A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Diagnostico laboratorial do Diabetes mellitus

Pré-visualização | Página 1 de 1

Diagnostico laboratorial do Diabetes mellitus
· Definição:
- distúrbio metabólico -> hiperglicemia persistente. Causada por uma deficiência na produção de insulina ou na sua ação ou ambos. 
· Etiologia: interação de fatores genéticos e ambientais.
· Consequências: doenças cardiovasculares, retinopatia, nefropatia, neuropatia e etc. 
· Classificação DM: 
· Manifestações clinicas do DM: poliuria, polidipsia (sede em excesso), perda ponderal inexplicada, fraqueza e polifagia, visão turva ou infecções. 
· Diagnostico laboratorial do DM: utilizados também para rastreio e não só diagnostico. 
- glicemia de jejum
- teste oral de tolerância a glicose (TOTG)
- hemoglobina glicada (HbA1c)
- dosagem de autoanticorpos
· Glicemia em jejum: avaliar a concentração de glicose presente no sangue periférico após um período de jejum de 8 horas (não ultrapassar um jejum de 14 horas). Sempre utilizar o PLASMA para avaliar, para impedir a glicólise. 
- Fatores interferentes (aumentam): exercício físico vigoroso, estresse, infecções, traumas, queimaduras. 
· Teste oral de tolerância a glicose (TOTG) / Curva glicêmica: Pacientes com valores de glicemia de jujum limítrofe (pré-diabetico). 
- Gestantes: método diagnostico (sensível). 
- Como é feito o teste: primeiramente em retirado uma coleta de sangue e após isso realiza a sobrecarga de glicose (75 g) é injetada no paciente e realiza a segunda coleta de sangue após 2 horas. 
A dieta deve ser a habitual e sem restrição de carboidratos pelo menos nos 3 dias anteriores a realização do teste. Para ver se a alimentação esta interferindo no paciente. 
· Hemoglobina glicada (HbA1c): medida indireta da glicemia dos últimos 3 – 4 meses. Nesse caso, a glicose combina-se com a Hb de modo irreversível e continuo durante o tempo de vida dos eritrócitos (120 dias). 
- Fatores interferentes: anemias, hemoglobinopatias, uremia, idade, etnia. Podem interferir nos números de eritrócitos e interferir no numero de glicose que seria ligado a ela. 
- Útil para: diagnostico, monitoramento do paciente com DM, previsão para desenvolvimento e progressão de complicações microvascular. 
- Método padronizado pela DCCT e NGSP. Cuja teste denota padronização para que seja útil para os 3 tipos de variantes. 
· Dosagem de autoanticorpos: 
- anticorpo anti-ilhota (ICA)
- anticorpo anti-insulina (IAA): reação direta das células beta-pancreaticas.
- anticorpos anti-descarboxilase do acido glutâmico (anti-GAD): os dois últimos aa são sub frações e nesse caso aparece mais associado ao DM tipo 1. 
- anticorpo anti-tirosina fosfatase (anti-IA2)
 Pedir a dosagem desses anticorpos em suspeita de DM 1.
- Identificar diabetes autoimune latente do adulto (LADA). 
· Diagnostico de normoglicemia, pré diabetes e diabetes: 
· Exames laboratoriais – controle glicêmico: não podem ser utilizados para diagnostico, somente para controle. 
- glicemia pós-prandial: 
- frutosamina: utilizada para controle glicêmico e não diagnostico
- 1,5- anidrocitol
- albumina glicada: utilizada para controle glicêmico e não diagnostico
· Diabetes gestacional:
- Gestante normoglicêmica: < 92 mg/dl.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.