A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Semiologia - Nutrição e Hidratação

Pré-visualização | Página 2 de 2

280-290mOsm/L
Observação: qualquer distúrbio que envolva alterações de sódio, glicose e ureia há alteração da osmolaridade plasmática, o que envolve todas as causas possíveis de desidratação. 
Na cetoacidose diabética há um estado de hiperglicemia, o que altera a osmolaridade e desencadeia um quadro de desidratação.
Na avaliação da hidratação: anamnese (sede, oligúria, diminuição abrupta de peso, sintomas psíquicos como agitação ou excesso de sonolência e confusão mental – principalmente em idosos e crianças –, além de fraqueza), exame físico (estado geral, peso, FC, PA, alteração da pele quanto à umidade, turgor e elasticidade, alterações da mucosa quanto à umidade – alteração de formar saliva, diminuição ou ausência de lágrimas –, fontanela (bebê), alterações oculares – enoftalmia –, e febre)
Observação: paciente taquicárdico e hipotenso: desidratação
Atenção: SEMPRE perguntar ao paciente aspecto de saúde e volume de débito urinário (quantidades adequadas); além de alteração do nível de consciência em idosos e crianças. 
Avaliação laboratorial para observar osmolaridade sérica: sódio, glicose e ureia.
Hipotensão postural: verificar a diferença da pressão com o paciente deitado e o paciente em pé (pesquisar sobre técnica – questão de prova).