A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Articulações

Pré-visualização | Página 1 de 3

gabi_fran_ 
Gabrielle França, CESUPA 2021. 
 
As articulações do sistema esquelético 
contribuem para a homeostasia, mantendo os 
ossos unidos de maneira a possibilitar os 
movimentos e a flexibilidade. Elas são o 
ponto de contato entre dois ossos, entre osso 
e cartilagem ou entre osso e dente, ao dizer 
que um osso se articula com outro osso, 
queremos dizer que esses ossos formam uma 
articulação. 
 
 
Elas são classificadas estruturalmente, com 
base nas características anatômicas, e 
funcionalmente de acordo com o tipo de 
movimento que possibilitam. 
 
 
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL 
Relaciona-se com o grau de movimento que 
articulação permite: 
1. Sinartrose: articulação fixa; 
2. Anfiartrose: pouco móvel; 
3. Diartrose: articulação com liberdade de 
movimentos; sinoviais que possuem 
uma variedade de formatos e permitem 
diversos tipos diferentes de movimentos. 
 
CLASSIFICAÇÃO ESTRUTURAL 
Aqui se avalia a composição, ou seja, o tipo 
de tecido conjuntivo que a compõe e se há 
espaço entre ela: 
 
1. Articulações fibrosas: não há cavidade 
articular e os ossos são mantidos unidos 
por tecido conjuntivo denso não 
modelado e rico em fibras de colágeno. 
2. Articulações cartilagíneas: não há 
cavidade articular e os ossos são 
mantidos juntos por cartilagem. 
3. Articulações sinoviais: os ossos que 
formam a articulação apresentam 
cavidade articular e são unidos pelo 
tecido conjuntivo denso não modelado 
de uma cápsula articular e, muitas vezes, 
por ligamentos acessórios. 
 
 
As articulações fibrosas não apresentam 
cavidade articular e os ossos da articulação 
são mantidos bem próximos por tecido 
conjuntivo denso não modelado, nelas ocorre 
pouco ou nenhum movimento. Os três tipos 
de articulações fibrosas são suturas, 
sindesmoses e membranas interósseas. 
 
o Sutura: 
É uma articulação fibrosa composta de uma 
fina camada de tecido conjuntivo denso não 
modelado; as suturas ocorrem entre os ossos 
do crânio. As margens irregulares e 
interligadas das suturas conferem resistência 
adicional e diminuem as chances de fratura. 
 São imóveis ou discretamente móveis. Nos 
indivíduos mais velhos, as suturas são imóveis 
(sinartroses), porém nos recém-nascidos/ 
lactentes e nas crianças são discretamente 
móveis (anfiartroses). EX: sutura coronal do 
crânio. 
OBS: Algumas suturas presentes durante a infância 
são substituídas por osso no adulto, tais suturas são 
exemplos de sinostose, que é uma articulação na qual 
há fusão completa de dois ossos separados, como 
metades na Sutura frontal. 
 
o Sindesmoses 
É uma articulação fibrosa na qual existe uma 
distância maior entre as faces articulares e 
mais tecido conjuntivo denso não modelado 
do que em uma sutura. O tecido conjuntivo 
denso não modelado é tipicamente arranjado 
como um ligamento, possibilitando que a 
articulação tenha movimento limitado 
(anfiartrose). 
EX: sindesmose que liga a Tíbia e a Fíbula e 
permite um ligeiro movimento, e a chamada 
de gonfose ou articulação dento alveolar. 
 
o Membrana Interóssea: 
 Consiste em uma lâmina substancial de 
tecido conjuntivo denso não modelado que liga 
ossos longos vizinhos e permite discreto 
movimento (anfiartrose); EX: localizada entre o 
radio e a ulna, e a outra entre a tíbia e a fíbula. 
 
 
Elas não apresentam cavidade articular e 
possibilita pouco ou nenhum movimento. 
Neste caso, os ossos integrantes da 
articulação estão fortemente ligados por 
cartilagem hialina ou fibrocartilagem. Os dois 
tipos de articulações cartilagíneas são as 
sincondroses e as sínfises. 
 
o Sincondroses: 
São as articulações onde a conexão é feita 
de cartilagem hialina. Do ponto de vista 
funcional, a sincondrose é uma articulação 
imóvel (sinartrose). EX: temos uma 
sincondrose entre a epífise e diáfise dos ossos 
no desenvolvimento. E a articulação entre 
uma das costelas e o esterno. Ambas se 
tornam SINOSTOSES. 
 
o Sínfises 
São as articulações que possuem 
extremidades dos ossos recobertas de 
cartilagem hialina, mas há um disco de 
fibrocartilagem que os une; sínfise é uma 
articulação discretamente móvel (anfiartrose). 
Todas as sínfises ocorrem na linha média do 
corpo. 
 
 
 
São as de estrutura mais complexa e 
realizam movimentos relacionados, 
majoritariamente a locomoção em si. Uma 
característica única da articulação sinovial é a 
presença de um espaço chamado de 
cavidade articular ou cavidade sinovial entre 
os ossos integrantes da articulação. 
Uma vez que a cavidade articular possibilita 
movimento considerável na articulação, 
todas as articulações sinoviais são 
classificadas do ponto de vista funcional como 
livremente móveis (diartroses). 
Essa cavidade articular é formada por uma 
lâmina de cartilagem halina, que em sua 
matriz possui CONDRÓCITOS e recobre as 
faces articulares dos ossos com uma 
superfície escorregadia e lisa, mas não une os 
ossos. E além de auxiliar no movimento, ela é 
de suma importância para absorver impactos 
e evitar atritos. 
 
o Cápsula/ Cavidade Articular: 
Essa capsula envolve a articulação como 
uma luva, com o objetivo de unir os ossos 
componentes, ela possui 2 camadas: 
 
Membrana Fibrosa externa; tecido 
conjuntivo denso não modelado (na maioria 
fibras de colágeno) que se fixa ao periósteo 
dos ossos da articulação. De fato, a 
membrana fibrosa é, literalmente, uma 
continuação mais espessa do periósteo entre 
os ossos, é muito flexível, resiste bem à tração 
e seus feixes paralelos formam os ligamentos 
que reforçam a união dos ossos. 
 
Membrana sinovial interna; é composta de 
tecido conjuntivo areolar com fibras elásticas, 
possui sinoviócitos que produzem o liquido 
sinovial. Em muitas articulações sinoviais, essa 
membrana possui acúmulos de tecido adiposo, 
chamados de corpos adiposos articulares. O 
corpo adiposo infrapatelar presente no joelho 
é um exemplo. 
 
OBS! Uma pessoa com extrema flexibilidade 
corporal (duplamente articulado), na realidade, 
não possui articulações extras. Eles possuem 
maior flexibilidade nas cápsulas articulares e 
ligamentos; o aumento resultante na amplitude 
de movimento permite ações como encostar o 
polegar no punho e colocar os tornozelos ou 
cotovelos atrás da cabeça. 
o Líquido sinovial 
A membrana sinovial secreta o líquido 
sinovial, um líquido viscoso, claro ou amarelo-
claro, assim nomeado por sua similaridade em 
aparência e consistência com a clara do ovo. 
O líquido sinovial é composto por ácido 
hialurônico secretado por células sinoviais e 
líquido intersticial filtrado do plasma 
sanguíneo. Suas funções incluem redução do 
atrito pela lubrificação da articulação, 
absorção de impactos, fornecimento de 
oxigênio e nutrientes e remoção de dióxido 
de carbono e resíduos metabólicos dos 
condrócitos dentro da cartilagem articular. 
 O líquido sinovial também contém células 
fagocíticas que removem micróbios e resíduos 
resultantes do uso e desgaste da articulação. 
Contém poucas células, principalmente 
CONDRÓCITOS e SINOVIÓCITOS, que se 
completam e se produzem pela produção de 
fatores inflamatórios (tipo A= macrófagos/ 
tipo B= fibroblastos), transferidos da 
cartilagem e da sinovial e também alguns 
leucócitos migrados. 
A formação do líquido sinovial está 
equilibrada com a sua remoção, através do 
Sistema Linfático Sinovial. 
 
 
OBS! Um dos benefícios do aquecimento antes da 
prática de exercícios é a estimulação da produção e 
secreção de líquido sinovial; mais líquido quer dizer 
menos estresse nas articulações durante a prática de 
exercícios. 
 
OBS! Quando ouvimos “estalos” ao mexer as 
articulações e flexionar ou esticar membros, a resposta 
é que no líquido sinovial devido a pressão e a as 
cavidades há a formação de bolhas, que são estouradas 
devido ao movimento do líquido, causando o barulho. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
o Ligamentos acessórios; 
Eles podem ser chamados também de 
ligamentos extracapsulares e intracapsulares. 
 Os ligamentos extracapsulares