A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
Aulas de Silvestre 6 semestre

Pré-visualização | Página 2 de 14

penas, recebendo papinha no bico, apresentando com os seguintes sinais clínicos: - dispnéia - estertor em sacos aéreos - escore corporal baixo 
1- Qual (s) regiões anatômicas estão envolvidas? 2- Qual característica anatômica das aves facilita a ocorrência deste probelma? 
3- Qual o possível diagnóstico?
RESPOSTA:
SISTEMA RESPIRATÓRIO
COANA: interligação entre a cavidade oral e a cavidade nasal. Muitas vezes se tem alguma alteração em sistema respitarória pode haver alteração na coana. 
SEIOS NASAIS: Nas áreas, tem uma pele muito fina, e uma característica de produzir um pus muito duro que se chama ceasea, quando ela começa a formar pus vai ter um aumento de volume e sempre vai sair pelo canto dos olhos. O antibiótico não tem grandes efeitos nesse caso, assim tem que realizar algo tópico, como pingar algo nos olhos, que tem ligação aos seios nasais.
Se um animal está com ronquidão analisar, seringe (fica bem na bifurcação da traqueia), traqueia e seios nasais pra saber o que está causando. 
Tomar cuidado ao sondar! Pode lesionar
Traquéia 
ØAnéis completo (intubação)
ØSem epiglote (alimentação forçada, medicamentos) ØSeringe 
ØPenguin – traquéia
PULMÃO
ØRígidos 
ØBronquios primários, secundários e Parabronquios ØFixados dorsalmente na região ”toracica) 
Ø Auscultação
Rigido, fica perto das escapulas 
Tem parabrônquis invés os brônquios, é onde acontece as trocas gasosas, só que não é um saco fechado, isso porque o pulmão nã é a única parte do sistema respiratório, tem os sacos aéreos também. 
No pulmão é o único lugar das aves que faz a troca gasosa.
Para auscultar melhor a respiração se coloca o esteto na região dorsal. 
Geralmente se ausculta são os sacos áeros
SACOS AEREOS 
Ø Epitélio simples, não estratificado com algumas células ciliadas e secretoras
Ø Número de sacos aéreos depende da espécie (média = 9) 
Ø Clavicular (1) 
Ø Cervical (2) 
Ø Torácico (4 - cranial e caudal) 
Ø Abdominal (2) 
Ø Volume de gás é 10 vezes maior do que no pulmão.
Tecido bem fino
Não tem capacidade fazer troca gasosa
É a continuação do pulmão e faz com que aumente a capacidade respiratória da ave, é ele que se expande. 
Em todas as aves o úmero e o fêmur vai ter saco aéreos.
 
--- respiração da ave --- O quadrado representa o pulmão e os redondos os sacos aéreos, assim, tem a primeira inspiração, que vai passar pelos pulmões e vai para os sacos aéreos caudais, não havendo troca gasosas, depois terá a primeira expiração, o gás que estava nos sacos vai para o pulmão e terá as trocas gasosos, tem a segunda inspiração e sai do pulmão e vai para os sacos aéreos craniais e a segunda expiração que sai do pulmão e vai para fora do corpo. Assim teve dois ciclos completos para o ar sair do pulmão e ir direto para o organismo. 
Pode se canular saco aéreo em casos de obstrução de traqueia, só não pode deixar muito tempo porque pode causar infecção. 
Consegue fazer uma cirurgia respiratória canulando os sacos, isso pode ajudar em casos de neoplasias, funcionando da mesma forma que se fosse na traqueia. 
Quando começa a cortar o saco aéreo tem que avisar o anestesista, porque quanto mais saco aéreo for cortado mais difícil será de manter o animal. 
Ossos pneumáticos, os mais importantes são o tênue e o úmero. Eles são os mais importantes porque é onde vai ter mais fraturas. 
É muito difícil acesso venoso quando o animal está muito doente/debilitado, então tem um acesso intra ósseo (qualquer idade), porém em mamíferos sempre se usa fêmur e úmero. Nas aves não se usa em fêmur e úmero, porque dependendo do que for fazer vai para os sacos aéreos. 
SISTEMA DIGESTÓRIO
-Lingua 
-Esôfago 
-Papo (inglúvio) 
-Proventriculo 
-Ventrículo (moela) 
-Fígado 
-Intestino 
-Pancreas 
-Ceco
Em aves cada espécie o sistema digestório terá uma função diferente. 
LÍNGUA 
ESOFÂGO 
-Esôfago e inglúvio 
-Mucosa, submucosa, tunica muscular e serosa -Inglúvio – expansão do esôfago 
-O tamanho do inglúvio varia com a espécie!!
-Importância Inglúvio- 
 --Ao alimentar filhotes, observar se animal tem reflexo de filhote 
 --Cuidado com aspiração 
-- Podemos dar grandes quantidades de uma vez 
 --Em filhotes pode ocorrer lesão em papo por oferecer papinha quente
No final do esôfago vai se transformar em papo (armazena alimento). Tem que colocar o alimento ou algum medicamento tem que ir colocando devagar, porque pode encher o papo muito rápido e assim o animal expira e pode chegar e óbito. Tem algumas espécies que não tem papo, como a Coruja por exemplo. 
Função do papo 
--armazenar comida e permitir que o animal tenha energia 
--Ingerir grande quantidade de alimento de uma vez
No mamífero se diferencia vômito e regurgitação. Vendo através da consistência (se foi digerido ou não), tempo, mimica de vomito. Nas aves tem um problema, porque como armazena, fica difícil se diferenciar se regurgitou ou vomitou. No vômito existe movimento ativo, ele chacoalha, respingando as rações.
ESTÔMAGO 
Divido em duas partes : 
Proventriculo e ventrículo 
Proventriculo – glandular 
Ventriculo – muscular 
---Tamanho dos dois depende da alimentação---
– Moela é um pedaço do estomago. 
É divido em duas partes 
PRÉ VENTRICULO E A SEGUNDA VENTRICULO OU MOELA
PRÉ VENTRICULAR – Equivalente ao estomago químico 
Proventrículo – dois tipos de glândula 
Muco 
Acido clorídrico e pepsina
VENTRICULO
Ventrículo – mais desenvolvido em granívoros e insetívoros (quebrar exoesqueleto)
Musculatura 
Membrana de coilina (queratina, proteção física para a mucosa) - necropsia 
Pedras ajudam a macerar 
Piloro 
– Tem a função de macerar o alimento. Sendo atuação muscular. Tendo quatro musculaturas contrarias que ajudam a macerar o alimento, para ajudar a ave acaba engolindo pedrinhas que vai ficar presas em um espaço e ajuda a macerar o alimento. 
A proporção do estomago entre o pré ventrículo e o ventrículo vai depender do que o alimento se alimenta, por exemplo a carne, o estomago químico que vai atuar mais. 
O estômago tem uma membrana de queratina que protege a mucosa muscular, essa queratina vai ser degrada e ser constituída o tempo todo. 
É importante saber do que o animal se alimenta porque por exemplo em um exame radiográfica precisa saber em quanto tempo o alimento vai passar pelo sistema digestório. 
Rapinantes possuem um sistema um pouco mais complexo para conseguirem expelir restos não digeríveis de seu alimento – pelet 
9 horas após a alimentação – penas, pelo, osso
INTESTINO - PÂNCREAS – Igual ao do mamífero 
---Intestino delgado – disgestão enzimática e absorção de nutrientes 
---Duodeno (jejuno e ilio nao podem ser diferenciados) 
---Duodeno faz um loop – localização do pâncreas 
---Pâncreas – similar a mamíferos – amilase, lipase, tripsina … 
---Não produzem lactase
Tamanho do intestino depende da espécie de aves 
Tucano possui o trato intestinal curto 
Nectiváros E insetívaros possuem trato intestinal curto (alimentação mais fácil de ser digerida?) 
O intestino de aves possui a capacidade de fazer peristaltismo normógrafo e retrogrado – leva alimento de volta ao estômago
CECO– Fermentação! É diferentes de outras espécies. Tem algumas espécies que não tem ceco.
Não esta presente em todas as espécies 
Presente em galiformes, aves aquáticas e ratitas 
Fermentação de matéria vegetal
**Não tem problema dar um petisco com a presença de lactose. 
O tamanho do intestino vai depender da espécie. 
VESICULA BILIAR: Não está presente em todas as espécies. 
Vesícula biliar presente em algumas espécies como aves de rapina e aves aquáticas 
Maior órgão 
Sintetiza colesterol e ácidos biliares 
Proteína plasmática
Tem muito problema em fígado de aves, isso podendo ser influenciado pela alimentação. O problema hepático pode causar outros problemas, se o fígado aumentar por conta de uma lipidose hepática pode acabar comprimindo outros órgãos. 
CLOACA – Único orifício das aves 
 INTESTINO GROSSO E CLOACA
---COPRODEO--- Onde fica armazenado todas as fezes: reto – maior porção (possuem um esfincter para separar das outras partes da