A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
Controle interno na gestão pública - um estudo de caso da controladoria geral municipal no estado de Alagoas

Pré-visualização | Página 12 de 12

submetidas 
14 - As irregularidades/ilegalidades apuradas pelo Órgão Central do Sistema de Controle Interno são comunicadas ao Chefe do Poder Executivo para providências? 
(X) Sim () Não obs: sem força para realizar mudanças significativas nas ações do chefe do executivo. 
15 - O responsável pelo Órgão Central do Sistema de Controle Interno possui liberdade para comunicar ao Tribunal de Contas e/ou Ministério Público, no caso de não ver atendida as recomendações exaradas ou no caso de identificação de situação de irregularidade no âmbito da Administração Pública? 
(X) Sim () Não 
16 - As Ações de controle desenvolvidas são caracterizadas por uma atuação: (admite mais de uma opção) ∙ (x)Preventivas ∙ (x)Concomitantes ∙(x)Posteriores 
Fonte: Adaptado de ENCCLA (2017) e TCM-GO (2015)
APÊNDICE B - TERMO DE CONSENTIMENTO
ANEXO A- MONITORAMENTO 11/2019 FPM – 1 DECÊNDIO DE DEZEMBRO
ORIGEM – Relatório Técnico 10/19 e Monitoramento 10/2019
Objeto – repasse do FPM ao Município
Escopo – continuar o estudo antecipado do ingresso aos cofres municipais do FPM, exibindo as distribuições legais e retenções de dívidas previdenciárias e financeiras, a fim de suporte gerencial e estudos perene.
Arapiraca-AL, 09 de dezembro de 2019
Rikelle Carla da Silva
Estagiária/Administração
Sérgio Silva Monteiro
Técnico/CGM
Ao Controlador para ratificação e tempestivamente torná-lo público.
Fabrízio Araújo Almeida
Controlador Geral do Município
ANEXO B - MONITORAMENTO 08/2019 EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA
Origem: Relatório Técnico 04/2019
Natureza: Contábil
Escopo: trabalho sistemático na análise do balanço orçamentário no bimestre setembro/outubro
Comentários sintéticos pertinente ao resultado da execução orçamentária, até outubro 2019
1. A reavaliação da receita constatou num acréscimo de R$ 21.114.121,04 alusivo a atualizada. Neste bimestre a arrecadação chegou a R$ 92.236.178,54, superior em R$ 1.634.721,44 do bimestre
julho/agosto.
2. O montante da arrecadação encontra-se no nível de R$ 483.528.272,29, equivalente a 65,57% da receita atualizada, continuando abaixo da média. Pelo contexto atual dificilmente, no bimestre novembro/ dezembro, ocorrerá potencial arrecadação que resgate o quadro deficitário, persistente durante o ano
corrente.
3. Com a atualização da despesa, persiste panorama negativo e crescente, isto é, os dispêndios passaram de R$ 17.950.559,95 para R$ 32.920.605,16. Agora, num paralelo entre as atualizações das receitas x despesas, as despesas encontram-se 155,92% maiores. Apesar do quadro desfavorável houve um maior crescimento das receitas, mas a distância para a despesa continua estável. Vejam:
Continua superávit reduzido para R$ 38.073.000,96. Porém, o saldo a pagar (despesa liquidada não paga) de R$ 23.649.427,25, crescente. O comparativo logo abaixo demonstra cenários desanimadores, visto que no mesmo período de outubro/2018 tais despesas estavam controláveis, disparando quase o dobro, 23,6 milhares, com relação a mesma época e uma alta, no mesmo patamar, do corrente exercício.
Arapiraca-AL, 18 de novembro de 2019
Sérgio Silva Monteiro
Técnico/CGM
Cledson José da Silva
Técnico/CGM
Para ciência do Controlador, reflexo no exame, ratificação e adoção de providências.
Fabrízio Araújo Almeida
Controlador Geral do Município

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.