A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Exame Radiográfico Parte 3

Pré-visualização | Página 1 de 1

CLÍNICA COMPLEMENTAR AO DIAGNÓSTICO I 
EXAME RADIOGRÁFICO PARTE III 
 
 
► Coluna Vertebral 
➢ Aspectos Anatômicos - Vertebra 
▪ Corpo vertebral, processo espinhoso, processo 
transverso, faces articulares craniais e caudais 
• Dorsalmente ao corpo vertebral está o canal 
vertebral 
• O espaço entre um corpo vertebral e outro é 
denominado forame intervertebral e tem a 
presença dos discos intervertebrais 
• Entre C1 (atlas) - C2 (axis) não possui disco 
intervertebral 
 
▪ Vertebras Cervicais 
• C1 – Atlas 
• C2 – Axis 
 
▪ Cervicais (7); torácicas (13); lombar (7); sacral (1); 
caudais/coccígeas (varia) 
 
 
▪ Regiões de intumescência 
• Cervico-torácica (C6-T2): nervos dos membros 
torácicos – plexo braquial 
• Lombo-sacra (L4-S2): nervos dos membros 
pélvicos – plexo lombossacro 
 
▪ Disco intervertebral 
• Anel fibroso – fibrocartilagem 
• Núcleo pulposo 
 
 
 
➢ Mielografia 
▪ Exame radiográfico contrastado da medula espinhal por 
meio da injeção do meio de contraste iodado não-iônico 
dentro do espaço subaracnóide 
▪ Consegue-se delimitar o contorno da medula 
▪ Necessária a anestesia 
▪ Região atlanto-occipital (cisterna magna) é uma das 
regiões que se faz a punção 
▪ Indicações: múltiplas lesões à radiografia simples; 
confirmação da lesão pela radiografia simples; 
determinar a localização da lesão (pré-cirúrgica) 
 
 
 
 
 
 
 
➢ Principais doenças observadas em pequenos animais 
▪ Desenvolvimento (anomalias vertebrais) 
▪ Traumáticas 
▪ Doença degenerativa do disco 
▪ Infecciosas 
▪ Degenerativas 
▪ Neoplásicas 
 
 
• Hemivértebra 
-Anomalia vertebral de desenvolvimento 
-Ossificação incompleta ou união incompleta dos centros de ossificação: vertebras em 
cunha (forma triangular) ou butterfly 
-Raças mais acometidas são as pequenas/braquicefálicos 
► Localização 
➢ Mais comum na região torácica 
 
► Consequências 
➢ Não causa alterações neurológicas, mas causa instabilidade na 
região que pode favorecer deslocamento de disco e pode gerar 
deformidades de eixo (cifose, lordose, escoliose) 
 
 
 
 
• Vertebra Transicional 
-Anomalia vertebral de desenvolvimento 
-Vertebra que assume as características da vertebra adjacente 
-Raças pequenas + acometidas 
► Localização 
➢ Na área de transição entre os segmentos vertebrais 
 
► Consequências 
➢ Desorientação anatômica 
➢ Estudos dizem que pode aumentar a incidência de compressões 
medulares e raízes nervosas lombo-sacrais 
 
 
 
 
 
 
• Subluxação Atlanto-axial 
-Desenvolvimento ou traumática 
-Desenvolvimento: hipo ou aplasia do processo odontóide (dente do axis); falha na 
fusão do processo odontóide 
-Traumática: fratura do processo odontóide, ruptura de ligamentos entre C1 e C2 
 
► Achados Radiográficos 
➢ Desvio dorsal de C2, levando a compressão medular 
➢ Pode se fazer uma leve flexão de cabeça 
➢ Pelo menos 2 projeções (LL e VD) 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Espondilomielopatia Cervical 
-Anomalia vertebral de desenvolvimento 
-Síndrome de Wobbler, instabilidade cervical – altura de C6-C7 
-Raças grandes são mais predispostas 
-Qualquer articulação do esqueleto 
► Achados Clínicos 
➢ Incoordenação 
➢ Fraqueza 
➢ Paralisia 
 
► Achados Radiográficos 
➢ Estenose do canal vertebral 
➢ Malformação vertebral: processos articulares e degeneração das 
faces articulares (sub-luxação) 
➢ Protrusão do disco intervertebral 
➢ Hipertrofia do ligamento flavo e cápsula articular (tomografia) 
 
 
 
 
 
• Doenças Traumáticas 
- Fraturas 
-Luxações 
-Traumatismo sem lesões ósseas (hemorragia epidural) 
-Protrusão de disco traumática 
-Lesão de ligamentos (instabilidade) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Doença do Disco Intervertebral (DDIV) 
-Hérnia é uma consequência 
► Hansen Tipo I (extrusão) 
➢ Degeneração condroide do núcleo pulposo, resultando em sinais 
clínicos agudos 
➢ Rompimento do anel fibroso e deslocamento dorsal do 
conteúdo 
➢ Mais frequente em cães condrodistróficos 
 
► Hansen Tipo II (protrusão) 
➢ Degeneração fibroide do núcleo pulposo, resultando em sinais 
clínicos crônicos e progressivos 
➢ Anel fibroso vai sendo abaulado com o tempo devido 
remodelamento do conteúdo 
➢ Mais frequente em cães não condrodistróficos 
 
► Achados Radiográficos 
➢ Diminuição do espaço intervertebral 
➢ Diminuição do forâmen intervertebral 
➢ Graus variados de calcificação de disco 
➢ Material calcificado no forâmen intervertebral 
➢ Osteófitos e esclerose das faces 
 
 
 
 
 
 
• Discoespongilite 
-Infecciosa 
-Infecção do disco intervertebral e osteomielite das vértebras adjacentes 
 
► Causas 
➢ Hematógena 
➢ Corpos estranhos 
➢ Complicações pós-cirúrgicas (brucelose) 
 
► Localização 
➢ Mais comum em região torácica e lombar 
 
► Achados Clínicos 
➢ Febre, anorexia, dor, claudicação 
➢ Paresia 
 
► Achados Radiográficos 
➢ Fase Aguda 
▪ Lise irregular das epífises das vértebras 
▪ Alargamento do espaço intervertebral 
 
➢ Fase Crônica 
▪ Esclerose ao redor da lise nas epífises 
▪ Destruição do disco intervertebral 
▪ Osteófitos 
▪ Fusão dos corpos vertebrais 
▪ Pode haver protrusão do disco intervertebral 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Espondilose Deformante 
-Degenerativa 
-Idiopática (secundária a instabilidade entre as vértebras) 
-Proliferação óssea nas margens dos corpos vertebrais (osteófitos - ventrais, laterais ou 
dorsais), bico de papagaio 
-Anquilosante = união das proliferações 
 
► Localização 
➢ Mais comum nas regiões torácica/lombar 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Instabilidade Lombo-sacra 
- Síndrome da Cauda Equina 
-Raças de grande porte são mais predispostas 
 
► Achados Clínicos 
➢ Sensibilidade dolorosa 
➢ Claudicação e ataxia 
➢ Dificuldade para se levantar 
➢ Incontinência urinária e fecal 
➢ Diagnóstico diferencial: displasia coxofemoral 
 
► Achados Radiográficos 
➢ Espondilose deformante 
➢ Esclerose das epífises de L7-S1 
➢ Diminuição do espaço intervertebral 
➢ Deslocamento ventral do sacro em relação ao corpo de L7 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Doenças Neoplásicas 
-Primária: osteossarcoma 
-Metastáticas: carcinomas e linfossarcomas 
-Neoplasias de medula, meninges e nervos espinais 
-Alteração do arcabouço ósseo. Os achados clínicos dependem da localização da 
compressão e comprometimento da medula e raízes nervosas 
-Incidência menor que no esqueleto apendicular