A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
MEDIASTINITE

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANATOMIA 
CABEÇA E 
PESCOÇO 
Mediastinite 
 Acometimento de espeços 
fasciais profundos por 
infecção odontogênica. 
O que é mediastinite? 
 Infecção cervitorácica 
acuminante de espaços 
fasciais profundos; 
 Oriunda de infecções 
orofaríngeas/odontogênicas; 
 Infecção polimicrobiana mista 
 Índice de letalidade alto (11-
86%) 
 O cirurgião-dentista é 
fundamental para o 
tratamento e diagnóstico. 
 O mediastino é um espaço 
facial profundo anterior ao 
diafragma; 
 Comporta o coração, parte 
torácica da traqueia e o 
esôfago 
 Obstrução das vias aéreas + 
choque séptico 
 
Estágios da infecção: 
 Inoculação 
 Grau moderado de dor e com 
bordas difusas (edema) 
 Coloração semelhante à 
mucosa e consistência 
gelatinosa; 
 Progressão crescente/ 
ausência de pus; 
 Baixa gravidade/ bactérias 
anaeróbias 
 
Celulite: 
 Grau moderado a alto de dor 
e com bordas difusas; 
 Coloração avermelhada e de 
consistência endurecida; 
 Progressão crescente / 
líquido serossanguinolento 
no interior; 
 Alta gravidade / bactérias 
anaeróbias e aeróbias; 
 Risco de evolução para 
angina de Ludwing; 
 
Abcesso: 
 Grau moderado a alto de dor 
e com bordas definidas/ 
circunscritas; 
 Coloração avermelhada na 
periferia e consistência 
flutuante; 
 Progressão crescente/ 
secreção purulenta; 
 Moderada a alta gravidade/ 
bactérias aeróbias; 
 Risco menor para evolução 
para angina de Ludwig do 
que a celulite. 
 
Angina de Ludwig: 
 Grau alto de dor e espaços 
perimandibulares 
acometidos. Espaços 
perimandibulares se 
caracteriza pela união dos 
espaço submandibular, 
sublingual e submentual. 
(unilaterais). 
 Coloração avermelhada e 
consistência endurecida; 
 Rápida progressão / disfagia 
+ dispneia 
 Alta gravidade / bactérias 
aeróbias e anaeróbias 
 Risco de septicemia / 
obstrução das vias aéreas / 
morte; 
 
Anatomia da Mediastinite: 
 Espaços perimandibular + 
espaços retrofaríngeos / 
faríngeo lateral / mediastino. 
 2º e 3º molares inferiores 
com maior incidência; 
 Espaços de grau moderado + 
alto de risco acometidos; 
 
Diagnóstico da mediastinite: 
 Sinais clínicos: 
 Edema difuso 
 Vermelhidão 
 Desidratação 
 Mobilidade cervical 
dificultada 
 Febre 
 Trismo 
 Assoalho bucal elevado 
 
Sintomas clínicos: 
 Dor aguda e difusa 
 Fadiga 
 Disfagia 
 Dispneia 
 Disfonia 
 
Solicitação do exame 
hematológico; importante para 
avaliar a imunidade do paciente. 
 
Tratamento da mediastinite: 
 Remoção do fator causal 
 Incisão e drenagem dos 
espaços acometidos 
 Garantia de vias aéreas 
 Administração de 
antibioticoterapia; amoxilina 
associado ao clavulanato de 
potássio. 
 
Limites interdisciplinares: 
Área odontológica: 
 Espaços perimandibulares 
 Remoção do fator causal 
 Toracotomia 
 Cervicotomia 
 Traqueostomia 
 
 Quando internar o 
paciente? 
 Febre < 38,5 
 Pacientes imunossuprimidos 
 Manejo ambulatorial 
comprometido 
 Espaços fasciais profundos 
acometidos