A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Aula - Saude do Trabalhador no Brasil - Políticas públicas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Saúde do Trabalhador no Brasil
Prof. João Gabriel Rossi de Oliveira
Constituição Federal de 1988 
A CF/88 relata no seu Art. 7º os direitos dos trabalhadores, dentre os quais estão a redução dos riscos relativos ao trabalho. 
Observe: 
São direitos dos trabalhadores urbanos ou rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: 
• Redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança; 
Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
Art. 200. Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei:
I - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde e participar da produção de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e outros insumos;
II - executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador;
III - ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde;
IV - participar da formulação da política e da execução das ações de saneamento básico;
V - incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico;
VI - fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como bebidas e águas para consumo humano;
VII - participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos;
VIII - colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho.
Lei 8.080/90
No Brasil, no contexto do SUS, a Lei n° 8.080/1990 incluiu a saúde do trabalhador no âmbito do SUS. 
Art. 6º Estão incluídas ainda no campo de atuação do Sistema Único de Saúde (SUS): 
I - a execução de ações: 
De saúde do trabalhador; 
Além disso, a lei orgânica da Saúde também conceituou a saúde do trabalhador e sua área de abrangência. Observe a leitura dessa legislação. 
§ 3º Entende-se por saúde do trabalhador, para fins desta lei, um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, abrangendo: 
I - assistência ao trabalhador vítima de acidentes de trabalho ou portador de doença profissional e do trabalho; 
II - participação, no âmbito de competência do Sistema Único de Saúde (SUS), em estudos, pesquisas, avaliação e controle dos riscos e agravos potenciais à saúde existentes no processo de trabalho; 
III - participação, no âmbito de competência do Sistema Único de Saúde (SUS), da normatização, fiscalização e controle das condições de produção, extração, armazenamento, transporte, distribuição e manuseio de substâncias, de produtos, de máquinas e de equipamentos que apresentam riscos à saúde do trabalhador; 
IV - avaliação do impacto que as tecnologias provocam à saúde; 
V - informação ao trabalhador e à sua respectiva entidade sindical e às empresas sobre os riscos de acidentes de trabalho, doença profissional e do trabalho, bem como os resultados de fiscalizações, avaliações ambientais e exames de saúde, de admissão, periódicos e de demissão, respeitados os preceitos da ética profissional; 
VI - participação na normatização, fiscalização e controle dos serviços de saúde do trabalhador nas instituições e empresas públicas e privadas; 
VII - revisão periódica da listagem oficial de doenças originadas no processo de trabalho, tendo na sua elaboração a colaboração das entidades sindicais; e 
VIII - a garantia ao sindicato dos trabalhadores de requerer ao órgão competente a interdição de máquina, de setor de serviço ou de todo ambiente de trabalho, quando houver exposição a risco iminente para a vida ou saúde dos trabalhadores. 
Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalho 
A Política nacional de Segurança e Saúde do trabalhador está regulamentada no Decreto Nº 7.602 de 07 de novembro de 2011 e tem como a promoção da saúde e a melhoria da qualidade de vida do trabalhador e a prevenção de acidentes e de danos à saúde advindos, relacionados ao trabalho ou que ocorram no curso dele, por meio da eliminação ou redução dos riscos nos ambientes de trabalho; 
Essa portaria aborda as responsabilidades no âmbito da saúde do trabalhador e correlacionam as atividades dentro de cada instância: 
 Saúde; 
 Trabalho; 
 Previdência. 
Observe como está descrito nesse decreto : 
São responsáveis pela implementação e execução da PNSST os Ministérios do Trabalho e Emprego, da Saúde e da Previdência Social, sem prejuízo da participação de outros órgãos e instituições que atuem na área; 
Quadro Institucional
Dentro do quadro institucional da saúde do trabalhador existe uma inter-relação com o Ministério da Saúde, Trabalho e Emprego e a Previdência Social. 
Quadro Institucional MTE 
- Realizar a inspeção e a fiscalização das condições e dos ambientes de trabalho em todo o território nacional. 
- Base Legal CLT- trata das condições de Segurança e Medicina do Trabalho e regulamentado pela portaria 3214/78 que criou as NR 
- Delegacias Regionais do Trabalho e Emprego –DRTE 
Quadro Institucional MPS e INSS 
O Ministério da Previdência Social, junto com sua autarquia o INSS tratam das condições de Segurança e Medicina do Trabalho, além dos acidentes ou uma doença do trabalho. 
Eles fazem a gestão da incapacidade para a realização das atividades laborativas dos trabalhadores celetista (segurado INSS). Quando o trabalhador adoece deverá ser afastado de suas funções, ficando “coberto” pela instituição durante todo o período necessário ao seu tratamento. 
Quadro Institucional- MS/SUS 
Organiza-se por meio de serviços básicos, rede de referência secundária, terciária e os serviços contratados/conveniados, a rede assistencial, se organizada para a Saúde do Trabalhador: 
1. RENAST 
2. CEREST 
Política Nacional de Saúde do Trabalhador (Portaria 1.823/2012) 
A Política Nacional de Saúde do Trabalhador está detalhada por meio da Portaria 1.823/2012. 
Vamos entender a finalidade dessa política: 
Definir os princípios, as diretrizes e as estratégias a serem observados pelas três esferas de gestão do SUS, para o desenvolvimento da atenção integral à saúde do trabalhador, com ênfase na vigilância, visando a promoção e a proteção da saúde dos trabalhadores e a redução da morbimortalidade decorrente dos modelos de desenvolvimento e dos processos produtivos. 
Art. 3º Todos os trabalhadores, homens e mulheres, independentemente de sua localização, urbana ou rural, de sua forma de inserção no mercado de trabalho, formal ou informal, de seu vínculo empregatício, público ou privado, assalariado, autônomo, avulso, temporário, cooperativados, aprendiz, estagiário, doméstico, aposentado ou desempregado são sujeitos desta Política.
Objetivos: 
I – fortalecer a Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT) e a integração com os demais componentes da Vigilância em Saúde, o que pressupõe: 
a) identificação das atividades produtivas da população trabalhadora e das situações de risco; 
b) identificação das necessidades, demandas e problemas de saúde dos trabalhadores no território; 
c) realização da análise da situação de saúde dos trabalhadores; 
d) intervenção nos processos e ambientes de trabalho; 
e) produção de tecnologias de intervenção, de avaliação e de monitoramento das ações de VISAT; 
II – promover a saúde e ambientes e processos de trabalhos saudáveis, o que pressupõe: 
a) estabelecer parâmetros protetores da saúde dos trabalhadores nos ambientes e processos de trabalho; 
b) fortalecimento e articulação das ações de vigilância em saúde, identificando os fatores de risco ambiental, com intervenções tanto nos ambientes e processos de trabalho; 
c) inserção,