A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ATIVIDADE DE HEMATOLOGIA 4

Pré-visualização | Página 1 de 2

Acadêmico (a): Gedeão Pereira de Souza
Preceptora: Michelle Gonçalves de Souza Santos
Estágio Supervisionado em Biomedicina I
	Atividade de Hematologia 4	
Realizar a leitura do material de apoio (Capítulos 8, 9 e 24, 25, 26 do livro Fundamentos em hematologia – Victor Hoffbrand), e responder as questões a seguir:
1. Descreva as principais características e funções dos diferentes tipos de leucócitos.
Neutrófilos – São glóbulos brancos que apresentam núcleos constituídos por dois a cinco lóbulos e possuem dois tipos de grânulos no citoplasma: grânulos específicos e azurófilos. Apresentam a capacidade de sair do interior de vasos sanguíneos intactos (diapedese) e invadir tecidos para defender nosso organismo. São responsáveis por fagocitar organismos invasores, como bactérias, sendo importantes para a resposta inata.
Eosinófilos – São células que apresentam grânulos que se coram ao utilizar eosina e um núcleo com dois lobos conectados por um filamento. Apresentam como principal função fagocitar o complexo antígeno-anticorpo. Essas células aumentam quando o paciente apresenta reações alérgicas ou infecções parasitárias.
Basófilos – São células que apresentam grânulos maiores que os dos neutrófilos e eosinófilos e núcleo grande e de formato irregular que lembra a letra “S”. Sua função é liberar histamina e heparina, funcionando, respectivamente, em respostas alérgicas e evitando a coagulação do sangue.
AGRANULÓCITOS
Linfócitos – São pequenos e apresentam um grande núcleo circular e importante papel na resposta imune. Essas células podem ser classificadas em dois tipos principais: linfócitos B e linfócitos T.
Linfócitos B – Essas células originam-se e terminam sua maturação ainda na medula. Quando sofrem ativação, diferenciam-se em plasmócitos, que possuem como principal função a produção de anticorpos.
Linfócitos T – Os linfócitos T recebem esse nome por completarem sua maturação no timo. Esse grupo de células diferenciam-se em duas classes: CD8+, ou citotóxicas, e as CD4+, ou auxiliares. O primeiro grupo mata as células infectadas, enquanto o CD4+ relaciona-se com a ativação dos linfócitos B e macrófagos.
Monócitos – São células grandes que possuem um único núcleo com formato de rim. Essas células realizam diapedese e caem no tecido conjuntivo, onde se desenvolvem em macrófagos, células de alto poder fagocitário.
2. Defina e exemplifique os termos abaixo:
a) Neutrofilia: 
Neutrofilia é a condição na qual uma pessoa possui no sangue um número aumentado de granulócitos neutrófilos (um tipo de glóbulos brancos).
b) Neutropenia:
 A neutropenia consiste na redução da contagem de neutrófilos no sangue. Se for grave, há aumento no risco e na gravidade de infecções causadas por bactérias e fungos. Os sintomas focais da infecção podem ser silenciosos, mas a febre surge durante as infecções mais sérias.
c) Eosinofilia:
Eosinofilia é o aumento da concentração de eosinófilos no sangue, onde a contagem sérica de eosinófilos totais é maior que 350 células/mm3. De acordo com Epstein (1998), pode ser classificada em: Leve - 351 a 1500 células/mm3 de sangue. Moderada - 1500 a 5000 células/mm3 de sangue.
d) Basofilia:
Os basófilos são células pertencentes ao sistema imunológico e que se encontram em menores quantidades no sangue, sendo considerado normal quando sua concentração está entre 0 e 2% ou 0 - 200 /mm3, ou de acordo com o valor do laboratório. Quantidade de basófilo superior a 200/ mm3 é indicado como basofilia.
e) Linfocitose:
Linfocitose é um aumento do número de linfócitos no sangue geralmente detectado na análise de hemograma. Quando ocorre o contrário, ou seja, quando os linfócitos diminuem de número, dá-se o nome de linfocitopenia. Linfócitos normalmente representam 20 a 40% dos leucócitos circulantes do sangue.
f) Linfocitopenia:
A linfocitopenia é um número anormalmente baixo de linfócitos (um tipo de glóbulo branco) no sangue. Muitos distúrbios podem reduzir o número de linfócitos no sangue, mas infecções virais (incluindo AIDS) e desnutrição são os mais comuns.
g) Monocitose:
O termo monocitose refere-se ao aumento da quantidade de monócitos circulantes no sangue, ou seja, quando são identificados mais de 1000 monócitos por µL de sangue.
3. Quais as propriedades e características de um neutrófilo? Quais enzimas estão presentes nos grânulos dos neutrófilos?
São glóbulos brancos que apresentam núcleos constituídos por dois a cinco lóbulos e possuem dois tipos de grânulos no citoplasma: grânulos específicos e azurófilos. Apresentam a capacidade de sair do interior de vasos sanguíneos intactos (diapedese) e invadir tecidos para defender nosso organismo.
Os neutrófilos eliminam o conteúdo dos seus três tipos de grânulos que contém propriedades antimicrobianas e ajudam no combate as infecções. Lactoferrina, Catelicidina, Fosfatase alcalina, Colagenase (gelatinase), Lisozima, Proteínas básicas antibacterianas, não enzimáticas, Lipocalina.
4. O que é reação leucemóide? Qual é a diferença entre um quadro leucemóide e uma leucemia?
A reação leucemoide é um distúrbio hematológico, definido por uma contagem de leucócitos superior a 25.000/mm³, mas, geralmente, não ultrapassando o limite de 50.000/mm³, desencadeada por causas reativas fora da medula óssea, sendo caracterizada por um aumento significativo de neutrófilos no sangue periférico e desvio à esquerda.
Os aspectos úteis para fazer a distinção entre uma leucemia e uma reação leucemoide incluem a presença de granulações tóxicas e vacuolização, assim como a preponderância de células mais maduras (na reação leucemoide), neutrófilos hipogranulares e um número desproporcional de mieloblasto (em muitas leucemias).
5. Explique o que são linfócitos reativos (linfócitos atípicos) e descreva em quais situações eles podem ser encontrados.
É um leucócito não maligno que pode ser encontrado no sangue periférico em resposta a alguns estímulos antigênicos. Nos locais de inflamação ele atua como os linfócitos normais, desempenhando um papel na resposta imune, tanto na primária quanto na auxiliar.
Podem estar aumentados em infecções virais, doenças autoimunes, após esplenectomia e na leucemia linfocítica grande granular.
6. Explique as alterações morfológicas abaixo e cite situações onde podem ser observadas.
a) Granulações Tóxicas
As granulações tóxicas são pequenas formações em grânulos que aparecem no citoplasma dos neutrófilos e refletem uma perturbação da maturação dos mesmos, com persistência dos grânulos azurófilos nos estádios celulares maduros, ou podem ainda ser o resultado da endocitose de agentes tóxicos (bactérias, proteínas séricas desnaturadas) com formação de novos grânulos anormais. O termo "tóxico" é usado para indicar o estado de funcionamento de muitas células, que ocorre numa variedade de doenças como infecções sistêmicas, câncer, pneumonia, coma diabético ou hepático, toxemia da gravidez, envenenamento químico e em estados tóxicos.
b) Vacuolização
A vacuolização citoplasmática consiste em vácuolos claros causados por autodigestão, pois toxinas bacterianas podem induzir a ruptura dos lisossomos da célula liberando seu conteúdo enzimático. A vacuolização ocorre em infecções bacterianas e em processos inflamatórios agudos, podendo atingir também neutrófilos, macrófagos e linfócitos.
c) Corpúsculo de Dohle
Os corpos Döhle são de cor azul claro, de localização periférica e comumente vistos em neutrófilos de pacientes com alguma infecção. Quando acompanhado de, por exemplo, desvio à esquerda, granulações tóxicas, vacúolos citoplasmáticos, este achado é muito sensível à presença de doença infecciosa ou inflamatória.
d) Anomalia de Pelger-Huet
A anomalia de Pelger-Huët é uma alteração autossômica dominante, que envolve a diferenciação terminal de leucócitos, em que se observa a segmentação incompleta do núcleo dos granulócitos, descrita pela primeira vez por Pelger em 1982. pode ser ocasionalmente observada em casos de leucemia granulocítica, doenças mieloproliferativas e algumas infecções, em que as células apresentam núcleos ovais, característicos dos