A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Insuficiência Cardíaca

Pré-visualização | Página 2 de 2

provavelmente é um paciente grave; 
 
Fração de ejeção (FE): 
 FEVE > 50% - portadores de IC com FE preservada (ICFEP); 
 FEVE 50 a 40% - ICFEi ou Mid-range  intermediária; 
 FEVE < 40% - IC com FE reduzida (ICFER); 
 
Fisiopatologia: 
 
P á g i n a | 8 
 
 
 
Prognóstico: 
Depende: 
 Clínica; 
 Hemodinâmica; 
 Laboratório; 
 Escores: Seatlle Heart Failure Model – mortalidade em 1, 2 e 5 anos; 
 
ECG: 
 Normal – pouco provável; 
 Onda Q, ausência de progressão de onda R, alterações de repolarização – isquemia; 
 BRD + BDAS – Chagas; 
 
Exames complementares: 
 RX tórax: 
 
 Um exame barato e disponível, que além de ser o único exame complementar que pode fechar um 
critério maior de Framingham (a cardiomegalia), pode apresentar informações valiosas sobre o estado 
do paciente. É possível também avaliar sinais de congestão pulmonar, como a cefalização da trama 
vascular pulmonar, presença de linhas B de Kerley, que são linhas dispostas na horizontal e indicam 
congestão. A radiografia também permite a avaliação da gravidade do quadro de congestão pulmonar, 
detecção de cisurites pelo acúmulo de líquido nas cisuras pulmonares e permite a visualização de 
derrames pleurais. 
 Na 2ª radiografia podemos ver vários sinais de congestão e alterações estruturais do coração, como o 
sinal da bailarina (deslocamento superior do brônquio fonte esquerdo), cefalização da trama vascular 
pulmonar e cardiomegalia. 
 Índice cardiotorácico: 
 
P á g i n a | 9 
 
 O índice cardiotorácico é calculado somando a+b/c. Se esse valor der <0,5 é consderado NORMAL, 
porém se ultrapassar podemos classificar como cardiomegalia; 
 
ECOTT: 
 Metódo de eleição para documentação da disfunção cardíaca; 
 O ECO é uma das melhores ferramentas para avaliação complementar da IC, uma vez que ele fornece 
informações que permitem avaliar a dimensão das câmeras cardíacas, presença de valvopatias 
associadas e através do cálculo da FE, permite diferenciar a ICFEp e ICFEr, que apresentam 
particularidades no que tange ao tratamento e prognóstico; 
 
Esgoespirometria: 
 VO2 < 10ml/kg/min – alta mortalidade; 
 Pulmão x Coração 
 
BNP e NT-próBNP: 
 
 
Prevenção da Insuficiência Cardíaca: 
 Tratamento da hipertensão, com foco na pressão sistólica, reduz a incidência da IC em 50%; 
 Qualquer intervenção que reduza o risco de um primeiro IAM ou IAM recorrente também irá reduzir a 
incidência de IC; 
 Em pacientes com frações de ejeção reduzidas, os inibidores da enzima conversora da angiotensina 
(ECA), bloqueadores de aldosterona e os β-bloqueadores previnem ou adiam a disfunção e a dilatação 
ventricular progressivas e o início ou agravamento da IC; 
 Uma intervenção oportuna para a doença valvar progressiva oferece outra oportunidade para prevenir 
uma eventual IC;