A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Atividade discursiva - Patrícia Racca

Pré-visualização | Página 1 de 1

a) Em relação ao contexto, relacione possíveis reações adversas a medicamentos, devido a mudanças fisiológicas ocorridas durante o processo de envelhecimento.
 	
As alterações fisiológicas inerentes ao processo de envelhecimento apresentam se pela diminuição do número de células existentes no organismo, produção mais lenta de proteínas, queda da imunidade, tendência ao aumento ou à diminuição de determinados hormônios, menor teor de água, fluxo sanguíneo e hepático diminuído. Essas são mudanças fisiológicas que devemos considerar quando se administra fármacos a um idoso. Podemos dizer que a distribuição e a metabolização do fármaco são os mais afetados durante o processo de envelhecimento do organismo.
Os idosos apresentam maior quantidade de gordura no organismo, conseguintemente menor teor de água. Dessa forma, as substâncias lipossolúveis terão maior volume de distribuição e maior tempo de meia-vida nos idosos. Neste caso, o paciente de idade avançada apresentar sedação prolongada ao ser medicado com a droga benzodiazepínico. Por outro lado, as drogas hidrossolúveis terão menor volume de distribuição apresentando maior concentração sérica que pode provocar intoxicação digitálica no idoso. 
A redução do fluxo sanguíneo e fluxo hepático decorrente do envelhecimento contribuem para a redução do metabolismo causando o aumento da meia-vida dos fármacos no organismo. O rim que é um dos órgãos mais sensíveis ao envelhecimento tem seu fluxo plasmático reduzido, decorrente da redução da massa renal. Sendo assim, a eliminação renal pode estar prejudicada, prolongando à meia-vida plasmática e causar efeitos tóxicos. Portanto, é preciso amenizar o número de drogas a serem administradas para evitar interações medicamentosas e maiores possibilidades de reações adversas no organismo do paciente senil.
b) Descreva intervenções do odontólogo a fim de evitar as possíveis reações adversas a medicamentos em idosos.
 	O cirurgião-dentista que se propõe a atender indivíduos geriátricos deve conhecer o paciente como um todo e não somente a cavidade bucal. Para o bom acompanhamento do idoso, o profissional precisa estudar os detalhar da anamnese, observando sempre, se existe alteração sistêmica e também comprometimento de algum órgão. É muito importante conhecer a saúde do paciente e as mudanças fisiológicas do envelhecimento para que seja possível a prescrição de medicamentos sem que sobrecarregue o órgão do idoso. 
Portanto, é dever do odontólogo o conhecimento das patologias mais prevalentes nos idoso, os efeitos e possíveis interações com os medicamentos utilizados para essa faixa de idade. Devemos ser prudentes, e iniciar a medicação em doses pequenas e adequar conforme a resposta do organismo. Sendo assim, o profissional odontólogo que estar bem familiarizado com situações sistêmicas e com a farmacologia, tem mais chance de obter sucesso no tratamento oral do idoso.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.