
· 18% ao ano, capitalizado mensalmente;
· 3% ao mês, capitalizado diariamente;
· 15% ao semestre, capitalizado bimestralmente.
Exemplo de taxa efetiva:
· 654,44% ao ano (taxa de cartão de crédito)
Exemplo de taxa equivalente:
· 15,99% ao mês, equivalente a 654,44% ao ano (taxa de cartão de crédito)
2.2.8 Pagamento de prestaçoes
Prestação é:
· o valor da amortização parcelada e periódica de um débito;
· o que o devedor deve pagar, em um contrato de financiamento.
O Banco Central do Brasil disponibiliza um simulador para livre acesso, no endereço abaixo conforme instruções na tela.
	https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormFinanciamentoPrestacoesFixas.do?method=exibirFormFinanciamentoPrestacoesFixas
Se o usuário clicar em "Metodologia", logo abaixo do simulador, encontrará a formulação matemática que calcula as prestações.
2.2.9 Indices de preços
Classificados como Índices Agregados Ponderados, são utilizados basicamente para determinar variações no custo de vida, sob diferentes condições de oferta de bens e serviços e demanda por faixas de renda da população.
Podem ser orientados a partir de preços de atacado praticados entre comerciantes ou preços de varejo pagos por consumidores finais.
Os índices mais utilizados no Brasil são:
· IGP – DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna, da FGV): média ponderada do IPC (30%) do Rio de Janeiro, IPA (60%) e INCC (10%), apurados no mês civil;
· IGP – M (Índice Geral de Preços de Mercado da FGV): o mesmo que IGP – DI, apurado entre 21 e 20 de cada mês;
· INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do IBGE): apurado por quatro vezes, durante o mês civil, entre famílias de faixas de renda de um a oito salários mínimos, cujo chefe é assalariado em sua ocupação principal e residente nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Belém, Fortaleza, Salvador, Curitiba, Goiânia e Brasília. O índice nacional é apurado a partir dos índices regionais, utilizando a média aritmética ponderada, onde a variável de ponderação é a população residente urbana;
· IPCA: (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Ampliado, do IBGE): utilizado pelo Banco Central para acompanhamento dos objetivos estabelecidos no sistema de metas de inflação. Semelhante ao INPC, mas referindo-se a famílias com rendimentos mensais compreendidos entre um e quarenta salários-mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e residentes nas áreas urbanas das mesmas regiões. O índice nacional é apurado a partir dos índices regionais, utilizando a média aritmética ponderada, onde a variável de ponderação é o rendimento total urbano.
O site do Banco Central oferece uma Calculadora do Cidadão com procedimentos de cálculo e exemplos dos principais índices brasileiros, no endereço:
	https://www3.bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/exibirFormCorrecaoValores.do?method=exibirFormCorrecaoValores
Se acessar "Metodologia" verá a fórmula de cálculo para chegar aos valores.
2.3 Finanças pessoais
2.3.1 Controle de qualidade do cadastro
A pessoa que procura uma empresa correspondente para realizar uma operação de crédito deve ter em mente a necessidade de estar com sua situação cadastral livre de problemas.
O agente de correspondente deve orientar seus clientes a fim de ter sempre um cadastro à prova de problemas.
Um check list dessa situação pode ser observado nos itens a seguir:
	Avalizar
	Cuide de evitar dar aval e comprometer-se com fiança em operações de crédito de outra pessoa.
	Cartões de crédito
	· Trabalhe com poucos cartões
· Tenha saldos pré-aprovados de valor baixo
· Procure sempre pagar a fatura integral
· Se não der, pague acima do pagamento mínimo
· Esteja atento para a taxa de juros do rotativo dos cartões
· Deixe cartões em casa. Saia apenas com aquele que você precisará usar
· Esteja atento para ofertas de liquidação parcelada