A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
DISLIPIDEMIAS

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 SONIELY MELO CLÍNICA MÉDICA 
DISLIPIDEMIAS 
 
Enzima HMG-CoA redutase atua na síntese 
do colesterol intracelular hepático. 
Ex: mecanismo das estatinas. 
Enzima PCSK9 inibe a reciclagem do LDRL, 
reduzindo o nível dele na superfície dos 
hepatócitos. 
Ex: inibidor da PCSK9 – novas drogas para 
hipercolesterolemia. 
HDL: transporte reverso – dos tecidos 
periféricos p/ o fígado. 
ATEROSCLEROSE 
Lesão endotelial -> mais permeável ao LDL 
-> LDL entra no endotélio, onde é oxidado -
> transformado em antígeno -> absorvido 
por macrófago -> união dos macrófagos = 
células esponjosas -> placa de 
aterosclerose. 
A magnitude da aterosclerose é 
proporcional ao nível de LDL. 
EXAMES 
 Jejum interverem apenas com nível 
de TGL. 
 Jejum não altera colesterol, LDL e 
nem HDL. 
 Se possível evitar jejum -> usar um 
valor de referência mais alto para 
TGL (150->175) 
 Dosagem de CT, HDL e TGL; 
 LDL: é calculado – formula (TG > 400) 
ou dosagem direta. 
 LDL = CT – HDL – VLDL – TGL/X 
 Sendo X na formula de Friedewald = 
5 ou Martin = 3,1 a 11,9 (não HDL e 
TGL). 
Dosar a cada 5 anos após os 20 anos (NCEP) 
ou a partir dos 35 anos homem e 45 anos 
mulher (ACP). 
CLASSIFICAÇÃO – LABORATORIAL 
Hipercolesterolemia isolada: 
aumento isolado do LDL-c (LDL-
c >= 160mg/dl) 
Hipertrigliceridemia isolada: aumento 
isolado dos triglicerídes (TC >= 150mg/dl 
ou >= 175 mg/dl, se a amoatra for obtida sem 
jejum) 
Hiperlipidemia mista: aumento do LDL-c 
(LDL-c >= 160mg/dl) e dos TG (TG>= 150mg/dl ou 
>= 175mg/dl, se amostra for obtida sem 
jejum). 
HDL-c baixo: REDUÇÃO DO HDL-c (homens <40 
mg/dl e mulheres <50 mg/dl) isolada ou em 
associação ao aumento de LDL-c ou de TG. 
TRATAMENTO 
HIPERCOLESTEROLEMIA ISOLADA: 
▪ RISCO MUITO ALTO E ALTO: terapia 
farmacológica + não farmacológica; 
▪ RISCO INTERMEDIÁRIO E BAIXO: 
terapia não farmacológica e 
reavaliar com 3 a 6 meses; 
HIPERTRIGLICERIDEMIA ISOLADA 
▪ TGL > 500mg/dl: terapia 
farmacológica (pelo risco de 
pancreatite aguda); 
▪ TGL < 500mg/gl: não farmacológico + 
terapia individualizada; 
HIPERLIPIDEMIA MISTA 
▪ TGL> 500mg/dl: tratar 
hipertrigliceridemia; 
▪ TGL < 500mg/dl: tratar 
hipercolesterolemia; 
HDL BAIXO 
▪ Muito comum (20% população geral); 
 
2 SONIELY MELO CLÍNICA MÉDICA 
▪ Preditor significativo e 
independente de doença 
cardiovascular; 
▪ Baixos níveis de HDL não foram 
estabelecidos como causadores de 
aterosclerose. 
▪ NÃO são propostas metas para o 
HDL-c e não se recomenda tto 
medicamentoso visando à elevação 
dos níveis de HDL-c. 
 Estatinas para alto risco 
(focando no nível de LDL). 
 
 
 
 
TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DE ACORDO 
COM DISLIPIDEMIA: 
 
ESTATINAS 
Inibidores da HMG-COA redutase: inibe a 
enzima -> redução do colesterol no 
hepatócito -> aumento da síntese do 
receptor de LDL -> redução do LDL sérico; 
Cada redução de 40mg/dl – ocorreu 
diminuição da mortalidade em 10%; 
Há diferença entre a potência das 
estatinas; 
A redução de LDL está relacionada ao 
efeito pleiotrófico (anti-inflamatório e 
melhora endotelial). 
ALTA POTÊNCIA: pcts que precisam 
de redução > 50% do LDL – 
Atorvastatina 80mg e Rosuvastatina 20mg; 
MENOR INTERAÇÃO (principalmente com 
inibidores de protease – pcts HIV): 
Pivastatina ou Pravastatina. 
Diretriz de 2017; 
▪ Sintomas musculares relacionados 
a estatinas (SMRE); 
▪ Dor provável: simétrica, difusa e 
envolvendo grandes grupos 
musculares; 
▪ Dor muscular, sensibilidade, 
rigidez ou câimbras; 
▪ Fraqueza muscular ou peso durante 
exercício; 
▪ Até 4 semanas após início, 
suspensão ou reintrodução da 
medicação. 
▪ Se assintomáticos + CPK < 3x o limite 
da normalidade = manter estatina 
na mesma dose. 
▪ Se assintomáticos e/ou sintomas 
toleráveis com elevação moderada 
da CK (de 3 a 7 x o limite): manter 
estatina ou uma nova em baixa dose, 
om ajuste de dose a cada 4 a 6 
semanas; 
▪ Se sintomáticos intoleráveis com 
elevação moderada da CK (de 3 a 7x 
o limite): suspender por 4 a 6 
semanas; excluir causas 
secundárias; reiniciar a mesma 
estatina ou uma nova em baixa dose 
com aumento gradual e reavaliação 
constante. 
▪ Se elevação importante da CK (>7x o 
limite) independente dos sintomas: 
suspender por 4 a 6 semanas.; 
excluir causas secundárias; 
reiniciar a mesma estatina ou uma 
nova em baixa dose com aumento 
gradual e reavaliação constante; 
caso ocorrer aumento novamente 
HIPERCOLEST
EROLEMIA
Estatinas
Ezetimiba
Colestiramina
.
HIPERTRIGLIC
ERIDEMIA
Fibratos
Ácido nicotínico
Ácidos graxos 
ômega 3
.
HDL TGL 
Devem ser 
interpretados 
como parte 
de um perfil 
metabólico 
aterogênico. 
 
3 SONIELY MELO CLÍNICA MÉDICA 
para níveis > 7x limite, reduzir 
dose para a maior tolerada e 
adicionar terapia não estatina 
para alcançar a meta de LDL-c. 
ESTATINAS 
NÃO é recomendável para melhora de 
sintomas musculares relacionados a 
estatina: 
 Uso intermitente, não diário, de 
estatina (benefício não 
demonstrado e alteração dos 
níveis de LDL x melhor adesão 
com aumento progressivo) 
 Suplementação de vitamina D em 
indivíduos decientes. 
 Suplementação com coenzima Q 
(CoaQ10). 
Efeitos colaterais: vias aéreas; 
A colestiramina é o único fármaco 
hipolipemiante com segurança definida 
na gravidez. 
EZETIMIBA 
Reduz a absorção do colesterol no 
intestino delgado (grande parte 
colesterol biliar). 
Redução do colesterol hepático. Aumento 
do LDLR. 
Opção para associação com estatina em 
dose máxima ou dose máxima tolerada. 
Opção para paciente intolerante a 
estatina. 
RESINAS 
Reduz a absorção enteral de ácidos 
biliares. 
Redução do colesterol hepático – aumento 
do LDLR; 
Ex: Colestiramina. 
Pode interferir na absorção de outros 
medicamentos (deve ser tomada isolada). 
Diminui a absorção de vitaminas A,D, K e 
E. 
Aumenta TGL. 
FIBRATOS 
Para hipertigliceridemia!! 
Estimula os “receptores alfa ativados da 
proliferação dos peroxissomas” (PPAR-
alfa) – aumento da produção e da ação da 
LPL. 
Maior síntese de ApoA-I – HDL; 
Reduz TGL em 30 a 60%, aumenta HDL 7 a 
11% e ação variável no LDL; 
Dúvidas em relação a redução de eventos 
CV; 
Efeitos colaterais graves são 
infrequentes; 
+ comuns: Sintomas gastrointestinais e 
mialgia. 
Evitar associação de Gemfibroliza com 
estatinas -> por causa do aumento da 
miosite e miopatia. 
ÁCIDO NICOTÍNICO (NIACINA) 
Reduz a ação da lipase tecidual nos 
adipócitos; menor liberação de AG e reduz 
síntese de TGL pelos hepatócitos. 
 
 
Pode ser usado em HDL baixo isolado 
Alternativa ou associação para Fibratos 
e Estatinas. 
EFEITOS COLATERAIS: rubor facial ou prurido! 
Outros mais raros: acantose nigricans, 
náuseas e vômitos, hiperpigmentação 
cutânea, diarreia, miosite. 
ÁCIDO GRAXO ÔMEGA 3 
Tto adjuvante da hipertrigliceridemia; 
Altas doses (4 a 10g ao dia), reduzem os TG 
e aumentam discretamente o HDL-c, podendo, 
entretanto, aumentar LDL-c. 
Aumenta 
HDL 
Reduz 
TGL 
Reduz 
LDL 
 
4 SONIELY MELO CLÍNICA MÉDICA 
NÃO reduziu mortalidade e desfechos em 
estudos mais recentes com uso de 
estatinas. 
NOVOS FÁRMACOS 
Inibidores do PCSK-9: inibe a inibição da 
reciclagem do LDLR. Alirocumabe e o 
Evolucumabe (realizados SC a cada 15 a 30 
dias). 
Reduz o LDL-c em relação ao placebo em 
60% (em paciente que já fazia uso de 
estatina). 
Redução de desfecho CV. 
REF.: ATUALIZAÇÃO DA DIRETRIZ BRASILEIRA 
DE DISLIPIDEMIAS E PREVENÇÃO DA 
ATEROSCLEROSE - 2017