A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
414 pág.
743_manualsinalizacaorodoviaria

Pré-visualização | Página 28 de 50

à última 
mensagem de localidade deve ser a mesma mostrada na primeira linha da seção, em fundo azul 
(ver Figura 180). 
Figura 180 - Ordenamento em caso de localidades e locais 
 
 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
175 
MT/DNIT/IPR 
2.4.4.6. O número máximo de sentidos a serem informados não deve ser superior a três. Havendo 
necessidade de se informar um quarto sentido, deve-se fazer uso de placas complementares. No caso 
de mais de uma saída no mesmo sentido, recomenda-se a utilização de placas diagramadas. Estas 
podem informar três direções diferentes, como no exemplo a seguir (ver Figura 181). 
Figura 181 - Placa diagramada 
 
 
2.4.4.7. Nas placas indicativas com setas, estas devem estar posicionadas sempre do lado da saída. 
Assim sendo, setas indicando acessos à direita devem estar posicionadas no lado direito, enquanto 
setas indicando acessos à esquerda devem estar posicionadas no lado esquerdo da placa 
(ver Figura 182). 
Figura 182 –Posicionamento de placas indicativas com setas 
 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
176 
MT/DNIT/IPR 
Figura 183 - Posicionamento da placa e da seta quanto ao lado da saída 
 
 
 
 
2.4.4.8. Quando as placas indicarem diferentes sentidos, a legenda com o sentido “em frente” deve 
estar no lado oposto daquela relativa à saída da rodovia, ou seja, se a saída é à esquerda, a seta 
indicando “em frente” deve estar posicionada à direita, e vice-versa. Esta medida tem como objetivo 
contrapor as mensagens, de modo a estimular a correta compreensão, por parte do usuário (ver 
Figuras 184 e 185). 
Figura 184 - Acesso à esquerda 
 
 
Figura 185 - Acesso à direita 
 
 
2.4.5 – Tipos de sinais de indicação 
Os sinais de indicação podem ser de vários tipos. A seguir estão discriminados cada um deles, com os 
respectivos termos como são conhecidos, entre parênteses: 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
177 
MT/DNIT/IPR 
Indicativos de Localidades (localidades); 
Indicativos de Locais de Interesse Público (locais); 
Indicativos de Obras-de-Arte Especiais (OAE); 
Indicativos de Distância de Localidades (distância); 
Indicativos de Distância de Aproximação (aproximação); 
Indicativos de Divisas (divisa); 
Indicativos de Serviços Auxiliares (apoio); 
Indicativos de Mensagens Institucionais (institucionais); 
Indicativos de Mensagens Operacionais (operacionais); 
Indicativos de Mensagens Educativas (educativos); 
Indicativos de Atrações Turísticas (turísticos); 
Identificação de Rodovia (identificação); 
Identificação Quilométrica ou Marco Quilométrico (km). 
a) Indicativos de localidades (localidades) 
Os sinais indicativos de localidade têm como finalidade orientar os usuários, em diferentes etapas, 
fornecendo-lhes a direção e o sentido a serem seguidos para se chegar às localidades cujo acesso se 
aproxima, através de legendas e setas. 
Entende-se por localidades, além de cidades, os bairros e vias urbanas importantes (ruas e avenidas), a 
serem apresentadas em fundo verde. As legendas com rodovias devem ser apresentadas em seção com 
fundo azul, separada por tarja das demais seções da placa. As mensagens de localidades têm 
preferência sobre os demais tipos de mensagens. 
Desta forma, os sinais indicativos de localidade devem obedecer aos seguintes padrões de cor por 
elemento da placa: 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
178 
MT/DNIT/IPR 
Tabela 13 – Padrões de cor por elemento da placa 
Elemento 
Cor 
Localidades Rodovias 
Fundo Verde Azul 
Orla interna Branca Branca 
Orla externa Verde Azul 
Tarja Branca Branca 
Legenda Branca Branca 
Seta Branca Branca 
Símbolo - Branco e preto 
 
A informação a ser transmitida ao usuário deve ser feita em duas etapas, como discriminado a seguir: 
Sinais de pré-indicação ou de pré-sinalização (pré); 
Sinais de confirmação de indicação (confirmação). 
Os termos entre parênteses correspondem à maneira usual e corriqueira de se referir. 
Os sinais de pré-indicação (pré) antecedem os sinais de confirmação de indicação e têm como 
objetivo preparar o usuário para seguir a direção por ele desejada adiante e que deverá ser confirmada 
pelas informações contidas nos sinais de confirmação de indicação (confirmação). 
Os sinais de confirmação indicam ao usuário o local exato da tomada de decisão com vistas à escolha 
do percurso a seguir. Ou seja: têm como propósito confirmar e complementar as indicações dos sinais 
de pré-indicação (pré). 
Assim, os sinais de pré-indicação devem estar localizados a uma distância adequada, de tal modo que 
o motorista tenha tempo para se posicionar corretamente e ingressar no acesso correspondente. Esta 
preparação consiste na mudança para a faixa de rolamento certa, a qual está muitas vezes ocupada, 
devendo então o motorista esperar para realizar a manobra. 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
179 
MT/DNIT/IPR 
A distância do sinal de pré-indicação em relação ao ponto de tomada de decisão é função da 
velocidade da via, ou seja, quanto maior for à velocidade, mais afastado deve estar o sinal de pré. Por 
outro lado, em vias urbanas, nas quais a descontinuidade imposta ao fluxo veicular pelos dispositivos 
de controle de tráfego (semáforos, placas de parada obrigatória, entre outros) obriga os motoristas a 
trafegarem a velocidades muito reduzidas, à distância em questão pode ser reduzida. 
As placas de confirmação são colocadas no local de tomada de decisão do motorista, sobre qual 
sentido escolher. Uma decisão errada obrigará o condutor a realizar manobras de retorno para a 
direção correta, acarretando aumento do tempo de viagem e gerando uma circulação viária 
desnecessária. Por isto, as mensagens transmitidas nos sinais de confirmação devem ser enfáticas e 
objetivas, não dando margens a interpretações erradas por parte do usuário. Esta objetividade é obtida 
não somente pelas posições e inclinações corretas das setas, convenientemente projetadas em função 
dos sentidos a serem sinalizados, mas também pelo posicionamento do próprio sinal no interior da 
área que abrange a interseção. 
Cada um desses sinais assume configurações distintas, dependendo das características da via. A seguir 
são abordados os diferentes casos em conformidade com os tipos de via. 
− Rodovias com velocidade < 80 km/h 
Salvo em condições especiais, nas quais os estudos técnicos recomendem um procedimento distinto, 
as rodovias com velocidade menor do que 80 km/h devem conter uma placa de pré e uma de 
confirmação. As primeiras são colocadas, geralmente, na borda direita da via, enquanto a de 
confirmação é posicionada no lado da via no qual se encontra o acesso. Podem ser fixadas no solo, em 
colunas duplas ou triplas (dependendo da área da placa) ou serem aéreas, em braços projetados, 
semipórticos simples ou duplos, ou pórticos. A escolha do dispositivo de sustentação adequado é 
função das características físicas e operacionais da via e do fluxo veicular, e deve ser baseada nas 
recomendações da subseção 2.4.1. 
− Rodovias com velocidade ≥ 80 km/h 
Nas rodovias com velocidade maior ou igual a 80 km/h, as quais operam com padrões geométricos 
mais favoráveis, o projeto de sinalização deve ser mais rigoroso. Neste caso, os sinais de pré devem 
contemplar mais de uma etapa, em especial nos trevos com rodovias federais e estaduais relevantes, 
ou com grandes eixos de acesso a importantes centros urbanos. O primeiro sinal de pré deve informar 
Manual de Sinalização Rodoviária 
 
 
180 
MT/DNIT/IPR 
a distância a ser percorrida, tipicamente, a 1 km ou a 2 km do local de decisão, e/ou a numeração de 
saída. 
Figura 186 – Posicionamento de sinais de pré-indicação 
 
 
Nos casos de duas saídas próximas, na mesma direção, é recomendável a utilização de placas