A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ipoa - inspeção de produtos de origem animal

Pré-visualização | Página 1 de 4

RIISPOA 
Art. 21. Os estabelecimentos de leite e derivados são classificados em: 
I – granja leiteira: Estabelecimento destinado à produção, ao pré-beneficiamento, ao beneficiamento, ao envase, ao
acondicionamento, à rotulagem, à armazenagem e à expedição de leite para o consumo humano direto, podendo elaborar
produtos lácteos a partir do leite EXCLUSIVO da sua produção.
II – posto de refrigeração: é o estabelecimento intermediário entre as propriedades rurais e as usinas de beneficiamento ou
fábricas de laticínios para os processos (seleção, recepção, mensuração de peso ou volume, filtração, refrigeração,
acondicionamento e à expedição) de leite cru. 
III – usina de beneficiamento: São estabelecimentos destinados aos processos de leite para o consumo humano direto, podendo
também realizar a transferência, a manipulação, a fabricação, a maturação, o fracionamento, a ralação, o acondicionamento, a
rotulagem, a armazenagem e a expedição de derivados lácteos Permitida a expedição de leite fluído a granel de uso industrial. 
 IV – fábrica de laticínios: Poderão realizar a fabricação de derivados lácteos, sendo também permitida a expedição de leite
fluído a granel de uso industrial. Porém não é permitido vender leite de consumo direto 
V – queijaria: são localizados em propriedades rurais destinadas à fabricação de queijos tradicionais, elaborados
EXCLUSIVAMENTE com leite de sua produção, e que caso não realize o processamento completo do queijo, deverá
encaminhar para uma fábrica de laticínios ou usina de beneficiamento. 
LEGISLAÇÕES
IN 62 – 29/12/2011 
Art. 1º Alterar o caput, excluir o parágrafo único e inserir os §§ 1º ao 3º, todos do art. 1º, da Instrução Normativa MAPA nº 51 
"Art. 1º Aprovar o Regulamento Técnico de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, o Regulamento Técnico de
Identidade e Qualidade de Leite Cru Refrigerado, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Pasteurizado e o
Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel 
1º Esta Instrução Normativa é aplicável somente ao leite de vaca. 
2º Os aspectos relacionados à remuneração ao produtor baseada na qualidade do leite devem ser estabelecidos mediante
acordo setorial específico. 
3º O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento- MAPA instituirá Comissão Técnica Consultiva permanente,
com vistas à avaliação das ações voltadas para a melhoria da qualidade do leite no Brasil."(NR) 
ATUALIZAÇÃO DE LEGISLAÇÃO 
INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 76, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2018 
Regulamentos Técnicos que fixam a identidade e as características de qualidade que devem apresentar o leite cru refrigerado, o
leite pasteurizado e o leite pasteurizado tipo A, na forma desta Instrução Normativa e do Anexo Único. 
CAPÍTULO I - REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE CRU REFRIGERADO 
O que é leite cru refrigerado ??? 
Art. 2º : É o leite produzido em propriedades rurais, refrigerado e destinado aos estabelecimentos de leite e derivados sob
serviço de inspeção oficial. 
Quais as temperaturas que o leite deve permanecer?? 
Art. 3º : Na refrigeração do leite e no seu transporte até o estabelecimento devem ser observados os seguintes limites máximos
de temperatura: 
I - recebimento do leite no estabelecimento: 7,0°C (sete graus Celsius). *** admitindo-se, excepcionalmente, o recebimento até
9,0° C (nove graus Celsius); 
II - conservação e expedição do leite no posto de refrigeração: 4,0° C (quatro graus Celsius); 
III - conservação do leite na usina de beneficiamento ou fábrica de laticínios antes da pasteurização: 4,0ºC (quatro graus
Celsius) 
Art. 4º : O leite cru refrigerado deve atender as seguintes características sensoriais: 
I - líquido branco opalescente homogêneo; e 
II - odor característico 
Art. 7º : O leite cru refrigerado de tanque individual ou de uso comunitário deve apresentar médias geométricas trimestrais 
Contagem Padrão em Placas de no máximo 300.000 UFC/mL 
Contagem de Células Somáticas de no máximo 500.000 CS/mL 
Art. 8º: O leite cru refrigerado deve apresentar limite máximo para Contagem Padrão em Placas de até 900.000 UFC/mL. 
Art. 9º: É proibido o uso de aditivos ou coadjuvantes de tecnologia no leite cru refrigerado. 
Art. 10: O leite cru refrigerado quando proveniente de posto de refrigeração deve ser identificado por meio de rotulagem e
transportado em carros-tanques isotérmicos com todos os compartimentos lacrados e acompanhados de boletim de análises do
laboratório do estabelecimento expedidor. 
Art. 11. : O leite cru recebido em latões deve atender aos mesmos critérios estabelecidos para o leite cru refrigerado, com
exceção da temperatura. 
CAPÍTULO II - REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE PASTEURIZADO 
O que é o leite pasteurizado??? 
Leite fluido submetido a um dos processos de pasteurização previstos na legislação vigente, envasado automaticamente em
circuito fechado e destinado a consumo humano direto. 
Como é classificado o leite pasteurizado??? Quais as Classificações ??? 
De acordo com o conteúdo da matéria gorda, previsto no art 13º 
I - leite pasteurizado integral; mínimo de 3,0g/100g 
II - leite pasteurizado semidesnatado; 0,6 a 2,9g/100g 
III- leite pasteurizado desnatado. máximo de 0,5g/100g 
O leite pasteurizado deve atender ao critério microbiológico 
m = é o limite que separa o lote aceitável do
produto ou o lote com qualidade intermediária
M = é o limite que separa o produto aceitável do
inaceitável 
n : número de unidades a serem colhidas
aleatoriamente de um mesmo lote
c = é o número máximo aceitável de unidades de
amostras com contagens entre m e M 
CAPÍTULO III - REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE PASTEURIZADO TIPO A 
Leite pasteurizado tipo A é o leite fluido, produzido, beneficiado e envasado EXCLUSIVAMENTE em Granja Leiteira,
submetido a um dos processos de pasteurização previstos na legislação vigente e destinado ao consumo humano direto 
Integral 
Semidesnatado
Desnatado 
Deve ser envasado automaticamente em circuito fechado 
LEITE PASTEURIZADO TIPO A: Contagem Padrão em Placas de no máximo 10.000 UFC/mL; Contagem de Células
Somáticas de no máximo 400.000 CS/mL; Analise de media trimestral; Coletas quinzenais.
Conservação do leite pasteurizado tipo A 
I - conservação do leite cru na granja leiteira: 4,0°C 
II - estocagem do leite pasteurizado tipo A em câmara frigorífica e expedição: 4,0°C
III - entrega ao consumo do leite pasteurizado tipo A: 7,0°C 
Art. 36. O Conselho Consultivo da Rede Brasileira de Laboratórios de Controle da Qualidade do Leite - RBQL avaliará no
mínimo a cada dois anos a necessidade de revisão dos requisitos dispostos nesta Instrução Normativa, de acordo com a
evolução da qualidade do leite. 
INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2018 
Estabelece os critérios e procedimentos para a produção, acondicionamento, conservação, transporte, seleção e recepção do
leite cru em estabelecimentos registrados no serviço de inspeção oficial, na forma desta Instrução Normativa e do seu Anexo
VIGOR 26/06/19 
DA PRODUÇÃO DA GRANJA LEITEIRA 
I - realizar a ordenha em circuito fechado, com pré-filtragem e bombeamento até o tanque de estocagem; 
II - dispor de dependências de beneficiamento e industrialização no mesmo prédio da dependência de ordenha com isolamento
e condução do leite da ordenha em circuito fechado; 
III - dispor de laboratórios para a realização do controle físicoquímico e microbiológico do leite; e
IV - dispor de sanitários e vestiários de uso distinto para funcionários do setor de beneficiamento e industrialização daqueles
ligados aos trabalhos nas instalações de animais. 
Sanidade do Rebanho 
Ser atestada por médico veterinário ao ser solicitada por Autoridades Sanitárias. 
Controle sistemático de parasitoses 
Controle sistemático de mastites 
Controle rigoroso de Zoonoses: Brucelose (Brucella abortus) e tuberculose (Mycobacterium bovis);