Buscar

Oficina Literária Exercícios e Simulado I

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 42 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 1a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A1_202001284265_V1 04/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
O poema abaixo faz parte do livro Rosácea (1986), da escritora Orides Fontela. Leia-o atentamente:
 Lembretes
 "É importante acordar a tempo é importante penetrar o tempo é importante vigiar o desabrochar do destino."
(FONTELA, Orides. Trevo (1969-1988). São Paulo: Duas Cidades, 1988.)
A sequência dos "lembrete" torna-se complexa ao longo do poema por meio de metáforas cada vez mais abstratas.
Aponte qual o possível significado metafórico da expressão "vigiar/o desabrochar do destino", na última estrofe:
 
Atentar para a fase madura da existência
Viver a vida em função do futuro
Decidir sempre em função da velhice
Esquecer o passado em função do futuro
 Conscientizar-se da vida como um todo
Respondido em 04/09/2020 02:02:24
 
 
Leia a declaração João Cabral de Melo Neto, poeta pernambucano, sobre a função de seus textos:
 "Falo somente com o que falo: a linguagem enxuta, contato denso; falo somente do que falo: a vida seca, áspera e clara
do sertão; falo somente por quem falo: o homem sertanejo sobrevivendo na adversidade e na míngua. Falo somente para
quem falo: para os que precisam ser alertados para a situação da miséria no Nordeste."
De acordo com as palavras do autor, percebe-se a profunda e enriquecedora relação entre:
O autor e a realidade sertaneja
 O autor, a realidade e o leitor
O autor e o leitor somente
O autor e a sua história de vida
O autor e seus gostos pessoais
Respondido em 04/09/2020 02:03:29
Gabarito
 Comentado
 
 
 Questão1
 Questão2
3
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
A estrofe abaixo foi retirada de um dos sonetos camonianos mais conhecidos. Leia com atenção e responda ao
questionamento proposto.
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
Podemos perceber que o texto acima é um texto literário, pois:
 
É predominantemente referencial
É dotado de caráter objetivo
É isento de emotividade
É composto por uma narrativa
 É composto por uma linguagem poética
Respondido em 04/09/2020 02:04:12
Gabarito
 Comentado
 
 
Qual das alternativas é a definição efetiva de DENOTAÇÃO?
 Uso da palavra em seu sentido literal, real. Tal como se apresenta no dicionário.
É a omissão das palavras para que o interlocutor invente a sua ocorrência
Uso da palavra para decorar textos, sem quakquer compromisso com o sentido
Uso subjetivo de palavras que ajustam o seu significado ao contexto onde estão empregadas
É utilização da palavra em ambientes de escrita técnica e regional.
Respondido em 04/09/2020 02:04:54
Gabarito
 Comentado
 
 
O texto pode ser classificado como:
um elemento do processo comunicativo que apresenta um entrelaçamento de pontuação sofisticadamente
empregada
um elemento do processo comunicativo que apresenta um entrelaçamento de ideias, sem compromisso com a
sua extensão final
 um elemento do processo comunicativo que apresenta um entrelaçamento de ideias, as quais são costuradas
através das palavras.
um elemento do processo comunicativo que apresenta um entrelaçamento de idéias desconexas.
um elemento do processo comunicativo que apresenta um desapego pela significação e com a lógica
Respondido em 04/09/2020 02:05:58
Gabarito
 Comentado
 
 
Leia o poema abaixo, pensando na relação texto/ autor e responda.
 O último pajé
Cheio de angústia e de rancor, calado, Solene e só, a fronte carrancuda, Morre o velho Pajé, crucificado Na sua dor,
tragicamente muda. Vê-se-lhe aos pés, disperso e profanado, O troféu dos avós: a flecha aguda, O terrível tacape
ensangüentado, Que outrora erguia aquela mão sanhuda. Vencida a sua raça tão valente, Errante, perseguida
 Questão
 Questão4
 Questão5
 Questão6
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
cruelmente, Ao estertor das matas derrubadas! 'Tupã mentiu!' e erguendo as mãos sagradas, Dobra o joelho e a calva
sobranceira Para beijar a terra brasileira."
Péthion de Villar.( A morte do pajé. 1978.)
Com base na leitura de todo o poema, o sentido que a expressão "Na sua dor, tragicamente muda" refere-se a:
A suave adaptação do índio após a colonização
A incapacidade do índio de demonstrar as suas insatisfações
 A opressão e o abandono sofridos pelo índio.
A dolorosa adaptação do branco ao modo de vida do índio
A silenciosa e pacificada tática de resistência aos brancos desenvolvida pelo índio
Respondido em 04/09/2020 02:09:57
Gabarito
 Comentado
 
 
Ao considerar que o verbo grego Poïen é a essência da arte poética clássica, da qual deriva a Poïesis grega, marque a
alternativa que não pertence ao seu contexto semântico:
 É o ato de imitar a realidade por meio da palavra.
É o ato de produzir a realidade por meio da palavra.
É o ato de compor a realidade por meio da palavra.
É o ato de fabricar a realidade por meio da palavra.
É o ato de construir a realidade por meio da palavra.
Respondido em 04/09/2020 02:10:54
 
 
Considere o fragmento a seguir, retirado do livro Oficina Literária de Alessandra Fávero
(Rio de Janeiro, SESES, 2014, p. 29) e depois escolha a alternativa correta:
"Por que é impossível dar uma "definição definitiva" de literatura? O problema parece girar
em torno de duas posições teóricas distintas: uma que defende a especificidade da
literatura, especificidade que estaria localizada exclusivamente na forma, ou seja, no tipo
especial de linguagem que a literatura parece representar quando comparada aos outros
tipos de textos, cuja linguagem é simples, comum, habitual, trivial. A outra posição é
aquela que não enxerga a literatura como uma dimensão isolada das outras esferas da vida
humana. Para essa segunda posição, é preciso levar em conta o conteúdo dos textos
literários para se definir o que é literatura. Avaliar o conteúdo significa abandonar a ideia
de que somente a forma é relevante para caracterizar o literário."
existe um consenso de que a literatura deve ser definida a partir de seu conteúdo.
existe um consenso de que a literatura deve ser definida a partir de seus aspectos
formais.
a literatura é considerada definitivamente indefinível e, por conseguinte, qualquer
tentativa de conhecimento é inútil e fadada ao fracasso.
todos concordam que a literatura deva ser pensada como expressão da subjetividade
do autor.
 posições teóricas distintas levam a considerar o fenômeno literário de diferentes
perspectivas.
Respondido em 04/09/2020 02:13:15
 
 
Explicação:
A resposta correta é: posições teóricas distintas levam a considerar o fenômeno literário de
diferentes perspectivas.
 Questão7
 Questão8
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
javascript:abre_colabore('38403','203863839','4069525421');
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/3
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 2a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A2_202001284265_V1 05/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
O último pajé ¿Cheio de angústia e de rancor, calado, Solene e só, a fronte carrancuda, Morre o velho Pajé, crucificado Na
sua dor, tragicamente muda. Vê-se-lhe aos pés, disperso e profanado, O troféu dos avós: a flecha aguda, O terrível
tacape ensangüentado, Que outrora erguia aquela mão sanhuda. Vencida a sua raça tão valente, Errante, perseguida
cruelmente, Ao estertor das matas derrubadas! 'Tupã mentiu!' e erguendo as mãos sagradas,Dobra o joelho e a calva
sobranceira Para beijar a terra brasileira." Péthion de Villar. A morte do pajé. 1978. Após a leitura do poema acima,
podemos dizer que:
 Mesmo situando seu conteúdo num plano imaginário, idealizado, simbólico, o poema de Péthion não desfigura a
realidade em que se baseia
Mesmo situando seu conteúdo num plano imaginário, idealizado, simbólico, o poema de Péthion desfigura a
realidade em que se baseia
Mesmo situando seu conteúdo num plano imaginário, idealizado, simbólico, o poema de Péthion confirma a
realidade em que se baseia
Mesmo situando seu conteúdo num plano imaginário, idealizado, simbólico, o poema de Péthion inverte a
realidade em que se baseia
Mesmo situando seu conteúdo num plano imaginário, idealizado, simbólico, o poema de Péthion anula a realidade
em que se baseia
Respondido em 05/09/2020 03:56:58
 
 
Carta XIII ¿ Ao Rei D. João IV ¿ 4 de abril de 1654 "(...) Tornando aos índios do Pará, dos quais, como dizia, se serve
quem ali governa como se foram seus escravos, e os traz quase todos ocupados em seus interesses, principalmente no
dos tabacos, obriga-me a consciência a manifestar a V.M. os grandes pecados que por ocasião deste serviço se cometem.
Primeiramente nenhum destes índios vai senão violentado e por força, e o trabalho é excessivo, e em que todos os anos
morrem muitos, por ser venenosíssimo o vapor do tabaco: o rigor com que são tratados é mais que de escravos; os
nomes que lhes chamam e que eles muito sentem, feiíssimos; o comer é quase nenhum; a paga tão limitada que não
satisfaz a menor parte do tempo nem do trabalho; e como os tabacos se lavram sempre em terras fortes e novas, e
muito distante das aldeias, estão os índios ausentes de suas mulheres, e ordinariamente eles e elas em mau estado, e os
filhos sem quem os sustente, porque não têm os pais tempo para fazer suas roças, com que as aldeias estão sempre em
grandíssima fome e miséria. Também assim ausentes e divididos não podem os índios ser doutrinados, e vivem sem
conhecimento da fé, nem ouvem missa nem a têm para a ouvir, nem se confessam pela Quaresma, nem recebem
nenhum outro sacramento, ainda na morte; e assim morrem e se vão ao Inferno, sem haver quem tenha cuidado de seus
corpos nem de suas almas, sendo juntamente causa estas crueldades de que muitos índios já cristãos se ausentam de
suas povoações, e se vão para a gentilidade, e de que os gentios do sertão não queiram vir para nós, temendo-se do
trabalho a que os obrigam, a que eles de nenhum modo são costumados, e assim se vêm a perder as conversões e os já
convertidos; e os que governam são os primeiros que se perdem, e os segundos serão os que os consentem; e isto é o
que cá se faz hoje e o que se fez até agora.¿ Padre Antonio Vieira. Carta XIII. 1949 A partir desse fragmento, podemos
perceber que Padre Antonio Vieira:
Transforma a realidade que o cerca, para compor uma imagem literária
 Baseia-se na realidade que vive e tece um discurso de denúncia
Baseia-se na realidade para isolar-se dela
 Questão1
 Questão2
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/3
Assume uma postura abstrata, afastando o texto da realidade
Assume a noção de que o índio é um ser inferior
Respondido em 05/09/2020 03:57:24
Gabarito
 Comentado
 
 
A mimese é um processo pelo qual a literatura e as artes se realizam. Na literatura, a mimese se realiza por meio das
palavras que dão forma a personagens, a ações e a todas as demais realidades ficcionais. Na literatura, a mimese deve
ser entendida como a capacidade de:
Representar sempre de modo idêntico as várias realidades ficcionais.
 Representar qualquer universo ficcional imaginado pelo autor por meio de formas verbais.
Elaborar um texto coerente com o real.
Copiar uma realidade sem elaboração formal do autor.
Restringir-se a imitar o mundo real de modo fiel, respeitando-o tal como ele é.
Respondido em 05/09/2020 03:58:22
 
 
Explicação:
A mimese na literatura permite a representação de qualquer universo por meio da palavra, ou seja, por meio das formas
verbais. Desde de universos que se parecem com o que convencionamos chamar de real até os universos fantásticos com
seres, ambientes e situações completamente inexistentes da realidade que compartilhamos.
 
 
"A literatura é um tipo de discurso que representa o real". Dentro do universo das representações temos conceitos
básicos como a mímesis e catársis. Assinale a alternativa que representa o conceito básico de mímesis.
 Termo grego que significa imitação. Não é um conceito literário, mas filosófico que serve para explicar a arte.
Termo grego que significa imitação. É um conceito literário que serve para explicar a arte.
Termo grego que significa imitação. É um conceito literário, mas não filosófico que serve para explicar a arte.
Termo grego que significa imitação. É um conceito literário e filosófico que serve para explicar a arte.
Termo grego que significa imitação. É filosófico que não serve para explicar a arte.
Respondido em 05/09/2020 03:59:06
Gabarito
 Comentado
 
 
A mimese e a catarse na literatura:
são dispensáveis, pois nem toda obra literária as incluem.
dependem da interpretação do texto.
são excludentes: quando há mimese não pode haver catarse e vice-versa.
 estão interligadas, pois o efeito da catarse advém de uma boa mimese.
são independentes, não possuem inter-relação alguma.
Respondido em 05/09/2020 03:59:55
 
 
Explicação:
A mimese e a catarse estão sempre interligadas. A boa mimese, aquela que convence, conduz à catarse em obras que
buscam tal efeito, como as tragédias gregas, por exemplo.
 
 
A literatura, assim como a língua, constitui um modo de expressão cultural de um grupo, de uma comunidade, de uma
 Questão3
 Questão4
 Questão5
 Questão6
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/3
nação. Podemos definir o que é cultura de vários modos, exceto:
Como um elemento agregador que confere identidade a um grupo.
Como um complexo de normas, símbolos, mitos e imagens absorvidos pelo homem.
Como algo comum a todos os seres humanos de todos os tempos e lugares, daí a multiplicidade cultural
existente.
 Como algo reduzido a algumas comunidades, pois nem todas produzem modos de pensar e de se expressar.
Como um conjunto de modos de pensar, sentir e fazer de uma comunidade.
Respondido em 05/09/2020 04:00:43
 
 
Explicação:
Toda comunidade humana produz modos de pensar e de se expressar, até mesmo as comunidades ágrafas, ou seja, que
não possuem uma língua escrita.
 
 
O processo mimético é capaz de estabelecer diferentes interpretações do texto. Em relação ao que foi dito, podemos
afirmar que:
A afirmação é correta, pois para que uma obra literária sobreviva ela, é constituída por uma linguagem
impenetrável
Isso acontece, pois o texto literário em relação à linguagem, mas não à leitura
A afirmação é invalida, pois a linguagem do texto literário é incalculável
A afirmação é incorreta, pois para que uma obra literária sobreviva, é constituída por uma linguagem
impenetrável
 Isso acontece pois a linguagem do texto literário é ambígua e sofre constante atualização
Respondido em 05/09/2020 04:02:04
Gabarito
 Comentado
 
 
A literatura, quando finge o particular, atinge a universalidade. A afirmativa é:
Não há fingimento da realidade na literatura. A obra literária é a realidade.
 É correta, pois essa particularização nos leva ao reconhecimento de dados semelhantes na realidade.
É incorreta, pois não ocorre esse processo de particularização na obra literária.
Parcialmente correta, pois é valida para algumas obras literárias e sua relação com a realidade.
É correta, apesar do autor não promover a particularização dos fatos nas obras literária.
Respondido em 05/09/2020 04:03:20
Gabarito
Comentado
 Questão7Questão8
javascript:abre_colabore('38403','203921030','4069715329');
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/3
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 3a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A3_202001284265_V1 06/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
O mundo épico está, totalmente, distante da contemporaneidade. Sendo assim,
como os aêdos desenvolvem suas narrativas?
A partir de histórias veiculadas através da Igreja.
A partir dos relatos feitos pelo herói nacional.
 A par�r de mitos e lendas.
A partir de estudos acadêmicos.
A partir de documentos deixados pela nobreza e encontrados por historiadores.
Respondido em 06/09/2020 02:38:39
Gabarito
 Comentado
 
 
Quem é o narrador da epopéia?
Um representante do povo
Um soldado
Um camponês
Um deus
 Um representante da aristocracia
Respondido em 06/09/2020 02:38:51
Gabarito
 Comentado
 
 
 A palavra gênero deriva do latim genus, -eris. Ela significa tempo de nascimento
ou de origem. A partir desta definição como podemos entender o conceito de
gênero literário?
 Questão1
 Questão2
 Questão3
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/3
 Conjunto formado por obras literárias que falam sobre o mesmo tema.
 
 Conjunto formado por obras literárias que revelam uma só classe social.
 
Conjunto formado por obras literárias que falam sobre temas históricos.
 
 Conjunto formado por obras literárias que possuem o mesmo tempo ou a
mesma origem de nascimento
 
Conjunto formado por obras literárias que abordam diferentes temas.
Respondido em 06/09/2020 02:40:06
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
Qual das afirmativas abaixo NÃO se aplica à epopéia?
 O humor é um elemento inquestionável na composição da epopéia
A epopéia é uma narrativa em versos longos eloquentes em que o narrador canta os grandes feitos de um
indivíduo ou de um povo
Os temas são universais e procura-se exaltar, em tom solene e ânimo inalterável, os sentimentos coletivos,
através dos atos heróicos individuais. Identifica-se no herói a bravura e o humanismo de uma raça
A epopéia é a expressão narrativa de um universo aristocrático, cujo herói é eminente guerreiro. Sendo
metonímico, este é espelho em que se projeta e se reconhece a identidade de um determinado grupo social.
Há sempre um núcleo narrativo sustentando a estrutura da epopéia, concedendo-lhe princípio, meio e fim
Respondido em 06/09/2020 02:41:28
 
 
O que é gênero literário?
 Gênero literário é um agrupamento de obras literárias que pertencem a uma classe, espécie, origem ou tempo de
nascimento
É um conjunto de obras literárias, as quais têm, em comum, tempo, mas não tem a mesma origem de
nascimento
Gênero literário é um agrupamento de obras literárias que pertencem a uma classe, possuem o mesmo
vocabulário e enredo
É um conjunto de obras literárias, as quais têm, em comum, somente a perspectiva do tempo
Gênero literário é um agrupamento de obras literárias que pertencem a uma mesma origem somente
Respondido em 06/09/2020 02:42:14
Gabarito
 Comentado
 
 
Sobre o herói épico, NÃO podemos afirmar que:
Ele é corajoso e não recua diante do perigo.
Ele seja bem intencionado em seus atos.
 Seja proveniente da classe escrava ou mais pobre da sociedade
Ele inspira seu povo devido à natureza de seus feitos.
Ele reúne em si características positivas.
Respondido em 06/09/2020 02:42:42
 
 Questão4
 Questão5
 Questão6
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/3
 
Em relação à epopéia, podemos dizer que a sua força criadora está na memória e que a sua fonte é a lenda, já que:
O autor épico cuida das relações dentro do texto para que o leitor possa acompanhar o seu desenvolvimento,
sem prejuízo
A epopéia rompe com a memória para, por conseguinte romper o paradigma do real e criar sobre o imaginário
nacional
O autor épico não pode esquecer-se da seqüência de fatos que compõem a narrativa que se confirma atemporal
O autor precisa da falta dela - do esquecimento - para criar a ficção
 A epopéia reabilita o passado ao resgatá-lo, lançando mão da memória. Não importa a experiência pessoal. O
que vale é a lenda nacional
Respondido em 06/09/2020 02:45:32
 
 
Os principais gêneros literários são:
 épico, dramático e lírico
narrativa, épico e lírico
épico e lírico
épico, dramático e satírico
dramático, lírico e poético
Respondido em 06/09/2020 02:46:13
Gabarito
Comentado
 Questão7
 Questão8
javascript:abre_colabore('38403','203963510','4069840325');
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 4a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A4_202001284265_V1 10/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
O enredo constitui um dos elementos básicos do romance e pode ser definido da seguinte
forma:
é também conhecido como foco narrativo e o narrador pode fazê-lo em primeira ou
terceira pessoa.
é o agente da narrativa, podendo ser protagonista, antagonista ou secundário.
também conhecido como desfecho, designa a forma como a estória termina.
refere-se às fontes consultadas pelo autor para construir a sua estória.
 também conhecido como trama ou intriga, designa a forma como os acontecimentos
encontram-se organizados e articulados uns aos outros ao longo da narrativa.
Respondido em 10/09/2020 02:56:39
 
 
Explicação:
A resposta certa é: também conhecido como trama ou intriga, designa a forma como os
acontecimentos encontram-se organizados e articulados uns aos outros ao longo da
narrativa.
 
 
Ambos, romance e epopeia, são composições narrativas de certa extensão e complexidade, mas se diferenciam em
inúmeros aspectos. Assinale a alternativa incorreta:
Quando o romance trata de temas sociais não é com o compromisso de eternizar um povo e de engrandecê-lo
como ocorre na epopeia.
A epopeia ocupa-se da coletividade, dos grandes feitos, das grandes batalhes, dos interesses de uma nação, dos
heróis míticos e modelares.
O romance explora as individualidades.
 O herói do romance representa exclusivamente a classe da aristocracia e se empenha em preservar a sua
tradição.
O romance traz heróis problemáticos, conflitos privados, dilemas mais do âmbito individual.
Respondido em 10/09/2020 02:57:43
 
 
Explicação:
 Questão1
 Questão2
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
O herói do romance pode pertencer a qualquer classe social. Trata-se de um gênero que tem total liberdade quanto à
composição de personagens, temas, ambientação.
 
 
Leia o fragmento abaixo de Monteiro Lobato.
Negrinha Negrinha era uma pobre órfã de sete anos. Preta? Não; fosca, mulatinha escura, de cabelos ruços e olhos
assustados.Nascera na senzala, de mãe escrava, e seus primeiros anos vivera-os pelos cantos escuros da cozinha, sobre
velha esteira e trapos imundos. Sempre escondida, que a patroa não gostava de crianças.Excelente senhora, a patroa.
Gorda, rica, dona do mundo, amimada dos padres, com lugar certo na igreja e camarote de luxo reservado no céu.
Entaladas as banhas no trono (uma cadeira de balanço na sala de jantar), ali bordava, recebia as amigas e o vigário,
dando audiências, discutindo o tempo. Uma virtuosa senhora em suma, dama de grandes virtudes apostólicas, esteio da
religião e da moral, dizia o reverendo. Mas não admitia choro de criança. Ai! Punha-lhe os nervos em carne viva (...). A
excelente Dona Inácia era mestre na arte de judiar das crianças. Vinha da escravidão,fora senhora de escravos, e
daquelas ferozes, amigas de aquelas de ouvir cantar o bolo e fazer estalar o bacalhau. Nunca se afizera ao novo regime,
essa indecência de negro igual.
A narrativa focaliza um momento histórico-social de valores contraditórios. Essa condição infere-se no contexto, pela:
 resistência da senhora em aceitar a liberdade dos negros, evidenciada no final do texto
receptividade da senhora para com os padres, mas deselegante para com as beatas
falta de aproximação entre a menina e a senhora, preocupada com as amigas
rejeição aos criados por parte da senhora, que preferia tratá-los com castigos
ironia do padre a respeito da senhora, que era perversa com as crianças
Respondido em 10/09/2020 03:00:52
Gabarito
 Comentado
 
 
Enquanto a epopeia é o espaço da representação da coletividade, o romance é o espaço de
representação:
do realidade.
da consciência.
da impessoalidade.
do inconsciente.
 da individualidade.
Respondido em 10/09/2020 03:01:15
 
 
Explicação:
A resposta correta é: da individualidade.
 
 
"Deve-se escolher traços fora do comum com originalidade. É preciso desenvolver a personalidade do personagem ao
máximo. Preocupar-se com realismo, para o qual se devem pesquisar detalhes e fatos de acordo com a época e o lugar
escolhido." O parágrafo acima trata
processo da organização cronológica interna ao romance.
do processo criativo relativo à construção do cenário onde se desenrola a ação do romance.
do processo criativo que rege a composição da Epopéia.
 do processo de composição do personagem que integra o romance.
do processo criativo relativo à construção poética.
Respondido em 10/09/2020 03:02:55
Gabarito
 Comentado
 
 
 Questão3
 Questão4
 Questão5
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
No desenrolar dos fatos num romance, cada personagem expõe a sua visão de mundo. Por isso, o romance é um gênero
que comporta:
apenas o ponto de vista da personagem principal.
uma única ideologia.
um conjunto de ações isento de ideologias.
apenas o ponto de vista dado pelo narrador.
 várias ideologias.
Respondido em 10/09/2020 03:03:28
 
 
Explicação:
O romance é um gênero em que várias ideologias podem ser identificadas por meio dos universos em que habitam os
personagens. Alguns trazem isso de modo mais explícito, outros menos. De todo modo, sempre aparecem pontos de vista
variados e em conflito num romance. Trata-se de um gênero polifônico.
 
 
Leia os fragmentos de textos abaixo.
Texto I
Logo depois transferiram para o trapiche o depósito dos objetos que o trabalho do dia lhes proporcionava. Estranhas
coisas entraram então para o trapiche. Nãomais estranhas, porém, que aqueles meninos, moleques de todas as cores e
de idades as mais variadas, desde os nove aos dezesseis anos, que à noite se estendiam pelo assoalho e por debaixo da
ponte e dormiam, indiferentes ao vento que circundava o casarão uivando, indiferentes à chuva que muitas vezes os
lavava, mas com os olhos puxados para as luzes dos navios, com os ouvidos presos às canções que vinham das
embarcações...AMADO, J. Capitães da Areia. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 (fragmento).
Texto II
À margem esquerda do Rio Belém, nos fundos do mercado do peixe, ergue-se o velho ingazeiro, ali os bêbados são
felizes. Curitiba os considera animais sagrados, provê as suas necessidades de cachaça e pirão. No trivial contentavam-se
com as sobras do mercado. TREVISAN, L. 35 noites de paixão: contos escolhidos.Rio de Janeiro: BestBolso, 2009
(fragmento).
Sob diferentes perspectivas, os fragmentos citados são exemplos de uma abordagem literária recorrente na Literatura
Brasileira do século XIX. Podemos afirmar que em ambos os textos:
 o espaço onde vivem os personagens é uma das marcas de sua exclusão
a ironia marca o distanciamento dos narradores em relação aos personagens
o detalhamento do cotidiano dos personagens revela a sua origem social
a crítica à indiferença da sociedade pelos marginalizados é direta
a linguagem afetiva aproxima os narradores dos personagens marginalizados
Respondido em 10/09/2020 03:06:33
 
 
Explicação:
A problemática social, que ganha evidência na literatura brasileira nos projetos estéticos realista e naturalista do século
XIX, é retomada pelos escritores modernistas do século XX, mais notadamente pelos romancistas. Ao lidar com a questão
social, a representação do espaço romanesco torna-se um elemento decisivo, contribuindo para a caracterização dos
personagens.
 
 
TEXTO I
Eu amo a rua. Esse sentimento de natureza toda íntima não vos seria revelado por mim se não julgasse, e razões não
tivesse para julgar, que este amor assim absoluto e assim exagerado é partilhado por todos vós. Nós somos irmãos, nós
nos sentimos parecidos e iguais; nas cidades, nas aldeias, nos povoados, não porque soframos, com a dor e os
desprazeres, a lei e a polícia, mas porque nos une, nivela e agremia o amor da rua. É este mesmo o sentimento
imperturbável e indissolúvel, o único que, como a própria vida, resiste às idades e às épocas. RIO, J. A alma encantadora
das ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 (fragmento)
TEXTO II
 A rua dava-lhe uma força de fisionomia, mais consciência dela. Como se sentia estar no seu reino, na região em que era
rainha e imperatriz. O olhar cobiçoso dos homens e o de inveja das mulheres acabavam o sentimento de sua
personalidade, exaltavam-no até. Dirigiu-se para a rua do Catete com o seu passo miúdo e sólido. [...] No caminho
 Questão
6
 Questão7
 Questão8
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
trocou cumprimento com as raparigas pobres, ela continuou o seu caminho arrepanhando as saias que nem uma
duquesaatravessando os seus domínios. BARRETO, L. Um e outro. In: Clara dos anjos. Rio de Janeiro: Ed
Mérito(fragmento)
 A experiência urbana é um tema recorrente em crônicas, contos e romances do séculoXIX e do XX muitos dos quais
elegem a rua para explorar essa experiência. Nos fragmentos I e II, a rua é vista, respectivamente, como lugar que:
promove o anonimato e a segregação social
possibilita vínculos pessoais duradouros e encontros casuais
desperta sensações contraditórias e desejos de reconhecimento
 propicia o sentido de comunidade e a exibição pessoal
favorece o cultivo da intimidade e a exposição dos dotes físicos
Respondido em 10/09/2020 03:09:31
Gabarito
Comentado
javascript:abre_colabore('38403','204355279','4075114667');
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/3
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 5a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A5_202001284265_V1 11/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
Sobre o conto, é possível afirmarmos que se trata de:
uma narrativa desdobrada em muitos tempos e espaços.
uma narrativa concisa, porém com inúmeros núcleos de personagens em ação.
uma narrativa extensa com várias unidades dramáticas.
uma narrativa com múltiplos conflitos.
 uma narrativa concisa, em torno de uma única célula de conflito.
Respondido em 11/09/2020 03:10:20
 
 
Explicação:
O conto é um gênero que busca uma concentração narrativa e uma unidade de ação e de efeito. Não se dispersa em
inúmeros conflitos nem articula vários núcleos de personagens como ocorre no romance, por exemplo.
 
 
Sobre o conto, assinale a afirmação incorreta:
O conto tem uma larga tradição cultural, como as narrativas encontradas em alguns episódios das Sagradas
Escrituras que podem ser considerados contos, como o filho pródigo, Salomé etc.
A contração dos elementos estruturais confere ao conto uma grande densidade dramática.
 Quanto ao sentido, o conto é o canto da totalidade da vida de um povo em determinado estágio da sua
civilização. O conto está diretamente relacionado com o surgimento ou o progresso de uma nacionalidade
Enquanto no romance o conteúdotextual encontra-se diluído na multiplicidade de ações, personagens, espaços,
tempos descrições, reflexões, no conto temos uma condensação no sentido que se revela ao leitor de uma forma
mais rápida e surpreendente.
No conto, a categoria do espaço está reduzida a poucos ambientes ou a apenas um, o tempo, o enredo e o
número de personagens são igualmente limitados.
Respondido em 11/09/2020 03:19:16
 
 
Explicação:
A afirmação errada refere-se às circunstâncias da epopeia e não apresenta relação alguma com o conto.
 
 
 Questão1
 Questão2
 Questão3
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/3
Os personagens de um conto necessariamente possuem:
 um conflito que os moverá a alguma direção.
um desfecho trágico.
rica descrição física
nomes próprios.
refinamento de traços psicológicos.
Respondido em 11/09/2020 03:19:49
 
 
Explicação:
Nas narrativas em geral, não apenas no conto, o conflito é um elemento fundamental. É ele o complicador que precipita
as ações em direção a um desfecho.
 
 
"As unidades requeridas de ação, tempo, lugar e tom só podem estabelecer-se com poucas personagens. Só não existe o
conto com uma única personagem. Se uma só aparecer, outra figura deve estar atuando para a formulação do conflito.
Por fim, as personagens tendem a ser estáticas, imóveis no tempo, no espaço e na personalidade. Figura-se uma tela em
que se fixa plasticamente o apogeu de uma situação humana." (Moisés, p.127). MOISÉS, Massaud. A Criação Literária.
São Paulo: Melhoramentos, 1973, p.127.
 O que garante ao conto uma unidade de ação?
O número de linhas que formam o conto
A descrição do estado emocional dos personagens
A descrição detalhada dos cenários onde a narrativa se desenrola
 O embate entre os personagens
O narrador garante a unidade do Conto
Respondido em 11/09/2020 03:21:04
Gabarito
 Comentado
 
 
Sobre o conto, é correto afirmar que:
O clímax da história é o momento com o máximo de tensão. Neste momento final, há várias descrições.
É possível falar sobre vários assuntos ou apresentar várias situações dentro do conto.
 A chave para se entender o conto, enquanto gênero, está na concentração de sua trama.
Ele trata, geralmente, de uma situação, a qual se desenrola com pausas e com recuos.
Tudo deve ser muito simples, com grandes complicações psícológicas e com grandes peripécias.
Respondido em 11/09/2020 03:21:57
Gabarito
 Comentado
 
 
O conto apresenta alguns traços que o identificam como um gênero literário específico. Dentre eles:
o encaixe de várias narrativas dentro de uma só.
a dispersão das ações.
a multiplicidade de capítulos.
 a contração do enredo.
a sucessividade de inúmeras células dramáticas.
Respondido em 11/09/2020 03:22:35
 
 
Explicação:
 Questão4
 Questão5
 Questão6
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/3
O conto é um gênero que apresenta uma narrativa sintética, contraída, que não se desdobra em vários tempos, espaços,
núcleos de personagens e conflitos.
 
 
Acerca do conto literário, todas as afirmações abaixo estão corretas, exceto:
Ao contrário do romance, o conto não tem a pretensão de abarcar a totalidade, configura-se em torno de um só
conflito.
 Ao contrário do romance, o conto não possui regras. Trata-se de um gênero que pode tanto ser concentrado
quanto disperso.
O conto busca captar um acontecimento, uma questão, um elemento impactante e trabalhar a narrativa em cima
dele.
A estrutura do conto é concisa, por isso a exploração de conflitos secundários não importa ao conto.
O conto deve, mesmo com uma estrutura enxuta, ser capaz de impactar de modo profundo o leitor.
Respondido em 11/09/2020 03:23:48
 
 
Explicação:
O que define o conto é justamente o traço conciso, concentrado e tenso dos elementos que compõem a sua estrutura
narrativa. O conto não pode ser distenso nem se dispersar do conflito central. Ao expandir-se, corre o risco de ser
identificado com a estrutura da novela, abrindo outras discussões, como as existentes em torno de O alienista, de
Machado de Assis, e de A Metamorfose, de Franz Kafka, por exemplo.
 
 
Ao ler um conto, a compreensão do leitor deve ser imediata. Sendo assim, escolha a alternativa que conceitue a
linguagem utilizada nessa forma de narrar.
A linguagem não tem importância para o desenrolar do conflito.
A línguagem revela múltiplas intenções do narrador.
A linguagem é subjetiva. Há muitos implícitos que precisam ser desvendados pelo leitor.
 A linguagem deve ser clara, objetiva. Não há muitas metáforas.
A linguagem pode ser representada pelo silêncio da personagem. Sendo assim, o diálogo não tem importância.
Respondido em 11/09/2020 03:24:30
Gabarito
Comentado
 Questão7
 Questão8
javascript:abre_colabore('38403','204497112','4078228396');
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
 
 
 OFICINA LITERÁRIA 6a aula
 Lupa 
 
Exercício: CEL0239_EX_A6_202001284265_V1 15/09/2020
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 2020.3 EAD
Disciplina: CEL0239 - OFICINA LITERÁRIA 202001284265
 
Escolha, dentre as alternativa apresentadas, aquela que cita dois elementos presentes
na crônica.
 Surpresa / humor
 
 Trivialidade / linguagem formal 
Linguagem coloquial / muitas personagens
 Assuntos do cotidiano / densidade psicológica
 
Surpresa / temas polêmicos
 
Respondido em 15/09/2020 01:29:26
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
A crônica é uma forma de narrar que utiliza o jornal como veículo de divulgação. No
entanto, por que não podemos considerá-la como um texto, exclusivamente,
jornalístico?
 Porque apresenta o uso excessivo da formalidade da língua.
Porque o leitor sempre duvida da veracidade dos fatos narrados.
 Porque os fatos narrados estão, por séculos, distantes do tempo de narração.
 
Porque se trata de um texto que seleciona os fatos do cotidiano e os reveste de
imaginação.
Porque apresenta fatos distantes da realidade.
 
Respondido em 15/09/2020 01:30:06
Gabarito
 
 Questão1
 Questão2
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
Comentado
 
 
A estrutura da crônica é eminentemente
argumentativa
semântica
poética
 narrativa
informativa
Respondido em 15/09/2020 01:30:27
Gabarito
 Comentado
 
 
 Tanto a crônica quanto o conto são formas curtas de narrar. Sendo assim, qual das
alternativas abaixo apontam a principal diferença entre esses dois gêneros
literários?
 A crônica se diferencia do conto por apresentar poucas personagens
A crônica se diferencia do conto por apresentar temas com profundidade
psicológica.
A crônica se diferencia do conto por privilegiar a presença do narrador-
personagem
A crônica se diferencia do conto por nomear as personagens.
 A crônica se diferencia do conto por dar destaque à trivialidade.
 
Respondido em 15/09/2020 01:31:10
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
Leia o texto a seguir:
Diz que era uma velhinha que sabia andar de lambreta. Todo dia ela passava pela fronteira
montada na lambreta, com um bruto saco atrás da lambreta. O pessoal da Alfândega - tudo
malandro velho - começou a desconfiar da velhinha.
Um dia, quando ela vinha na lambreta com o saco atrás, o fiscal da Alfândega mandou ela parar.
A velhinha parou e então o fiscal perguntou assim pra ela:
- Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse saco aí atrás. Que diabo a
senhora leva nesse saco?
 http://pensador.uol.com.br/frase/NTE3MzQ5/
No fragmento apresentado, as personagens não possuem nomes. Sabemos, apenas, que se trata
de uma velhinha e de um fiscal. Que relação existe entre estefato e a crônica?
 
 A crônica destaca a trivialidade, por isso, algumas vezes, não aparecem os
nomes das personagens.
 Questão3
 Questão4
 Questão5
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
 
A crônica destaca o tempo, por isso não é dado importância ao nome das
personagens.
 A crônica destaca o narrador. Não há preocupação com as personagens.
 A crônica dá ênfase aos aspectos psicológicos das personagens, por isso não
revela preocupação em nomeá-las.
 
 A crônica, por apresentar a referencialidade do jornal, não cita nomes.
 
Respondido em 15/09/2020 01:32:25
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
Sabemos que o texto literário faz parte de uma relação de
produção e consumo. A partir dessa informação, leia as afirmativas
abaixo e escolha uma das alternativas apresentada.
I- O cronista estabelece um falso diálogo com o leitor.
PORQUE
II - O leitor não tem espaço para revelar sua opinião sobre o que
está sendo contado.
A afirmativa II é falsa.
 A afirmativa I é verdadeira, mas a II não a justifica.
 
A afirmativa I é verdadeira e a II a justifica.
 As afirmativas I e II são falsas.
A afirmativa I é falsa.
Respondido em 15/09/2020 01:33:18
Gabarito
 Comentado
 
 
Sobre a crônica, é correto afirmar que:
Seu perfil é exclusivamente jornalístico.
Não há qualquer manifestação de subjetividade.
Estamos falando da representação do real como ele é.
Não podemos considerar a crônica como texto literário, pois, em toda crônica, há um toque jornalístico.
 Há elementos como novidade, surpresa e assuntos variados do dia a dia das pessoas.
Respondido em 15/09/2020 01:33:59
Gabarito
 Comentado
 
 
A relação entre a crônica e a realidade baseia-se em:
uma visão romântica da realidade que dá ao texto uma sentimentalidade profunda.
 Questão6
 Questão7
 Questão8
15/09/2020 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
um resgate do folclore popular para preservá-lo para as novas gerações
 c) uma captação de fatos do cotidiano que é revestido de fantasia e imaginação.
uma recuperação total e distanciada da realidade, aproximando a da reportagem.
uma seleção de fatos históricos que preservem a memória de um povo.
Respondido em 15/09/2020 01:34:38
javascript:abre_colabore('38403','204953499','4087772052');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
Escolha a opção que completa corretamente as lacunas da sentença. 
A catarse é produzida pela encenação do texto dramático, despertando os sentimentos de
________ e _________ no público.
No que diz respeito à relação entre o herói trágico e o destino podemos afirmar que: 
OFICINA LITERÁRIA 
Lupa Calc.
 
 
CEL0239_A7_202001284265_V1 
 
Aluno: FRANCISCO ROSA Matr.: 202001284265
Disc.: OFICINA LITERÁRIA 2020.3 EAD (G) / EX
 
Prezado (a) Aluno(a),
 
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua
avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se
familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
 
1.
identificação e empatia.
pena e empatia.
terror e piedade.
 medo e pena.
empatia e compreensão.
 
 
 
Explicação:
A resposta correta é: terror e piedade.
 
 
 
 
2.
para o herói trágico o destino não existe, sendo o futuro obra das suas próprias ações.
o destino já está traçado, não há como o herói escapar ao seu destino.
o herói é livre para seguir ou não seu destino, dependendo inteiramente de sua escolha.
o herói, como todo ser humano, dispõe de livre arbítrio para decidir o que fazer com o
seu destino.
o herói precisará da ajuda de um elemento mágico para driblar o destino.
 
 
javascript:voltar();
javascript:voltar();
javascript:duvidas('2977943','32991','1','3620975','1');
javascript:duvidas('2977949','32991','2','3620975','2');
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
javascript:calculadora_on();
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
Dentro do gênero dramático, encontramos a comédia e a tragédia. O que é a comédia?
 Em Édipo Rei, tragédia de Sófocles, a profecia de Delfos determina que Édipo
casará com a mãe e matará o pai. Diante desta revelação, o rei tenta fugir de seu
texto. De acordo com as principais características do texto trágico, o que isto
significa?
 
I- Trata-se de algo impossível para o herói trágico.
 
PORQUE
 
II- É um herói sem escolha. Tudo está, previamente, traçado pelas forças do
destino.
Trata-se de um sentimento exacerbado. É a paixão. Para expressá-lo, o autor dramático cria um tipo de linguagem
comovente e arrebatada. Esta linguagem traduz a resistência da personagem diante dos embates gerados pelo mundo que
 
Explicação:
A resposta correta é: o destino já está traçado, não há como o herói escapar ao seu destino.
 
 
 
 
3.
Trata-se da representação artística em que o homem é posto em desequilíbrio pelas forças do destino.
Trata-se de um produção artística em que tudo caminha para um fim inevitável.
Trata-se da representação artística da mudança de sorte do indivíduo.
Trata-se da representação de pessoas de qualidade moral ou psíquica inferior. É a expressão artística dos vícios.
Trata-se da representação de temas religiosos.
 
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
 
4.
 As afirmativas I e II são verdadeiras, mas a segunda não justifica a primeira.
 As afirmativas I e II são verdadeiras e a segunda justifica a primeira.
 Ambas as afirmativas são falsas.
 A afirmativa I é verdadeira e a II é falsa.
 A afirmativa I é falsa e a II verdadeira.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
5.
javascript:duvidas('625443','32991','3','3620975','3');
javascript:duvidas('575782','32991','4','3620975','4');
javascript:duvidas('571354','32991','5','3620975','5');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
a cerca. A fala inpregnada de profundo pesar é impetuosa e pressupõe um outro que a ouça e com ela se comova. É uma
comoção espontânea.
O texto acima se refere ao conceito:
A tensão essência do dramático. O pathos é uma de suas características. Ele configura o sentimento exacerbado na
tragédia. Como o autor dramático expressa o pathos?
Nas obras dramáticas, as ações, as situações e as emoções não são imitadas através do
discurso do narrador, mas: 
Existem dois tipos de pathos, no gênero dramático e em suas formas, que são:
Tensão
Pathos
Problema
Catarse
Clímax
 
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
 
6.
Através da fala de um narrador.
Através, apenas, da alegria do herói.
Através do problema.
Através da dor do herói.
Através de uma linguagem comovente, impetuosa.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
7.
expressas através das falas e ações das personagens.
apresentadas pelo eu lírico em um discurso construído inteiramente na primeira pessoa.
problematizadas através de uma argumentação neutra, objetiva e imparcial.
apresentadas mediante meticulosa exposição discursiva.
discutidas dialeticamente mediante a confrontação de elementos a favor e contra.
 
 
 
Explicação:
A resposta correta é: expressas através das falas e ações das personagens.
 
 
 
 
8.
Alegria e prazer
Dor e tristeza
Dor e prazer
Alegria e tristeza
Ausência e prazer
Gabarito
javascript:duvidas('625547','32991','6','3620975','6');
javascript:duvidas('2977930','32991','7','3620975','7');
javascript:duvidas('241977','32991','8','3620975','8');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
Comentado
 Não Respondida Não Gravada Gravada
Exercício inciadoem 15/09/2020 02:07:46. 
javascript:abre_colabore('36635','204954191','4087789775');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
Sobre a poesia lírica, é correto afirmar que:
Sobre o LIRISMO, podemos defini-lo como:
OFICINA LITERÁRIA 
Lupa Calc.
 
 
CEL0239_A8_202001284265_V1 
 
Aluno: FRANCISCO ROSA Matr.: 202001284265
Disc.: OFICINA LITERÁRIA 2020.3 EAD (G) / EX
 
Prezado (a) Aluno(a),
 
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua
avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se
familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
 
1.
A poesia lírica se conceitua como a poesia do ¿nós¿, privilegiando percepções e valores coletivos.
A poesia lírica pode ser encontrada em diversos gêneros literários, bem como em manifestações artísticas como a
música, por exemplo.
A poesia lírica apresenta forma fixa e não admite variações em sua estrutura. Os moldes clássicos obedecem aos
princípios de que a poesia deve sempre contemplar aquilo que é belo e agradável.
A poesia lírica é um gênero literário com características bem definidas, um gênero puro que se resume em versos e
rimas, portanto, muito fácil de ser identificada na literatura.
A poesia lírica é exclusividade da literatura e não pode ser encontrada em outras manifestações artísticas, como a
música.
 
 
 
Explicação:
O lírico pode se manifestar em outros gêneros literários ou linguagens. Na narrativa, tem-se a prosa poética. No drama, na
ópera, na música, igualmente pode haver a presença do lírico.
 
 
 
 
2.
A expressão impessoal de uma emoção demonstrada por versos livres e brancos.
A expressão impessoal de uma razão demonstrada por versos livres e brancos.
A expressão pessoal de uma razão demonstrada por vias rítmicas e musicais.
A expressão pessoal de uma emoção demonstrada por vias rítmicas e musicais.
A expressão impessoal de uma emoção demonstrada por vias rítmicas e musicais.
 
Gabarito
 Comentado
javascript:voltar();
javascript:voltar();
javascript:duvidas('2976802','32991','1','3620975','1');
javascript:duvidas('575841','32991','2','3620975','2');
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
javascript:calculadora_on();
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
Na antiguidade, se falava numa lírica pessoal e em outra impessoal. Qual das opções abaixo define, claramente, o que é
lírica pessoal?
Qual é a melhor definição de eu-lírico impessoal?
Opinião
 Podem me prender Podem me bater Podem até deixar-me sem comer Que eu não mudo de opinião. Aqui do morro eu não
saio não Aqui do morro eu não saio não. Se não tem água Eu furo um poço Se não tem carne Eu compro um osso e ponho
na sopa E deixa andar, deixa andar... Falem de mim Quem quiser falar Aqui eu não pago aluguel Se eu morrer amanhã seu
doutor, Estou pertinho do céu. (Zé Ketti.Opinião)
 Essa música fez parte de um importante espetáculo teatral que estreou no ano de 1964, no Rio de Janeiro. O papel
exercido pela Música Popular Brasileira (MPB) nesse contexto, evidenciado pela poesia na forma de letra de música citada,
foi o de:
Escolha a opção que completa corretamente as lacunas da sentença. 
_________ e _________ são consideradas formas tradicionais do gênero lírico.
 
 
 
3.
É aquela em que o poeta se expressa, insentando-se.
É aquela em que o poeta se insenta de alguma coisa, mas expressa o sentimento da coletividade.
É aquela em que o poeta fala de si, dos seus sentimentos e de suas ideias.
É aquela em que o poeta jamais se insenta de alguma coisa.
É aquela em que o poeta expressa os sentimentos da coletividade.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
4.
É aquele que se envolve com cada momento da obra que povoa.
É aquele que escreve sobre as sua experiências pessoais.
É aquele que personifica a sua nação para melhor explicá-la.
É aquele que não se envolve e trata dos assuntos superficialmente.
É aquele que tem um compromisso ideológico com o seu tempo.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
5.
mobilização dos setores que apoiavam a Ditadura Militar
valorização do progresso econômico do país
entretenimento para os grupos intelectuais
denúncia da situação social e política do país
crítica à passividade dos setores populares
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
6.
javascript:duvidas('242013','32991','3','3620975','3');
javascript:duvidas('34790','32991','4','3620975','4');
javascript:duvidas('34841','32991','5','3620975','5');
javascript:duvidas('2977964','32991','6','3620975','6');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
Escolha a opção que completa corretamente as lacunas da sentença.
Mais do que em qualquer outro gênero, no lírico, __________ e _________ encontram-
se estreitamente interligados, de tal forma que cada palavra torna-se ___________.
Assinale a forma que não corresponde ao gênero lírico:
soneto e ode.
égloga e maxixe.
ode e funk.
funk e balada.
elegia e rock.
 
 
 
Explicação:
A resposta correta é: soneto e ode.
 
 
 
 
7.
significado e sonoridade / incompreensível.
significante e significado / inteligível.
forma e conteúdo / insubstituível.
forma e substância / obscura.
ideia e matéria / substituível.
 
 
 
Explicação:
A resposta correta: forma e conteúdo / insubstituível.
 
 
 
 
8.
Elegia
Ode
Soneto
Fábula
Écloga
Gabarito
Comentado
 Não Respondida Não Gravada Gravada
Exercício inciado em 15/09/2020 02:18:19. 
javascript:duvidas('2977958','32991','7','3620975','7');
javascript:duvidas('575842','32991','8','3620975','8');
javascript:abre_colabore('36635','204954421','4087793937');
15/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
16/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
Devemos lembrar que toda obra literária está inserida num processo de produção e consumo.Com base nesta afirmação,
assinale a alternativa que complementa corretamente o que foi apontado:
Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os
olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. Um
acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada sete horas
de chumbo.
https://literaturaemcontagotas.wordpress.com/tag/trechos-de-o-
cortico/
 
O texto apresentado é um fragmento do romance O Cortiço, de
Aloisio Azevedo. De acordo com o que foi estudado nas aulas, o que
significa a imagem do cortiço no processo de construção dos
gêneros literários?
 
OFICINA LITERÁRIA 
Lupa Calc.
 
 
CEL0239_A9_202001284265_V1 
 
Aluno: FRANCISCO ROSA Matr.: 202001284265
Disc.: OFICINA LITERÁRIA 2020.3 EAD (G) / EX
 
Prezado (a) Aluno(a),
 
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua
avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se
familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
 
1.
É importante identificar quem são os leitores, a que espaço está direcionada.
É importante identificar quem são os leitores, a que momento histórico está direcionada.
É importante identificar quem são os leitores, a que tempo está direcionada.
É importante identificar quem são os leitores, a que público está direcionada.
É importante identificar quem são os leitores, a que geração está direcionada.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
2.
javascript:voltar();
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
javascript:calculadora_on();
16/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=2020012842652/4
Leia o texto:
 A obra em si mesma é tudo: se te agradar, fino leitor, pago-me da tarefa; se te não agradar, pago-te com um piparote, e
adeus.
 http://www.biblio.com.br/defaultz.asp?link=http://www.biblio.com.br/conteudo/MachadodeAssis/brascubas.htm
 
A partir da leitura do fragmento apresentado, que conclusão podemos tirar da relação autor texto - leitor?
 
Leia o texto a seguir:
 Vivo só, com um criado. A casa em que moro é própria; fi-la construir de propósito, levado de um desejo tão particular que
me vexa imprimi-lo, mas vá lá. Um dia. há bastantes anos, lembrou-me reproduzir no Engenho Novo a casa em que me
criei na antiga Rua de Mata-cavalos, dando-lhe o mesmo aspecto e economia daquela outra, que desapareceu. Construtor e
pintor entenderam bem as indicações que lhes fiz: é o mesmo prédio assobradado, três janelas de frente, varanda ao
fundo, as mesmas alcovas e salas. Na principal destas, a pintura do teto e das paredes é mais ou menos igual, umas
grinaldas de flores miúdas e grandes pássaros que as tomam nos blocos, de espaço a espaço. Nos quatro cantos do teto as
figuras das estações, e ao centro das paredes os medalhões de César, Augusto, Nero e Massinissa, com os nomes por
baixo... Não alcanço a razão de tais personagens. Quando fomos para a casa de Mata-cavalos, já ela estava assim
decorada; vinha do decênio anterior. 
 (...)
 O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida, e restaurar na velhice a adolescência. Pois, senhor, não consegui
recompor o que foi nem o que fui. Em tudo, se o rosto é igual, a fisionomia é diferente. Se só me faltassem os outros, vá
um homem consola-se mais ou menos das pessoas que perde; mais falto eu mesmo, e esta lacuna é tudo. O que aqui está
é, mal comparando, semelhante à pintura que se põe na barba e nos cabelos, e que apenas conserva o hábito externo,
como se diz nas autópsias; o interno não agüenta tinta.
http://fragmentosliterariospauloavila.blogspot.com.br/2011/11/fragmentos-da-obra-prima-de-machado-de.html
Sabemos que o narrador exerce um papel muito importante no romance. O texto apresentado é um fragmento do romance
Dom Casmurro, de Machado de Assis. Após a leitura, identifique a posição assumida pelo narrador.
 
O cortiço representa as classes minoritárias.
A imagem do cortiço revela que o romance abre espaço na literatura para a
representação de diversos segmentos sociais.
 
 O cortiço revela, na literatura, a miscigenação
 O cortiço expõe a dura condição de vida do trabalhador.
O cortiço representa, no romance, a defesa do autor por um único segmento social.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
3.
O autor, através da voz do narrador, é gentil com o leitor.
 
 O autor, através da voz do narrador, relativiza a importância do leitor.
 
O autor, através da voz do narrador, quer ganhar o leitor.
O autor, através da voz do narrador, revela parceria com o leitor.
 
 O autor e o leitor estão acima da obra publicada.
 
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
 
4.
Trata-se de um narrador que não faz parte da história narrada.
 
Trata-se de um narrador-personagem que conta a história a partir de um simulacro.
 Trata-se de um narrador-observador que conta a história a partir de um prédio abandonado.
 
Trata-se de um narrador-personagem que apresenta total conhecimento de si mesmo e dos outros.
Trata-se de um narrador-observador que fala sobre a casa construída no Engenho Novo.
 
 
16/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/4
Urupês
"Jeca Tatu é um piraquara do Paraíba, maravilhoso epítome de carne onde se resumem todas as características da espécie.
 Hei-lo que vem falar ao patrão. Entrou, saudou. Seu primeiro movimento após prender entre os lábios a palha de milho,
sacar o rolete de fumo e disparar a cusparada d'esguicho, é sentar-se jeitosamente sobre os calcanhares. Só então
destrava a língua e a inteligência.
 - 'Não vê que'
 De pé ou sentado as ideias se lhe entramam, a língua emperra e não há de dizer coisa com coisa.
 De noite, na choça de palha, acocora-se em frente ao fogo para "aquentá-lo", imitado da mulher e da prole.
 Para comer, negociar uma barganha, ingerir um café, tostas um cabo de foice, fazê-lo noutra posição será desastre infalível.
Há de ser de cócoras.
 Nos mercados, para onde leva a quitanda domingueira, é de cócoras, como um faquir do Bramaputra, que vigia os
cachinhos de brejaúva ou o feixe de três palmitos.
 Pobre Jeca Tatu! Como és bonito no romance e feio na realidade!
 Jeca mercador, Jeca lavrador, Jeca filósofo..." . (Monteiro Lobato "Urupês " ed. Brasiliense, 2004. p. 166-170)
EXPLICAÇÃO NECESSÁRIA
"E aqui aproveito o lance para implorar perdão ao pobre Jeca. Eu ignorava que eras assim, meu Tatu, por motivo de
doença. Hoje é com piedade infinita que te encara quem, naquele tempo, só via em ti um maparreiro de marca. Perdoas? " 
(Monteiro Lobato. Urupês. São Paulo: Monteiro Lobato & Cia. Editores, 1923, p.VII.
Nos dois excertos da personagem 'Jeca Tatu', de Monteiro Lobato, como única opção correta, com base no segundo, pode-
se dizer que o autor?
 
 
Em "Memórias póstumas de Brás Cubas", Machado de Assis se vale de procedimentos metaficcionais, como as muitas
referências ao ato de escrever, à figura do escritor e de interpelações ao leitor. É um romance que chama a atenção para o
seu próprio processo de construção. Em qual dos trechos é possível encontramos um procedimento metaficcional?
Gabarito
 Comentado
 
 
 
5.
Denuncia o descaso do governo na distribuição de terras, uma vez que, segundo Monteiro Lobato, "Jeca Tatu não é
assim, ele está assim".
 
Denuncia o descaso do governo com relação à saúde e ao ensino, uma vez que, segundo Monteiro Lobato, "Jeca Tatu
não é assim, ele está assim"
 
Denuncia o descaso do governo com relação às pessoas da zona rural, uma vez que, segundo Monteiro Lobato, "Jeca
Tatu não é assim, ele está assim".
Denuncia o descaso do governo com relação às pessoas que produzem na zona rural, uma vez que, segundo Monteiro
Lobato, "Jeca Tatu não é assim, ele está assim".
Denuncia a falta de educação uma vez que, segundo Monteiro Lobato, "Jeca Tatu não é assim, ele está assim".
 
 
Gabarito
 Comentado
Gabarito
 Comentado
 
 
 
6.
Há aí, entre as cinco ou dez pessoas que me leem, há aí uma alma sensível, que está decerto um tanto agastada com
o capítulo anterior, começa a tremer pela sorte de Eugênia, e talvez... sim, talvez lá no fundo de si mesma, me chame
cínico. Eu cínico, alma sensível? (Capítulo XXXIV/ A uma alma sensível)
Não era esta certamente a Marcela de 1822; mas a beleza de outro tempo valia uma terça parte dos meus sacrifícios?
Era o que eu buscava saber, interrogando o rosto de Marcela. (Capítulo XXXVIII/ A quarta edição)
Virgília afastou-se e foi sentar-se no sofá. Eu fiquei algum tempo a olhar para os meus próprios pés. Devia sair ou
ficar? (Capítulo XLI/ A alucinação)
Não podia acabar de crer nos meus olhos. Esfreguei-os uma e duas vezes, e reli a declaração inoportuna, insólita e
enigmática. (Capítulo CXLVIII/ O problema insolúvel)
Quem escapa a um perigo ama a vida com outra intensidade. Entrei a amar Virgília com muito mais ardor, depois que
estive a pique de a perder, e a mesma coisa lhe aconteceu a ela. (Capítulo LXXXV/ O cimo da montanha)
 
Gabarito
 Comentado
 
 
16/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/4
Distanciado dos fatos e situações narrados, o narrador de Memórias Póstumas de Brás Cubas
reconstrói o passado com a ajuda da memória. O problema com essa reconstrução do passado pela
memória é que: 
No romance, o resgate de fragmentos do passado, através da memória, permite-se viver de novo os fatos, mas de forma
organizada. A narrativa organiza tudo aquilo que, na vida, é bagunçado. Quando o narrador tenta fazer essa arrumação dos
fatos da vida, dá maior nitidez aos acontecimentos, dá sentido àquilo que, na vida real, acontece de forma tão
desordenada.São fatos selecionados pela memória e organizados pelo discurso, como exemplo, temos o romance Memórias
Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. Sobre esse romance, é incorreto afirmar:
 
7.
a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque, ao resgatar o passado, a
memória não faz distinção entre fato verídico e fato imaginado.
a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque, sendo seletiva, a memória não
registra tudo, havendo ainda o desgaste temporal dos fatos, acrescido do fato de se
tratarem de memórias póstumas. 
a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque, fundamentada na imaginação, a
memória confunde-se com o trabalho da ficção, além do mais tratando-se de um texto
literário.
a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque a memória reinventa o passado
como uma fábula muito mais do que o reconstrói fielmente.
a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque a memória reelabora o passado
pela via da emoção, não pela via da razão. 
 
 
 
Explicação:
A resposta correta é: a veracidade dos fatos é colocada sob suspeita porque, sendo seletiva, a
memória não registra tudo, havendo ainda o desgaste temporal dos fatos, acrescido do fato de
se tratarem de memórias póstumas. 
 
 
 
 
8.
O discurso do narrador-personagem relativiza conceitos e questões éticas.
O fato do narrador afirmar e negar o tempo todo, atribui veracidade ao que está sendo contado.
Há, em toda a narrativa, um processo de construção e desconstrução.
Assegurando a relação entre o texto literário e a sociedade que o produziu, o romance faz alusões, por meio do
narrador-personagem, à aristocracia, que, sem projeto, vive no vazio.
Brás Cubas é um narrador nada confiável. Para cada afirmação que faz, apresenta uma negação.
Gabarito
Comentado
 Não Respondida Não Gravada Gravada
Exercício inciado em 16/09/2020 01:45:05. 
javascript:abre_colabore('36788','205127761','4092272314');
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/5
 
O bicho
 
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre detritos.
 
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
 
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
 
O bicho, meu Deus, era um homem.
 
Este poema de Manuel Bandeira permite-nos afirmar que:
 
OFICINA LITERÁRIA 
Lupa Calc.
 
 
CEL0239_A10_202001284265_V1 
 
Aluno: FRANCISCO ROSA Matr.: 202001284265
Disc.: OFICINA LITERÁRIA 2020.3 EAD (G) / EX
 
Prezado (a) Aluno(a),
 
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua
avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se
familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
 
1.
A poesia lírica dedica-se somente a temas sociais.
A poesia lírica dedica-se exclusivamente a temas de denúncia social.
A poesia lírica dedica-se apenas a temas amorosos.
A poesia lírica pode tratar do tema que desejar. A sua marca é o olhar
javascript:voltar();
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
javascript:calculadora_on();
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/5
Leia atentamente a letra de canção abaixo e depois escolha a opção correta. 
"Quando eu digo que deixei de te amar / É porque eu te amo / Quando eu digo que não
quero mais você / É porque eu te quero / Eu tenho medo de te dar meu coração / E
confessar que eu estou em tuas mãos / Mas não posso imaginar / O que vai ser de mim / Se
eu te perder um dia / Eu me afasto e me defendo de você / Mas depois me entrego / Faço
tipo, falo coisas que eu não sou / Mas depois eu nego /Mas a verdade / É que eu sou louco
por você / E tenho medo de pensar em te perder Eu preciso aceitar que não dá mais / Pra
separar as nossas vidas // E nessa loucura de dizer que não te quero / Vou negando as
aparências / Disfarçando as evidências / Mas pra que viver fingindo / Se eu não posso
enganar meu coração? / Eu sei que te amo! / Chega de mentiras / De negar o meu desejo /
Eu te quero mais que tudo / Eu preciso do seu beijo / Eu entrego a minha vida / Pra você
fazer o que quiser de mim / Só quero ouvir você dizer que sim! // Diz que é verdade, que
tem saudade / Que ainda você pensa muito em mim / Diz que é verdade, que tem saudade /
Que ainda você quer viver pra mim." (Evidências. Composição: Jose Augusto / Paulo Sérgio
Valle. Intérpretes: Chitãozinho & Xororó.)
O Poema de Sete Faces de Carlos Drummond de Andrade começa com a famosa estrofe: "Quando
nasci, um anjo torto / desses que vivem na sombra / disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida." O termo
gauche pode ser interpretado como desajeitado, o que indica: 
subjetivo do poeta sobre qualquer realidade.
A poesia lírica rejeita temas perturbadores como este expresso no poema
¿O bicho¿.
 
 
 
Explicação:
A poesia lírica não tem restrição temática. Ela pode tanto tratar de temas amorosos quanto de temas filosóficos,
metalinguísticos ou sociais. Pode ser séria ou satírica.
 
 
 
 
2.
na letra da canção, o amor é caracterizado como algo sublime e acima do plano
mundano.
na letra da canção, as convicções morais e religiosas do eu lírico impedem a
realização do amor.
a letra da canção expressa o caráter contraditório e enigmático do sentimento
amoroso.
na letra da canção, eu lírico interessa-se exclusivamente pelo prazer pessoal,
ignorando o desejo do outro.
na letra da canção, o amor é relacionado à sexualidade de forma explícita e crua.
 
 
 
Explicação:
A resposta correta é: a letra da canção expressa o caráter contraditório e enigmático do
sentimento amoroso.
 
 
 
 
3.
o encontro entre o eu lírico e o mundo.
o desencontro entre o eu lírico e o mundo.
a resignação do eu lírico diante do sofrimento do mundo.
a visão crítica do eu lírico em relação ao mundo.
a revolta do eu lírico com o mundo.
 
 
 
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 3/5
Belo belo 
Belo belo minha bela 
 Tenho tudo que não quero 
 Não tenho nada que quero 
 Não quero óculos nem tosse 
 Nem obrigação de voto 
 Quero quero 
 Quero a solidão dos píncaros 
 A água da fonte escondida 
 A rosa que floresceu 
 Sobre a escarpa inacessível 
 A luz da primeira estrela 
 Piscando no lusco-fusco 
 Quero quero 
 Quero dar a volta ao mundo 
 Só num navio de vela 
 Quero rever Pernambuco 
 Quero ver Bagdá e Cusco 
 Quero quero 
 Quero o moreno de Estela 
 Quero a brancura de Elisa 
 Quero a saliva de Bela 
 Quero as sardas de Adalgisa 
 Quero quero tanta coisa 
 Belo belo 
 Mas basta de lero-lero 
 Vida noves fora zero.
(Manuel Bandeira)
O título do poema remete a um outro poema de Bandeira, que aparece no livro Lira dos cinquent¿anos. No texto sob
análise observa-se que o eu lírico:
A música e a literatura caminham de mãos dadas. A letra de música é um gênero
textual que apresenta lirismo. Assinale a alternativa que justifica essa afirmação.
Explicação:
A resposta correta é: o desencontro entre o eu lírico e o mundo.
 
 
 
 
4.
Está pleno com as mulheres que teve. De cada uma delas, deseja o todo.
Está satisfeito com o que tem, porque deseja tudo aquilo de que dispõe.
Está insatisfeito, pois tem o que não quer. E não tem aquilo que quer.
Está insatisfeito, embora tenha tudo o que deseja.
Está satisfeito, pois seus desejos se harmonizam com a realidade de tal forma que o eu lírico não tem desejos.
 
 
 
Explicação:
O estado do eu lírico é a insatisfação, expressa pelos muitos desejos que são todos colocados no paradigma da
impossibilidade.
 
 
 
 
5.
A letra de música, assim como o poema, afasta o leitor da realidade.
Na letra de música e no poema, existe um olhar singular, uma forma única de
sentir o mundo.
A letra de música, assimcomo o poema, gera o sonho, pois apresenta alto grau
de subjetividade.
A letra de música, assim como o poema, revela sempre um descontentamento
com o mundo que nos cerca.
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 4/5
Os versos a seguir são do poeta, cronista e compositor Vinícius de Moraes e fazem parte do poema "A um passarinho".
Vinícius pertenceu à geração de Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Jorge de Lima e Murilo Mendes, todos de
grande destaque na poesia brasileira a partir da década de 1930. Para que vieste/ Na minha janela/ Meter o nariz?/ Se foi
por um verso/ Não sou mais poeta/ Ando tão feliz! Neste versos, o eu lírico encontra-se:
José Régio (1901-1969) é um dos autores mais importantes da segunda geração do Modernismo português, o Presencismo,
e um dos fundadores da revista Presença, que dá nome ao movimento. Leia o soneto "Narciso" e, em seguida, responda a
questão.
Dentro de mim me quis eu ver. Tremia,/ Dobrado em dois sobre o meu próprio poço.../ Ah, que terrível face e que
arcabouço/ Este meu corpo lânguido escondia!/ Ó boca tumular, cerrada e fria,/ Cujo silêncio esfíngico bem ouço!/ Ó lindos
olhos sôfregos, de moço,/ Numa fronte a suar melancolia!/ Assim me desejei nestas imagens./ Meus poemas requintados e
selvagens,/ O meu Desejo os sulca de vermelho:/ Que eu vivo à espera dessa noite estranha,/ Noite de amor em que me
goze e tenha,/ ...Lá no fundo do poço em que me espelho!
De acordo com o soneto de José Régio, considere as afirmativas a seguir.
I - ao contrário de Narciso, personagem mitológico condenado a nunca conhecer a sua face externa sob o risco de morrer, o
poema de José Régio explicita que o eu lírico busca conhecer a sua face interna. Há uma nítida preocupação com a
autoanálise.
II - o eu lírico se decepciona com o que encontra ao dobrar-se sobre o seu próprio poço. A sugestão é de que o poço tem
pouca água, pois o seu reflexo é visto muito lá no fundo. O eu lírico acha terrível o que encontra, sofre e deseja de se
reconciliar consigo mesmo. Passa a viver à espera do momento, da noite estranha, em que possa, finalmente, como
Narciso, seduzir-se com o que vê, ou seja, gostar de si mesmo, ideia reforçada pelos versos do segundo terceto.
III - o eu lírico, assim como Narciso, contempla a sua própria face e expressa fascinação, encantamento e prazer com o que
encontra. Deseja ficar consigo próprio no fundo do poço em que se espelha, evidenciando egocentrismo e autossuficiência.
Assinale a alternativa correta.
Considere o poema, de Manuel Bandeira:
Nova poética
Vou lançar a teoria do poeta sórdido.
A letra de música, assim como o poema, revela o homem numa condição
distante da realidade.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
6.
interrogativo, com muitas dúvidas a respeito da felicidade e escolhe o passarinho como o seu interlocutor privilegiado.
agressivo e irritado com o incômodo causado pelo canto feliz do passarinho, uma vez que o eu lírico está indeciso
quanto a ser ou não ser poeta.
feliz e decidido, o eu lírico renuncia ao posto de poeta, visto que condiciona a atividade de escrever versos ao estado
de tristeza.
animado, disposto a criar versos, pois associa a inspiração poética ao estado de felicidade.
reflexivo e repleto de indagações existenciais que se dirigem à natureza, no caso, ao passarinho.
 
Gabarito
 Comentado
 
 
 
7.
Todas as alternativas são corretas.
As afirmativas I e III são corretas.
Somente a afirmativa I é correta.
As afirmativas I e II são corretas.
Somente a afirmativa II é correta.
Gabarito
Comentado
Gabarito
Comentado
 
8.
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 5/5
Poeta sórdido: Aquele em cuja poesia há a marca suja da vida.
Vai um sujeito,
Sai um sujeito de casa com a roupa de brim branco muito bem engomada, e na primeira esquina passa um caminhão,
salpica-lhe o paletó de uma nódoa de lama.
É a vida.
O poema deve ser como a nódoa no brim:
Fazer o leito satisfeito de si dar o desespero.
Sei que a poesia é também orvalho.
Mas este fica para as menininhas, as estrelas alfas, as virgens cem por cento e as amadas que envelheceram sem maldade.
 
Sobre o poema, não se pode afirmar:
O papel do caminhão é sórdido como o do poeta: é a vida que fica impressa no brim branco do passante; é a vida que
deve ser impressa no branco do papel.
O poeta aponta, ironicamente, a existência da poesia sem a marca suja da vida, ou seja, a poesia orvalho, cujos
assuntos poéticos são os amores cor-de-rosa escritos em versos certinhos e rimados.
A vida no poema, objetiva retirar o leitor acomodado de sua passividade, fazer com que o indivíduo apático e insípido
passe a sentir na própria pele a marca da vida.
O quinto verso, muito longo, sujeito de roupa de brim branco engomadinha sugere a típica figura do cidadão que aceita
a vida sem qualquer questionamento, cuja roupa atende às convenções sociais.
Manuel Bandeira ironiza a poesia que se ocupa de um mundo tão amplo, rico e plural como o mundo dos homens.
 Não Respondida Não Gravada Gravada
Exercício inciado em 17/09/2020 03:23:00. 
javascript:abre_colabore('36941','205256821','4094828306');
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 1/4
 
Disc.: OFICINA LITERÁRIA 
Aluno(a): FRANCISCO ROSA 202001284265
Acertos: 9,0 de 10,0 17/09/2020
 
 
Acerto: 1,0 / 1,0
23. Quanto ao sentido podemos dizer que um texto:
 É construído na interação texto-sujeitos e não algo que preexista a essa interação
Tem sempre possibilidades de leitura limitadas
Segue sempre um plano preexistente determinado pelo autor
É fechado ao leitor, que necessita se interar das intenções do autor
Deve ser interpretado pelo sentido atado ao significado das palavras
Respondido em 17/09/2020 03:40:42
 
 
Gabarito
 Comentado
 
Acerto: 1,0 / 1,0
É possível dizer que existe uma relação viável entre literatura e cultura?
Não, pois não podemos avaliar essa questão tendo a literatura como parte do problema
Não, pois a literatura afasta-se da noção de cultura, pois a visão do autor é particular
Sim, apesar do conceito de literatura anular o conceito de cultura
Não, pois a literatura não tem nenhuma relação com a perspectiva cultural
 Sim, pois a matéria literária é a cultura, sendo essa o fator determinante para a existência daquela
Respondido em 17/09/2020 03:41:25
 
 
Gabarito
 Comentado
 
Acerto: 1,0 / 1,0
 
Considere a seguinte afirmação:
" ____________é uma narrativa literária de grande extensão e caráter heróico que atinge
interesses sociais e nacionais onde se movimentam deuses e heróis."
 Questão1
a
 Questão2
a
 Questão3
a
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
17/09/2020 Estácio: Alunos
https://simulado.estacio.br/alunos/?user_cod=2570245&matr_integracao=202001284265 2/4
Marque a alternativa em que se encontre o termo que melhor completaria a lacuna:
poesia
crítica
terceto
análise
 epopéia
Respondido em 17/09/2020 03:41:45
 
Acerto: 1,0 / 1,0
O ingrediente essencial da trama romanesca é:
o desejo.
o sonho.
a realidade.
o ideal.
 a aventura.
Respondido em 17/09/2020 03:43:13
 
 
Explicação:
A resposta correta é: a aventura.
 
 
Acerto: 1,0 / 1,0
Qual é o foco do conto?
Emocionar o leitor, pois se ocupa de fatos trágicos
Convencer o leitor, pois é instrumento político
Divertir o leitor a partir de uma narrativa incompleta
Atualizar o leitor, já que é puramente informativo
 Levar o leitor ao desfecho, o clímax da narrativa
Respondido em 17/09/2020 03:43:37
 
 
Gabarito
 Comentado
 
Acerto: 1,0 / 1,0
Qual das características abaixo não se aplica à crônica?
A crônica é um texto leve, mais fácil de ser entendido pelo leitor.
 A crônica é um gênero propício ao debate de idéias, devido a sua complexidade.
A crônica tem um forte traço cômico, divertindo o leitor.
A crônica é um tipo

Outros materiais