A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Causas de aborto - Plantas tóxicas - Stryphnodendron obovatum

Pré-visualização | Página 1 de 1

Julieni Bianchi Morais 
 
Stryphnodendron obovatum 
Nome científico: Stryphnodendron obovatum 
Nome popular: “Barbatimão”. 
Princípio ativo: provavelmente taninos e saponinas. 
Árvore de 2 a 6 m de altura, copa arredondada. Comumente encontrada em 
cerrados e cerradões, solos arenosos, geralmente não inundáveis. 
 
Figura 38 – Galhos com folhas e favas de Stryphnodendron obovatum. Fonte: Google imagens. 
EPIDEMIOLOGIA 
Tanto as folhas como as favas causam aborto e intoxicações em bovinos. 
As árvores são "podadas" onde os animais alcançam e as favas são comidas 
quando caem, na seca, havendo relatos de que algumas vacas ficam viciadas em 
comer vagens, portanto, não saem embaixo das árvores de S. obovatum, 
emagrecem muito e acabam abortando. 
De acordo com informações obtidas na região de Cuiabá, Mato Grosso, em 
fazendas do cerrado com pastagens nativas em que vacas ingerem as favas de S. 
obovatum, o índice de aborto é alto. Os abortos são verificados em todas as fases 
de gestação, porém são melhor observados no final da gestação. 
 
Figura 39 – favas de Stryphnodendron obovatum. Fonte: 
https://www.researchgate.net/figure/Bovinos-se-alimentando-das-favas-de-
Stryphnodendron-obovatum-regiao-de-Cerrado_fig2_262442330 
INTOXICAÇÃO 
As vacas que ingerem a planta, em geral, apresentam sintomatologia 
bastante uniforme para todas elas, com início 4 a 8 dias após o começo das 
administrações. 
O aborto ocorre cerca de 20 e 30 dias após o início da administração das 
favas; em fetos de 3 como de 7 meses de idade no início do experimento. As 
placentas podem ser eliminadas junto com os fetos ou poucos dias após o aborto. 
Pode haver mumificação fetal. 
SINAIS E ALTERAÇÕES 
Feto: edema subcutâneo sobretudo da cabeça e edema da parede da vesícula biliar 
Quantidade letal: Em torno de 10 g de vagens/kg de peso vivo; a metade, 5 g/kg 
peso vivo, provoca aborto em vacas. 
Plantas tóxicas