A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
60 pág.
04_Nocoes_de_Criminalistica

Pré-visualização | Página 6 de 27

contra o patrimônio – art. 171 do CPP; 
 
Art. 171. Nos crimes cometidos com destruição ou rompimento de obstáculo a subtração da coisa, ou 
por meio de escalada, os peritos, além de descrever os vestígios, indicarão com que instrumentos, por 
que meios e em que época presumem ter sido o fato praticado. 
 
- Perícias em locais de incêndio – art. 173 do CPP; 
 
Art. 173. No caso de incêndio, os peritos verificarão a causa e o lugar em que houver começado, o 
perigo que dele tiver resultado para a vida ou para o patrimônio alheio, a extensão do dano e o seu valor 
e as demais circunstâncias que interessarem à elucidação do fato. 
 
- Perícias em documentos – art. 174 do CPP; 
 
Art. 174. No exame para o reconhecimento de escritos, por comparação de letra, observar-se-á o 
seguinte: 
I - a pessoa a quem se atribua ou se possa atribuir o escrito será intimada para o ato, se for encontrada; 
II - para a comparação, poderão servir quaisquer documentos que a dita pessoa reconhecer ou já 
tiverem sido judicialmente reconhecidos como de seu punho, ou sobre cuja autenticidade não houver 
dúvida; 
III - a autoridade, quando necessário, requisitará, para o exame, os documentos que existirem em 
arquivos ou estabelecimentos públicos, ou nestes realizará a diligência, se daí não puderem ser retirados; 
IV - quando não houver escritos para a comparação ou forem insuficientes os exibidos, a autoridade 
mandará que a pessoa escreva o que Ihe for ditado. Se estiver ausente a pessoa, mas em lugar certo, 
esta última diligência poderá ser feita por precatória, em que se consignarão as palavras que a pessoa 
será intimada a escrever. 
 
- Perícias em instrumentos do crime – art. 175 do CPP; e 
 
Art. 175. Serão sujeitos a exame os instrumentos empregados para a prática da infração, a fim de se 
Ihes verificar a natureza e a eficiência. 
 
- Perícia relacionada com a busca e apreensão – art. 527 do CPP. 
 
Art. 527. A diligência de busca ou de apreensão será realizada por dois peritos nomeados pelo juiz, 
que verificarão a existência de fundamento para a apreensão, e quer esta se realize, quer não, o laudo 
pericial será apresentado dentro de 3 (três) dias após o encerramento da diligência. 
 
Questões 
 
01. (SEFAZ/PE - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual – FCC). Acerca dos papéis de trabalhos 
utilizados na execução da perícia, especificados na NBC TP 01 - Perícia Contábil, integram um processo 
organizado de registro de provas, dentre outros, 
(A) notificações, confirmações e projetos. 
(B) declarações, edital e termos de vistoria. 
(C) depoimentos, projetos e cronograma físico-financeiro. 
(D edital, desenhos e termos de vistoria. 
1374611 E-book gerado especialmente para PETRUCCIO TENORIO MEDEIROS
 
. 12 
(E) plantas, desenhos e fotografias. 
 
02. (TER/AM - Analista Judiciário - Área Judiciária – IBFC). No exame pericial por precatória: 
(A) Somente caberá quesitos das partes e do juízo deprecado. 
(B) Em ação penal pública, a nomeação do perito será feita no juízo deprecante. 
(C) Em ação penal pública, o laudo pericial será elaborado no prazo máximo de 30 dias, podendo este 
prazo ser prorrogado, em casos excepcionais, a requerimento dos peritos. 
(D) Havendo, no caso de ação privada, acordo das partes, a nomeação do perito poderá ser feita pelo 
juiz deprecante. 
 
03. (CFC - Bacharel em Ciências Contábeis – CFC). De acordo a NBC TP 01 – Perícia Contábil, o 
laudo pericial contábil é uma: 
(A) indagação e busca de informações, mediante conhecimento do objeto da perícia, solicitada nos 
autos. 
(B) investigação e pesquisa sobre o que está oculto por quaisquer circunstância nos autos. 
(C) peça escrita, na qual o perito contador assistente deve registrar, de forma abrangente, o conteúdo 
da perícia e generalizar os aspectos e as minudências que envolvam a demanda. 
(D) peça escrita, na qual o perito contador deve registrar, de forma abrangente, o conteúdo da perícia 
e particularizar os aspectos e as minudências que envolvam a demanda. 
 
Respostas 
 
01. Resposta: E 
Entende-se por papéis de trabalho a documentação preparada pelo perito para a execução da perícia. 
Eles integram um processo organizado de registro de provas, por intermédio de termos de diligência, 
informações em papel, meios eletrônicos, plantas, desenhos, fotografias, correspondências, 
depoimentos, notificações, declarações, comunicações ou outros quaisquer meios de prova fornecidos e 
peças que assegurem o objetivo da execução pericial. 
 
02. Resposta: D 
Art. 177, Código de Processo Penal. No exame por precatória, a nomeação dos peritos far-se-á no 
juízo deprecado. Havendo, porém, no caso de ação privada, acordo das partes, essa nomeação poderá 
ser feita pelo juiz deprecante. 
 
03. Resposta: D 
NCB TP 01: 
58. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil são documentos escritos, nos quais os peritos 
devem registrar, de forma abrangente, o conteúdo da perícia e particularizar os aspectos e as 
minudências que envolvam o seu objeto e as buscas de elementos de prova necessários para a conclusão 
do seu trabalho. 
 
 
 
Segundo Kedhy, local de crime é toda área onde tenha ocorrido um fato que assuma a configuração 
de delito e que, portanto, exija as providências da polícia. 
 
O professor Eraldo Rabello4 define local do crime como sendo: 
“ a porção do espaço compreendida num raio que, tendo por origem o ponto no qual é constatado o 
fato, se entenda de modo a abranger todos os lugares em que, aparente, necessária ou presumidamente, 
hajam sido praticados, pelo criminoso, ou criminosos, os atos materiais, preliminares ou posteriores à 
consumação do delito, e com este diretamente relacionado”. 
 
 
4 RABELLO, Eraldo. Curso de criminalística. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1996.ROCHA, Luiz Carlos. Investigação policial: teoria e prática. São Paulo: Saraiva, 
1998. 
3. Locais de crime: 3.1. Conceituação e classificação. 3.2. Isolamento e 
preservação de local de crime. 3.3. Finalidades dos levantamentos 
dos locais de crime contra a pessoa e contra o patrimônio. 
1374611 E-book gerado especialmente para PETRUCCIO TENORIO MEDEIROS
 
. 13 
Neste local será permitida a atuação da polícia ostensiva e da polícia judiciária. A ostensiva visa 
prevenir a ruptura da ordem ou manter o local da forma em que foi praticado o crime, já a segunda irá 
aplicar a lei penal se ficar constado que o crime de fato ocorreu. 
 
Infelizmente a curiosidade dos populares acaba por atrapalhar as investigações e faz desaparecer 
importantes provas, pois muitos pisam em local que não deve, quando se trata de local que é tomado 
pelo sangue, a maioria das pessoas, por desconhecimento joga água e até mesmo produtos de limpeza 
para suportar a chegada das autoridades responsáveis. Por exemplo: donos de bares que presenciam 
agressões e muitas vezes mortes sangrentas. 
 
O Código de Processo Penal, em seu artigo 6º,inciso I, contempla: 
 
Art. 6º Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá: 
I - dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas, até 
a chegada dos peritos criminais; 
 
No caso especial dos locais de incêndio, inundação, desmoronamento, escapamento de gás, o policial 
facilitará a saída das pessoas que se encontrem na saída imediata; as que não necessitarem de socorros 
urgentes, devem ser conservadas na área mediata, a fim de prestarem esclarecimentos. 
 
Classificação dos Locais de Crime 
 
Dependendo do crime cometido, os locais do crime apresentam conteúdo variado de vestígios. Nos 
crimes contra a pessoa, os vestígios matem relação com a vítima, já nos crimes patrimoniais, os vestígios 
relacionam-se com o objeto. Os agentes de segurança demonstram grande preocupação com a 
preservação do local do crime. 
 
Para tanto, a doutrina, quase de forma unânime classifica o local do crime de acordo com o delito, 
podendo ser de forma interna ou externa, mediata