A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
aph2

Pré-visualização | Página 49 de 50

devem ser transportados pelos profi ssionais do policiamento;
 Alimentos não devem ser uma preocupação da equipe e nem transportados na ambulância.
SAMU_basico_PE.indd 18 21/06/2016 07:15:41
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Protocolo Samu 192
Protocolos Especiais
1/1
PE19 - Dispensa de paciente na cena
Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 
Adaptações são permitidas de acordo com as particularidades dos serviços. 
Elaboração: Agosto/2014 
Revisão: Outubro/2014
PE19
PE19 - Dispensa de paciente na cena
Quando suspeitar ou critérios de inclusão
• Quando, após avaliação criteriosa e/ou atendimento do paciente, não houver necessidade ou indicação, 
naquele momento, de prosseguir o atendimento em uma unidade de saúde.
Conduta
A liberação de pacientes do local da ocorrência, na ausência de médico intervencionista na cena é de 
competência exclusiva da Regulação Médica. Diante dessa possibilidade a equipe sem médico deve:
• executar a avaliação primária e a secundária;
• informar a Regulação Médica sobre a situação e as condições do paciente;
• aguardar orientações da Regulação Médica;
• assegurar-se de que o paciente ou responsável estão bem orientados sobre a necessidade de procurar 
atendimento médico em outro momento, quando for o caso; e
• registrar os fatos na Ficha de Atendimento.
SAMU_PE_Basico_v4.indd 25 06/05/2015 02:58:54
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
SAMU_PE_Basico_v4.indd 26 06/05/2015 02:58:55
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Protocolo Samu 192
Protocolos Especiais
1/1
PE20 - Regras gerais para abordagem de eventos envolvendo imprensa e tumulto
Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 
Adaptações são permitidas de acordo com as particularidades dos serviços. 
Elaboração: Agosto/2014 
Revisão: Abril/2015
PE20
PE20 - Regras gerais para abordagem de eventos envolvendo imprensa e tumulto
Quando suspeitar ou critérios de inclusão
• Em todo atendimento em via pública.
• Em todo atendimento na presença de órgãos de imprensa.
• Em todo atendimento em área de tumulto.
Conduta
ATENDIMENTO EM VIAS PÚBLICAS:
• observar as regras gerais de avaliação da segurança da cena;
• atuar sempre com discrição;
• não expor o paciente à observação pública (atenção para a retirada de roupas);
• na presença de policiamento na cena, solicitar o isolamento da área, caso julgar necessário; e
• terminar os procedimentos dentro da ambulância, com as portas fechadas, sempre que possível. 
PRESENÇA DA IMPRENSA NA CENA:
• observar as regras gerais de avaliação da segurança da cena;
• atuar sempre com discrição e com urbanidade com os colegas;
• tratar os profi ssionais da imprensa com urbanidade e educação, deixando claro seu papel;
• não se preocupar em impedir a fi lmagem. Cumprir com seu papel no atendimento ao paciente;
• preocupar-se em seguir à risca os protocolos;
• não expor o paciente, respeitando sua privacidade:
• não fornecer dados pessoais, informações sobre o quadro ou sobre o caso;
• atenção para a retirada de roupas do paciente; e
• não facilitar a tomada de imagens, prejudicando o atendimento.
• na presença de policiamento na cena, solicitar o isolamento da área de atendimento, caso julgar 
necessário, diante de cena de risco ou de cena com difi culdades para a realização de procedimentos;
• terminar os procedimentos dentro da ambulância, com as portas fechadas, sempre que possível; e
• recomenda-se que não sejam concedidas entrevistas, exceto em casos previamente acordados. 
PRESENÇA DE TUMULTO OU AGITAÇÃO SOCIAL COM RISCO PARA A EQUIPE:
• comunicar a Regulação Médica sobre a situação e a necessidade de apoio;
• observar as regras gerais de avaliação da segurança da cena;
• na presença do policiamento na cena, considerar as orientações sobre manutenção de distâncias seguras, 
aproximação e estacionamento da ambulância;
• a equipe deve permanecer reunida na área segura determinada pelo policiamento. Não circular pela 
cena;
• normalmente, nestas situações, os pacientes serão trazidos até a ambulância;
• manter total atenção, pois situações como estas são muito dinâmicas e podem mudar com facilidade; e
• não manifestar opiniões sobre os fatos do confl ito. Manter discrição.
• Considerar os 3 “S” (Protocolos PE1, PE2, PE3).
Observação:
SAMU_PE_Basico_v4.indd 27 06/05/2015 02:58:55
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
SAMU_PE_Basico_v4.indd 28 06/05/2015 02:58:55
Protocolo Samu 192
Protocolos Especiais
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 
Adaptações são permitidas de acordo com as particularidades dos serviços. 
Elaboração: Janeiro/2016
PE23
PE23 – Limpeza terminal da ambulância
1/6
PE23 – Limpeza terminal da ambulância
Quando suspeitar ou critérios de inclusão
 Limpeza realizada semanalmente conforme escala e/ou nos casos de suspeita de doença 
infectocontagiosa ou sujidade excessiva. 
 Inclui os procedimentos de limpeza e desinfecção:
 A limpeza deve ser realizada em todas as superfícies horizontais e verticais internas e externas, além 
de equipamentos médico-hospitalares;
 A desinfecção deve ser restrita a superfícies que contenham matéria orgânica e aos mobiliários que 
podem constituir risco de contaminação para pacientes e equipe: maçanetas, maca, cadeira de 
rodas, gaveta do coletor de resíduos, suporte de soro, balaústre e superfície da bancada. 
Conduta 
1. Comunicar a Central de Regulação sobre a necessidade de realizar o procedimento;
2. Usar equipamento de proteção individual apropriado: luvas de borracha, máscara, avental e óculos 
de proteção;
3. Iniciar o procedimento de limpeza e desinfecção interna da ambulância considerando:
SEQUÊNCIA BÁSICA DAS AÇÕES DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO 
 Reunir os materiais e produtos necessários para a técnica dos 2 baldes e posicionar a ambulância;
 Retirar equipamentos e materiais de dentro da ambulância: maca, cadeira de rodas, mochilas, materiais 
do armário, coletor de resíduos infectantes e perfurocortantes. Não retirar cilindros de oxigênio;
 Iniciar a limpeza das estruturas fi xas da ambulância pelo fundo do salão em direção à porta traseira e de 
cima para baixo, incluindo teto, paredes laterais, armários e por fi m o piso. A limpeza do piso e do teto 
deve ser realizada com movimentos em sentido unidirecional;
 Realizar a desinfecção das superfícies e equipamentos indicados;
 Realizar a limpeza da cabine do condutor.
Obs.: Na presença de material biológico, seguir Protocolo PE25.
SAMU_basico_PE.indd 19 21/06/2016 07:15:42
Protocolo Samu 192
Protocolos Especiais
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 
Adaptações são permitidas de acordo com as particularidades dos serviços. 
Elaboração: Janeiro/2016
PE23
PE23 – Limpeza terminal da ambulância
2/6
PE23 – Limpeza terminal da ambulância
OPÇÃO 1: LIMPEZA E DESINFECÇÃO COM HIPOCLORITO E ÁLCOOL
LIMPEZA
Após reunir os materiais e retirar os equipamentos de dentro da ambulância:
 Iniciar a limpeza com pano umedecido em água e sabão pelo teto no fundo do salão seguindo para 
paredes e estruturas fi xas (inclui luminárias, armário vertical, gavetas, baú, gaveta de lixo, vidros, telefone, 
maçanetas, painel de gases, grades de ar condicionado e superfície dos cilindros de oxigênio, entre 
outros);
 Retirar o excesso de sabão com pano umedecido em água;
 Secar com pano limpo.
Teto
Laterais
Armários e estruturas
SAMU_basico_PE.indd 20 21/06/2016 07:15:42
Protocolo Samu 192
Protocolos Especiais
SUPORTE BÁSICO DE VIDA
Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 
Adaptações são permitidas de acordo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.