A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Infecções odontogênicas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Infecções odontogênicas 
- Definição:  
São condições que se originam dos           
dentes, caracterizadas pela invasão       
de bactérias no interior da polpa           
dentária, ou ao seu redor, e que             
podem ser localizadas (abscessos) ou         
tomar maiores proporções (celulite       
ou fleimão. 
- ​Etiologia das infecções 
odontogênicas: 
● Periodontal: 
- Bolsa periodontal profunda, a qual           
possibilita a instalação das bactérias         
dos tecidos subjacentes. 
  
● Periapical: 
- Necrose pulpar e invasão         
bacteriana subsequente do tecido       
periapical; Paciente deveria realizar       
uma exodontia.  
  
- Localização: 
- A infecção se dissemina através do             
osso esponjoso até encontrar uma         
lâmina cortical 
- Se a lâmina cortical for fina ela               
perfura o osso e penetra os tecidos             
moles 
- A espessura do osso que cobre o               
ápice do dente 
- Relação do local da perfuração no             
osso com inserções musculares da         
maxila e mandíbula. 
- Depende de alguns fatores: 
- Depende do dente envolvido 
- Depende da cortical óssea 
- Depende das inserções musculares 
- Depende do agente agressor         
(bactéria) 
- Progressão da infecção: 
- Dente ou periodonto → Espaço           
medular → Osso esponjoso → Osso           
Cortical (se dissemina pela a via de             
menor resistência) 
 ​ - Princípios da terapia:  
Determinar a gravidade dessa       
doença  
História completa da doença e         
realizar um exame físico. 
- História completa 
- Queixa principal 
- Tempo e progressão da infecção 
- Sinais e sintomas (dor, edema,           
calor, rubor e perda da função) 
- Perguntar como o paciente se sente             
(fadigado enjoado) 
-Tratamentos médicos e/ou     
automedicação. 
 
 
 
Eduarda Feitosa 
- Exames físicos: 
- Coleta dos sinai vitais (frequência           
respiratória, temperatura, pressão     
arterial) 
- Exame extra-oral (palpação da         
região da cabeça e pescoço)  
- Exame intra-oral (busca da causa           
específica - edema) 
- Exame radiográfico - origem da           
infecção 
- Celulite X Abscesso. 
● Osteíte periapical: 
Sensação de extrusão dentárias, dor         
à mastigação e percussão       
(extremidade do espelho clínico e         
bate para saber se sente dor) 
● Celulite (fleimão): 
Edema difuso, dor exacerbada,       
limitação funcional, quadro mais       
grave 
● Abscesso: 
Edema mais localizado, menor       
limitação funcional e quadro menos         
grave (pode causar necrose). 
- Celulite X Abscesso 
 
1- celulite 2-abscesso 
- Critérios para encaminhamento 
a um especialista 
- Infecções de progressão muito         
rápida 
- Dificuldade de respiração 
- Dificuldade de deglutição 
- Envolvimento dos espaços fasciais 
- Temperatura corporal elevada 
- Aparência tóxica 
- Comprometimento das defesas do         
hospedeiro 
- Endodôntico 
- Extração 
- Incisão e drenagem 
Obs: celulite com tumefação mole,         
pastosa e difusa não respondem aos           
procedimentos de incisão e       
drenagem. 
● Propagação das infecções 
odontogênicas 
O que são? 
- São área revestidas pelas fáscias           
que podem ser perfuradas ou         
distendidas pelo exsudato purulento 
- Essas áreas são espaços potenciais           
que não existem em pessoas         
saudáveis, mas que se tornam cheios           
durantes as infecções 
- Espaços virtuais 
- Limitados por fáscias 
- Preenchidos por gorduras ou tecido           
conjuntivo frouxo 
- Possuem pouca vascularização 
- Fácil propagação da infecção 
- Espaços fasciais: 
Espaço facial primário: 
→ Maxilar: 
Vestibular 
Canino 
Infratemporal 
Bucal 
Eduarda Feitosa 
→ Mandibular: 
Vestibular 
Submentoniano 
Sublingual 
Submandibular 
Bucal 
Espaço facial secundário: 
Massetérico 
Pterigomandibular 
Temporal 
→ Cervical: 
Faríngeo lateral 
Retrofaríngeo. 
Propagação - espaços fasciais 
primários  
➔​ MAXILARES: 
1. Espaço canino 
- Localização: entre o músculo         
elevador do ângulo da boca e           
elevador do lábio superior 
- Quando esse espaço é infectado,           
há um aumento de volume na região             
anterior da face, que oblitera o sulco             
nasolabial 
- Sua drenagem geralmente ocorre         
no canto interno do olho 
1. Espaço bucal 
- Localização: envolve os dentes         
maxilares, limitado pela pele da face           
no seu aspecto lateral e pelo o             
músculo bucinador no seu aspecto         
medial 
- A maioria das infecções do bucal             
são causadas pelos dentes maxilares,         
principalmente molares 
- Geralmente, o envolvimento do         
espaço bucal resulta em aumento do           
volume abaixo do arco zigomático e           
acima do bordo inferior da mandíbula 
  
1. Espaço infratemporal 
- Localização: se situa       
posteriormente a mandíbula, sendo       
limitado medialmente pela lâmina       
lateral do processo pterigóide do         
osso esfenóide 
- Quando infectado, geralmente é o           
terceiro molar maxilar. 
↳ As infecções maxilares também         
podem causar celulite orbitária e         
periorbitária ou trombose do seio         
cavernoso 
↳ Essas infecções são sérias e           
requerem tratamento médico     
agressivo e intervenção cirúrgica,       
pois apresentam alta taxa de         
mortalidade. 
➔​ MANDIBULARES 
1. Bucal 
2. Submentual 
3. Submandibular 
4. Sublingual 
1. Espaço bucal 
- Localização: envolve os dentes         
maxilares, limitado pela pele da face           
no seu aspecto lateral e pelo o             
Eduarda Feitosa 
músculo bucinador no seu aspecto         
medial 
- A maioria das infecções do bucal             
são causadas pelos dentes maxilares,         
principalmente molares 
- Geralmente, o envolvimento do         
espaço bucal resulta em aumento do           
volume abaixo do arco zigomático e           
acima do bordo inferior da mandíbula 
2. Espaço submentual 
- Localização: entre os ventres         
posteriores do músculo digástrico e         
entre o músculo milo-hióideo e a pele             
suprajacente 
- É infectado primariamente pelos         
incisivos inferiores, e propaga-se       
abaixo do bordo inferior da         
mandíbula 
3. Espaço submandibular 
4. Espaço sublingual  
- Se limitam lateralmente pelo bordo           
interno da mandíbula. 
- São envolvidos primariamente pela         
perfuração lingual da infecção a         
partir dos molares inferiores,       
podendo ser a partir dos pré molares             
inferiores também. 
- O fator que determina se uma             
infecção é submandibular ou       
sublingual é a inserção do músculo           
milo-hióideo na face interna da         
mandíbula. 
- Espaço sublingual: a infecção         
perfura a cortical acima da linha           
milo-hióideo 
- Espaço submandibular: a infecção         
rompe a tábua óssea interna da           
mandíbula, abaixo da linha       
milo-hióideo. 
3. Espaço submandibular 
- Localização: entre o músculo         
milo-hióideo e pele suprajacente e         
fáscia superficial 
- Causa aumento que se inicia na             
borda inferior da mandíbula e se           
estende madialmente ao músculo       
digástrico e posteriormente ao osso         
hióde. 
4. Espaço sublingual  
- Localização: entre a mucosa oral do             
assoalho da boca e o músculo           
milo-hióideo 
- Há grande aumento de volume           
intra-oral do assoalho da boca ao           
lado da infecção 
- A infecção geralmente torna-se         
bilateral e a língua fica elevada. 
 
Angina de Ludwing 
- ​Acomete os espaços sublingual,         
submentoniano e submandibular     
bilateralmente