A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
ADI e ADC perante o STF (Lei 9868)

Pré-visualização | Página 1 de 7

ADC/ADI – Lei 9868/99.
MATERIAL COM QUESTÕES DE CONCURSO e ALGUMAS REFERÊNCIAS À SÚMULAS E JULGADOS DOS TRIBUNAIS SUPERIORES
Material confeccionado por Eduardo B. S. Teixeira.
	Última atualização legislativa: nenhuma.
Última atualização jurisprudencial: 01/07/20 – Info 964 (art. 27)
Última atualização questões de concurso: 16/03/2021.
Observações quanto à compreensão do material:
1) Cores utilizadas:
· EM VERDE: destaque aos títulos, capítulos, bem como outras informações relevantes, etc.
· EM ROXO: artigos que já foram cobrados em provas de concurso.
· EM AZUL: Parte importante do dispositivo (ex.: questão cobrou exatamente a informação, especialmente quando a afirmação da questão dizia respeito à situação contrária ao que dispõe na Lei 9.868/99).
· EM AMARELO: destaques importantes (ex.: critério pessoal)
2) Siglas utilizadas:
· MP (concursos do Ministério Público); M ou TJPR (concursos da Magistratura); BL (base legal, etc).
LEI No 9.868, DE 10 DE NOVEMBRO DE 1999.
	
	Dispõe sobre o processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade e da ação declaratória de constitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
CAPÍTULO I
DA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE E DA
AÇÃO DECLARATÓRIA DE CONSTITUCIONALIDADE
Art. 1o Esta Lei dispõe sobre o processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade e da ação declaratória de constitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal.
CAPÍTULO II
DA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE
Seção I
Da Admissibilidade e do Procedimento da
Ação Direta de Inconstitucionalidade
Art. 2o Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade: (Vide artigo 103 da Constituição Federal) 
I - o Presidente da República; (MPPR-2008) (TJSC-2009) (PGEAM-2010) (TJPR-2012) (MPMG-2018)
II - a Mesa do Senado Federal; (MPPR-2008) (TJSC-2009) (TJPR-2012) (TJBA-2012)
III - a Mesa da Câmara dos Deputados; (MPPR-2008) (TJSC-2009) (TJPR-2012) (TJBA-2012) (MPMG-2018)
	##Atenção: A Mesa do Congresso Nacional não tem legitimidade para propor esta ação.
IV - a Mesa de Assembléia Legislativa ou a Mesa da Câmara Legislativa do Distrito Federal; (TJSC-2009) (TJDFT-2011) (TJBA-2012) (TJPA-2012) (MPAP-2012) (MPSP-2012) (TRF4-2012)
V - o Governador de Estado ou o Governador do Distrito Federal; (TJSC-2009) (PGEAM-2010) (MPSP-2012) (MPMS-2018)
VI - o Procurador-Geral da República; (DPU-2007) (MPPR-2008) (TJSC-2009) (TJPR-2010) (MPRS-2012) (MPSC-2012)
VII - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; (DPU-2007) (MPPR-2008) (TJGO-2009) (TJSC-2009) (TJPR-2010) (PGEAM-2010) (MPRS-2012) (MPSC-2012) (TJMA-2013)
VIII - partido político com representação no Congresso Nacional; (MPPR-2008) (MPRO-2008) (TJSC-2009) (TJRJ-2011) (MPRJ-2012) (MPSC-2012) (MPSP-2012) (TRF4-2012) (TJMA-2008/2013) (MPMT-2014) (MPMG-2018)
	(TJAC-2019-VUNESP): Assinale a alternativa que está de acordo com o direito pátrio no que tange ao controle de constitucionalidade concentrado: A perda superveniente A perda superveniente de representação parlamentar de Partido Político não o desqualifica para permanecer no polo ativo da ação direta de inconstitucionalidade. BL: art. 2º, § único, VIII, Lei 9868; art. 103, VIII, CF e entendimento jurisprudencial.
##Atenção: Conforme o STF, “Partido político. Legitimidade ativa. Aferição no momento da sua propositura. Perda superveniente de representação parlamentar. Não desqualificação para permanecer no polo ativo da relação processual. Objetividade e indisponibilidade da ação” (ADI 2.618 AgR-AgR, rel. min. Gilmar Mendes, j. 12/8/04).
(TJMS-2015-VUNESP): Segundo a CF/88 e a jurisprudência do STF, são dois exemplos de legitimados universais para a propositura da ação declaratória de constitucionalidade: o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e os partidos políticos com representação no Congresso Nacional. BL: art. 2º, § único, VII e VIII, Lei 9868 e art. 103, VII e VIII, CF.
IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. (TJSC-2009) (PGEAM-2010) (TJCE-2012) (MPSC-2012) (MPSP-2012) (TCESP-2017) (MPMG-2018)
	(TJMA-2013-CESPE): Para ajuizar ação declaratória de constitucionalidade, o partido político com representação no Congresso Nacional deve estar representado por advogado.
##Atenção: No controle concentrado de constitucionalidade, a petição inicial nem sempre precisa ser assinada por advogado. Essa exigência de assinatura da inicial atinge apenas: a) partido político com representação no Congresso Nacional; e b) Confederação Sindical ou Entidade de Classe de âmbito nacional. Os demais legitimados têm capacidade postulatória presumida ou especial.
##Atenção: ##STF: ##DOD: A entidade de classe de âmbito nacional, por ser um legitimado especial, deverá provar que a legislação questionada guarda relação de pertinência temática com as finalidades institucionais dessa entidade. STF. Plenário. ADI 2903, Rel. Min. Celso de Mello, j. 1/12/05.
	##Atenção: A pertinência temática aplica-se a todas as ações de controle concentrado de constitucionalidade.
Parágrafo único. (VETADO)
Art. 3o A petição indicará:
I - o dispositivo da lei ou do ato normativo impugnado e os fundamentos jurídicos do pedido em relação a cada uma das impugnações;
	##Atenção: ##STF: Substancial alteração do parâmetro de controle: “Posicionamento da Corte no sentido de aceitar, em casos excepcionais, o conhecimento da ação, com vistas à máxima efetividade da jurisdição constitucional, ante a constatação de que a inconstitucionalidade persiste e é atual. [ADI 2.087, rel. min. Dias Toffoli, j. 12-4-2018, P, DJE de 8-5-2018.]”
II - o pedido, com suas especificações.
Parágrafo único. A petição inicial, acompanhada de instrumento de procuração, quando subscrita por advogado, será apresentada em duas vias, devendo conter cópias da lei ou do ato normativo impugnado e dos documentos necessários para comprovar a impugnação. (TJPI-2012) (TJSP-2013)
Art. 4o A petição inicial inepta, não fundamentada e a manifestamente improcedente serão liminarmente indeferidas pelo relator. (TJPR-2008) (MPMG-2011)
Parágrafo único. Cabe agravo da decisão que indeferir a petição inicial. (TJPR-2008) (MPMG-2011) (MPSC-2014)
Art. 5o Proposta a ação direta, não se admitirá desistência. (TJPI-2007) (TJMA-2008) (MPMT-2008) (DPECE-2008) (MPMG-2011) (TJSP-2013) (MPSC-2014) (TJDFT-2015) (TJAL-2019) (MPSP-2019)
Parágrafo único. (VETADO)
	(TJRJ-2011-VUNESP): Em se tratando de ADI, o STF firmou o entendimento de que ação dessa natureza não é suscetível de desistência. BL: art. 5º desta Lei.
##Atenção: Existe vedação expressa em relação à ADI proposta tanto no art. 5º, caput desta Lei quanto no Regimento Interno do STF.
(TJRO-2011): Na ação direta de inconstitucionalidade não se permite a desistência, e os Ministros do STF não estão vinculados à causa de pedir. BL: art. 5º desta Lei.
Art. 6o O relator pedirá informações aos órgãos ou às autoridades das quais emanou a lei ou o ato normativo impugnado. (TJMT-2014)
Parágrafo único. As informações serão prestadas no prazo de trinta dias contado do recebimento do pedido.
Art. 7o Não se admitirá intervenção de terceiros no processo de ação direta de inconstitucionalidade. (MPDFT-2011) (MPMG-2011) (TRF1-2011) (TJBA-2012) (MPGO-2012) (TJMA-2013) (MPMT-2014) (MPSC-2014) (DPESP-2015) (DPEES-2016) (TJAL-2019) (TJAC-2019)
	##Atenção: Cumpre registrar que, com o CPC/2015, a manifestação de amicus curiae passou a ser considerada como intervenção de terceiros, haja vista se encontrar em capítulo do CPC dentro do título referente à intervenção de terceiros. Todavia, seja porque o STF considera a intervenção do amigo da corte uma “intervenção sui generis”, seja porque a Lei da ADI e ADC igualmente nega tal possibilidade, não se admite intervenção de terceiros em processos de ação direta de inconstitucionalidade.
##Atenção: ##TJAC-2019: ##VUNESP: ##STF: “Recurso interposto por terceiro prejudicado. Não cabimento. Procedentes. Embargos de declaração opostos pela OAB.