A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Casos Clínicos Avaliação Funcional

Pré-visualização | Página 1 de 1

CURSO DE FISIOTERAPIA 
DISCIPLINA DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL 
SAMUEL VITURINO VASCONCELOS 
CASOS CLÍNICOS 
 
1. A Sra. J. R. é uma mulher negra, de 67 anos de idade, até então 
saudável, que veio a emergência queixando-se de edema e 
mobilidade diminuída no seu braço direito. Declarou que há 5 dias 
notou uma sensação de queimação debaixo da axila direita e 
fraqueza do braço direito, que persistiu até o momento. Não tem dor. 
Começou a usar bengala há cerca de um ano, porque passou a 
“mancar”. Paciente bem-humorada, não mostrando sinais de 
desconforto ou preocupação. O exame neurológico mostrou que a 
Sra. J. R. estava orientada quanto ao lugar, à pessoa e ao tempo. 
Contava uma história coerente. Não foram observadas anomalias na 
função dos nervos cranianos. A paciente caminhava claudicando, 
favorecendo o lado direito. Não apresentava firmeza durante a 
marcha e ao mudar de posição havia um desequilíbrio corporal. 
 
a) De acordo com os relatos do caso clínico acima, cite e justifique 
quatro critérios avaliativos que devem ser utilizados durante a 
avaliação da paciente acima. Os critérios deverão estar de acordo 
com o relato do caso. 
Perimetria, goniometria, teste de força muscular, teste de tensão para o 
nervo radial, ulnar e mediano. 
 
b) Cite e descreva um teste que avalia o equilíbrio estático e um teste 
que avalia o equilíbrio dinâmico. 
Para tornar o resultado do teste negativo, a propriocepção, a visão e as 
funções vestibulares devem ser preservadas, para a avaliação dessas 
funções pode ser usado o teste de Romberg na avaliação do equilíbrio 
estático e o teste de sentar e levantar para o equilíbrio dinâmico. 
 
c) Cite e descreva um teste que avalia a sensibilidade vibratória. 
O teste realizado com um diapasão é usado para medir a sensibilidade à 
vibração, inclui bater o diapasão na mão do examinador para ativar a 
vibração do instrumento, em seguida, colocá-lo na extremidade do 
paciente a ser examinado para que este informe se a sente. 
 
d) Cite e descreva a goniometria para MSD – flexão e extensão do 
ombro. 
Durante a realização da goniometria para os membros superiores o 
procedimento é o seguinte: o terapeuta em pé atrás do paciente em 
posição anatômica. A haste fixa do goniômetro é alinhada à linha axilar 
posterior e então o terapeuta solicita ao paciente que realize o movimento 
passivo de flexão. Nesse momento a haste móvel do instrumento 
acompanha o seguimento, e então o mesmo procedimento é realizado 
para extensão. O teste deve ser realizado em ambos os membros com o 
fito de comprovação da normalidade da estrutura através da 
comparação. 
 
2. Paciente masculino, branco, 60 anos, natural do Rio Grande do 
Norte, profissão vigia noturno. Vem apresentando há seis dias 
quadro clinico caracterizado por parestesias nos pés. Nos dias 
seguintes foi notado fraqueza nos membros inferiores, simétrica, de 
caráter progressivo e ascendente associado a piora do quadro 
sensitivo. Havia ainda diparesia facial periférica e hipoestesia distal 
nos quatro membros. Restante do exame físico sem alterações. 
Responda: 
 
a) Cite os reflexos que devem ser testados nesse paciente. 
Para os testes profundos a indicação seria que todos fossem realizados 
para verificar a integridade dos reflexos do paciente. Estes são 
realizados através da percussão com o martelo neurológico no tendão 
do músculo que está sendo avaliado. Quanto aos testes superficiais 
poderiam ser realizados o teste de Babinski, que quando está positivo 
apresenta extensão do hálux enquanto os demais dedos fazem flexão, o 
teste à vibração também poderia ser associado à essa parte da 
avaliação. Por fim, na avaliação da força muscular poderíamos realizar 
as manobras deficitárias de Mingazzini para membros superiores, no 
caso do paciente acima seria mais indicado teste para os membros 
inferiores, e também o de Barrè. 
 
b) Trace um protocolo de avaliação do tônus muscular para o quadro 
clínico acima. 
Iniciaria com a inspeção visual do paciente, em que poderia ser verificada 
a integridade da pele como presença de edemas, então seguiria para a 
palpação com o intuito de verificar a presença de anormalidades 
identificadas e junto à isso analisar a temperatura, sensibilidade ao toque, 
possível rigidez dos tecidos. Seguindo para a avaliação da ADM de 
ambos os membros e também usar desse momento para verificar como 
está o tônus do paciente utilizando a escala de Ashworth modificada.