A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Guia de endodontia

Pré-visualização | Página 1 de 1

GUIA DE ENDODONTIA (Guia de endodontia) 
Realizar os testes de vitalidade, percussão e palpação, e o exame 
radiográfico para confirmar se há necessidade de tratamento 
endodôntico. 
Anotar, obrigatoriamente, no prontuário na parte dos procedimentos 
realizados, que você fez os testes e qual foi o diagnóstico encontrado. 
Confirmado que há necessidade de tratamento endodôntico, então... 
seguir para 2ª etapa. 
Preencher a ficha de endodontia 
Levar para o professor conferir: 
Ficha preenchida; Radiografia; Planejamento da sessão; Prontuário do 
paciente (conferir se está organizado e assinado) 
Após esse protocolo se tudo estiver correto, o professor irá autorizar 
o início do procedimento endodôntico. 
Isolamento relativo 
Secar bem os dentes 
Começar pelo dente contra lateral para o paciente conhecer o teste 
e calibrar a resposta. 
Respostas Diagnóstico 
Nenhuma resposta Necrose pulpar / falso negativo 
Dor transitória, leve a 
moderada 
Polpa normal 
Dor acentuada, cessa rápido Pulpite reversível 
Dor acentuada, longa duração Pulpite irreversível 
 Avaliar se existe inflamação do ligamento periodontal; 
 Avalia a extensão do processo inflamatório – Cortical 
óssea; 
(ENDODONTIA) 
Campo estéril; 
 
Na mesa auxiliar material de consumo 
 
 
 
 
 
Colocar substância química auxiliar dentro do tamborel (pode ser a 
mesma clorexidina utilizada para lavar as mãos) 
Limpeza mecânica da gaze após o uso da lima/broca durante a consulta 
Nunca limpar a ponta ativa da lima com a luva 
D.A acima de 30mm é recomendado que se faça com a técnica 
convencional, visto que as limas da easy só chegam até 35mm 
1ª Consulta: primeira fase do T.E 
 Anestesia 
 Isolamento absoluto – limpeza do campo operatório 
 Remoção do tecido cariado; 
 Acesso (brocas esféricas de haste longa) 
 Forma de contorno (esférica para anterior – remoção do 
teto / ponta inativa para posteriores) 
 Cateterismo inicial com a lima #10 ou #15 no CPT 
 Instrumentar 2/3 do canal com as limas de #15 a #35 
(dentes com canal constrito) intercalando com a lima #15 no 
CPT + irrigação 
 Preparo da embocadura com a broca largo 2 + recaptula a 
#15 no CPT + irrigação 
 Uso das gates na medida dos 2/3 
o GG 3: 2/3-2 
o GG 2: 2/3 
o A CADA BROCA RECAPTULAR A #15 NO CPT + 
IRRIGAÇÃO; 
 Medicação intracanal: pode ser inserida com propulsor de 
lentulo, no diâmetro menor que o da lima memória, 3 mm OU 
2/3 aquém do CT – Micromotor, giro à direita, 10 segundos, 
retirar em rotação. 
o Pasta de hidróxido de cálcio + soro (se o irrigante 
for o hipoclorito) 
o Pasta de hidróxido de cálcio + gel de clorexidina 
(se o irrigante for gel de clorexidina) 
 Restauração provisória: 
o Bolinha de algodão na entrada do canal 
o Cotosol em cima do algodão 
o Restauração provisória com cimento de ionômero 
de vidro. 
2ª Consulta: 
 Anestesia 
 Isolamento absoluto 
 Irrigação abundante para remoção da MIC 
 Odontometria (localizador foraminal) 
 Radiografar 
 Instrumentação apical: ampliação foraminal 
o Encontrar a D.A no C.T 
o Instrumentar 3 limas acima da D.A, na medida do 
C.T, a última lima será a LAF 
o Lembrar de recapitular a lima patente no CT+1 e 
irrigar entre cada troca de lima 
 Recuo progressivo: 
o Instrumentar 3 ou 4 limas acima da lima LAF, 
reduzindo 1mm a cada lima 
o Aqui deve Recapitular a LAF no CT; Lima patente 
1mm além do CT e muita irrigação 
 MIC e restauração provisória (LENTULO) 
3ª Consulta: 
 Anestesia 
 Isolamento absoluto 
 Recaptular a LAF e conferir a patência para remover a 
medicação intracanal, só depois disso realizar a conometria. 
 O cone principal deverá ser adaptado na medida do CT-1mm 
 Uso do EDTA 
 Easy Clean para ativação do EDTA – no contra ângulo, 
calibrada na medida dos 2/3 do canal 
o Irrigar 1 ml de EDTA, agitar por 20 segundos 
(fazer 3 vezes) 
o Irrigar com 5ml de soro 
o Encher os canais com a solução irrigadora 
utilizada, agitar por 20 segundos (fazer 3 vezes) 
 Irrigação final com soro irrigar muito 
 Secagem do canal com papel absorvente estéril – deixar um 
cone de papel absorvente estéril no canal enquanto faz a 
manipulação do cimento endodôntico 
 Inserir cone principal + cones acessórios no canal 
 OBTURAÇÃO 
 Restauração provisória. 
 Anestesia 
 Isolamento absoluto – limpeza do campo operatório 
 Remoção do tecido cariado; 
 Acesso (brocas esféricas de haste longa) 
 Forma de contorno (esférica para anterior – remoção do 
teto / ponta inativa para posteriores) 
 Cateterismo inicial com a lima #10 ou #15 no CPT 
 Instrumentar 2/3 do canal com a lima 25/06. Não esquecer 
da abundante irrigação, com agulha calibrada nos 2/3 
 Odontometria – CT 
 Para canais constritos, instrumentar na sequencia as limas: 
25/0115/0525/06; Caso alguma dessas limas não 
alcance o forame, você precisa instrumentar com as limas 
K. 
 Para canas médios acrescente a sequência de limas 
#35/01 e 35/05 
 Se a última lima for a 25/06 testar o cone 30 ou 35 
 Se a última lima for a 35/05 testar o cone 40 ou 45 
 O cone principal deverá ser adaptado na medida do CT-1mm 
 Uso do EDTA 
 Easy Clean para ativação do EDTA – no contra ângulo, 
calibrada na medida dos 2/3 do canal 
o Irrigar 1 ml de EDTA, agitar por 20 segundos 
(fazer 3 vezes) 
o Irrigar com 5ml de soro 
o Encher os canais com a solução irrigadora 
utilizada, agitar por 20 segundos (fazer 3 vezes) 
 Irrigação final com soro irrigar muito 
 Secagem do canal com papel absorvente estéril – deixar um 
cone de papel absorvente estéril no canal enquanto faz a 
manipulação do cimento endodôntico 
 Inserir cone principal + cones acessórios no canal 
 OBTURAÇÃO 
 Restauração provisória.