A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
TUTORIA- DISCUSSAO DE CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM CRIANÇA

Pré-visualização | Página 3 de 3

pressão intracraniana e até mesmo coma. 
 
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS 
 
 
O período de incubação é de 2-10 dias e a apresentação clínica pode ser na forma de 3 síndromes, que não 
necessariamente estão todas presentes. 
 
Síndrome toxêmica:​ Queda importante do estado geral, febre alta, delirium, e quadro confusional. 
Sinal de Faget ​(dissociação pulso-temperatura) pode estar presente. 
Síndrome da Hipertensão Intracraniana (HIC):​ Cefaleia, náuseas e vômitos. 
Síndrome da irritação meníngea:​ Rigidez nucal, sinal de Kernig, sinal de Brudzinski e desconforto lombar. 
 
 
 
 Beatriz Gurgel - Medicina - UFMS CPTL ​⚕  
TUTORIA 6- CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM 
CRIANÇA  
 
 
 
 
Somente 50% dos pacientes apresentam essa tríade. Outros achados são convulsões e sinais neurológicos 
focais.​ A presença de lesões cutâneas é bem características da N. meningitidis. 
 
A infecção por meningococo pode levar a meningite e meningococcemia, sendo denominada como doença 
meningocócica, que é um problema de saúde pública devido ao risco de surtos. 15-20% possuem evolução 
rápida e muitas vezes fulminante devido a septicemia meningocócica, apresentando choque e coagulação 
intravascular disseminada (CIVD), compondo a Síndrome de Waterhouse-Friderichsen. 
 
Em lactentes, a presença de rigidez da nuca quase nunca está presente, sendo necessário analisar o quadro 
geral, abaulamento da fontanela e dados epidemiológicos para a suspeição de meningococo. Muitas vezes a 
criança pode apresentar convulsões associadas. 
 
 
 
 
 
 Beatriz Gurgel - Medicina - UFMS CPTL ​⚕  
TUTORIA 6- CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM 
CRIANÇA  
 
 
 
 
 
 
 Beatriz Gurgel - Medicina - UFMS CPTL ​⚕  
TUTORIA 6- CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM 
CRIANÇA  
MORFOLOGIA 
Na meningite aguda, um exsudato fica evidente dentro das leptomeninges sobre a superfície do 
cérebro. Os vasos meníngeos são ingurgitados e proeminentes. Das áreas de maior acúmulo, tratos 
de pus podem se acompanhados ao longo dos vasos sanguíneos na superfície cerebral. Quando a 
meningite é fulminante, as células inflamatórias infiltram as paredes das veias leptomeníngeas e 
podem se espalhar na substância do cérebro (cerebrite focal) ou a inflamação pode se estender para 
os ventrículos, produzindo ventriculite. No exame microscópico, os neutrófilos preenchem todo o 
espaço subaracnóideo nas áreas gravemente afetadas ou podem se encontrados predominantemente 
em volta dos vasos sanguíneos leptomeníngeos, nos casos menos graves. Na meningite não tratada, 
 
 
 
 
 
TRATAMENTO 
 
A antibioticoterapia empírica deve ser iniciada logo após a punção lombar e coleta de sangue para hemocultura 
de preferência. É recomendado iniciar antes ou com primeira dose do antibiótico, corticoterapia com 
Dexametasona 10mg, IV, 6/6h por 4 dias, o que irá diminuir a inflamação do SNC e reduzir os danos 
neurológicos secundários. 
 
 
 
 
Aspectos relevantes 
- Meningites bacterianas são processos agudos associados a uma elevada incidência de complicações e risco 
de sequelas, sendo causa de alta morbimortalidade na infância. 
- A coleção subdural (mais frequente) e o abscesso cerebral (menos frequente) são complicações importantes 
da meningite. 
 
 
- Os agentes bacterianos mais frequentes em crianças variam sua incidência de acordo com a idade do 
doente. 
- O exame do líquor é mandatório e essencial para o diagnóstico nos casos de suspeita de meningite 
bacteriana. 
 
 
 
 Beatriz Gurgel - Medicina - UFMS CPTL ​⚕  
TUTORIA 6- CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM 
CRIANÇA  
 
a coloração de Gram revela quantidades variáveis do organismo causador. A meningite bacteriana 
pode estar associada com abscessos no cérebro, discutidos mais adiante. A flebite também pode levar 
à oclusão venosa e ao infarto hemorrágico do cérebro subjacente. Se for tratada precocemente, pode 
haver pouco ou nenhum resíduo morfológico. 
 
 
 
- A intervenção precoce através de hidratação intensiva e antibioticoterapia pode melhorar significativamente o 
prognóstico. 
 
COMPLICAÇÕES 
 
O ​abscesso cerebral é a complicação menos frequente da meningite, caracterizada pela persistência de febre 
na vigência do tratamento com antibióticos. O processo inflamatório/infeccioso parenquimatoso (cerebrite) 
evolui para a formação de abscessos encapsulados únicos ou múltiplos. A ruptura da cápsula, com 
extravasamento de seu conteúdo para o sistema ventricular, decorre em ventriculite, que representa 
repercussão do agressor bacteriano ao epêndima cerebral. Sua suspeita deve ser sempre considerada quando 
não há resultados satisfatórios no tratamento da meningite e quando existe demora na diminuição do nível de 
bactérias no líquor. O exsudato inflamatório resultante desse processo pode obstruir o espaço subaracnóideo 
ou o aqueduto cerebral e forames de saída do IV ventrículo, provocando hidrocefalia comunicante e não 
comunicante respectivamente. 
 
A ​coleção subdural é a complicação mais frequente da meningite (~25-30% dos casos), decorrente de 
inflamação das veias subdurais, com extravasamento de líquido para o espaço subdural. Geralmente são 
estéreis, podendo se tornar sépticas (empiemas subdurais). À RNM, são visualizadas como coleções 
extra-axiais em forma de crescente, com densidade similar à do líquor, que se resolvem espontaneamente. 
 
Os ​empiemas subdurais são definidos como coleções purulentas situadas entre a dura-máter e a aracnóide, 
sendo que aproximadamente 70% deles são decorrentes de sinusopatias. A sintomatologia é caracterizada por 
febre prolongada, cefaleia, rigidez de nuca, crises convulsivas, vômitos e sinais neurológicos focais. Nos 
estudos de imagem, mostram-se como coleções em crescente ou lenticulares na convexidade ou na região 
inter hemisférica, com membrana circundante que se reforça intensa com contraste. Na TC apresentam-se com 
baixa densidade. Na RNM em T2 são levemente hiperintensas em relação ao líquor. 
 
Infecções do SNC​ são a causa mais comum de doença cerebrovascular adquirida em crianças. 
 
A isquemia cerebral decorre da produção de citocinas inflamatórias que estimulam a aderência de leucócitos 
no vaso, levando a vasculite, hipóxia, necrose e infarto cerebral. Na TC é vista como uma hipodensidade 
envolvendo as substâncias branca e cinzenta, com apagamento da junção entre elas, além de hiperatenuação 
arterial. 
 
 
 Beatriz Gurgel - Medicina - UFMS CPTL ​⚕  
TUTORIA 6- CASO CLÍNICO SOBRE MENINGITE EM 
CRIANÇA