A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Aula2_DIPublico_fontes

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO INTERNACIONAL
Direito Internacional Público
Aula 2
“FONTES DO DIREITO 
INTERNACIONAL PÚBLICO”
Prof. Dirceu Pereira Siqueira
E-mail: dpsiqueira@uol.com.br / Facebook: Dirceu Siqueira 2021
mailto:dpsiqueira@uol.com.br
FONTES - NOÇÕES GERAIS
O Direito Internacional Público pode ser
definido como a disciplina JURÍDICA da
sociedade internacional. É o conjunto de
princípios e regras, costumeiras ou
positivas, que disciplina e rege os
Estados, Organizações Internacionais e
indivíduos.
FONTES - CLASSIFICAÇÃO
MATERIAIS / FORMAIS
Materiais – ATOS ou FATOS –
Necessidades Sociais para criação de
REGRAS DO DIREITO
Formais – Lugares onde NASCEM as
normas jurídicas – Ex. Tratados / Costumes
FONTES – ROL (art. 38 do Estatuto – CIJ)
 a) Tratados Internacionais
 b) Costumes Internacionais
 c) Princípio Gerais de Direito
 d) Doutrina e Jurisprudência
Internacionais
FONTES – ROL (art. 38 do Estatuto – CIJ)
Questões:
 1. O Rol do Artigo 38 do Estatuto da Corte
Internacional de Justiça, é um rol “taxativo
ou meramente exemplificativo”
Resposta – Rol Exemplificativo – tanto o é
que temos a existência de novas fontes
atualmente.
FONTES – ROL (art. 38 do Estatuto – CIJ)
Questões:
 2. Existe hierarquia entre as fontes do
artigo 38 do Estatuto da Corte?
Resposta – Não! Trata-se de uma escolha
normativa tão somente
FONTES – ROL (art. 38 do Estatuto – CIJ)
Questões:
 3. Uma fonte pode revogar outra? Se sim,
por qual razão?
Resposta – Sim! Pelo critério cronológico, pois
não há hierarquia entre elas.
FONTES – ROL (CLASSIFICAÇÃO)
 As fontes estão classificadas da seguinte
forma:
A) FONTES PRIMÁRIAS
B) FONTES SECUNDÁRIAS
FONTES “PRIMÁRIAS”
 São as seguintes:
A) TRATADOS INTERNACIONAIS
B) COSTUMES INTERNACIONAIS
C) PRINCÍPIOS GERAIS DE DIREITO
FONTES “PRIMÁRIAS”
 TRATADOS INTERNACIONAIS
“Tratado é um acordo internacional concluído
por escrito entre Estados ou entre Estados e
Organizações internacionais, regido pelo
Direito Internacional, quer conste de um
instrumento único, quer conste de dois ou
mais instrumentos conexos, qualquer que
seja sua denominação específica” (VARELLA,
Marcelo D. Direito internacional público. São Paulo: Saraiva, 2019, p. 17)
FONTES “PRIMÁRIAS”
COSTUME INTERNACIONAL
“prática geral aceita como sendo o direito”
(art. 38, §1º, alínea b, do ECIJ)
“quando os Estados adquirem o hábito de
adotar, no que tange a uma certa situação, e
sempre que a mesma se repita, uma atividade
determinada, à qual se atribui significado
jurídico” (VIRALLY, Michel. Manual de derecho internacional público. Max
Sorensen, 1983, p. 33)
FONTES “PRIMÁRIAS”
COSTUME INTERNACIONAL
Até pouco tempo, era a principal fonte do
direito internacional. O costume é uma
repetição de atos num mesmo sentido, durante
longo período de tempo. É a prática aceita
pelos Estados como sendo o direito. Quem
alega o costume deve prova-lo.
FONTES “PRIMÁRIAS”
 COSTUME INTERNACIONAL
Deve reunir DOIS elementos:
◼ 1. MATERIAL – “PRÁTICA GERAL DOS ESTADOS – PRÁTICA
GENERALIZADA – PRECEDENTES
◼ 2. SUBJETIVO (PSICOLÓGICO) – ACEITA COMO DIREITO
◼ a) Crença sobre a obrigatoriedade da prática
◼ b) Ser jurídico
◼ C) Pertencer ao Direito
◼ OBS – SE TIVER APENAS O “ELEMENTO MATERIAL” SERÁ
MERO USO OU HÁBITO!!!
FONTES “PRIMÁRIAS”
 COSTUME INTERNACIONAL
Deve reunir DOIS elementos:
◼ 1. MATERIAL – “PRÁTICA GERAL DOS ESTADOS – PRÁTICA
GENERALIZADA – PRECEDENTES
◼ 2. SUBJETIVO (PSICOLÓGICO) – ACEITA COMO DIREITO
◼ a) Crença sobre a obrigatoriedade da prática
◼ b) Ser jurídico
◼ C) Pertencer ao Direito
FONTES “PRIMÁRIAS”
 COSTUME INTERNACIONAL
Questões:
1. O costume internacional pode ser
REGIONALIZADO?
◼SIM – EX. ASILO DIPLOMÁTICO (costume latino
americano) – é o ato de um Estado em receber
uma pessoa estrangeira perseguida em seu país
FONTES “PRIMÁRIAS”
 COSTUME INTERNACIONAL
Questões:
2. NOVOS ESTADOS, estão obrigados a
praticar costumes internacionais para os quais
não tenham contribuído na formação?
◼SIM, conforme doutrina majoritária (Americana)
FONTES “PRIMÁRIAS”
 PRINCÍPIOS GERAIS DE DIREITO
São aqueles reconhecidos pela Nação!
◼Ex. Boa fé; pacta sund servanda etc.
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
 São as seguintes:
A) DOUTRINA E JURISPRUDÊNCIA
B) ATOS UNILATERAIS DOS ESTADOS (novas fontes)
C) DECISÕES DE ORG´s (novas fontes)
D) IUS COGENS (novas fontes)
 E) SOFT LAW (novas fontes)
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
DOUTRINA E JURISPRUDÊNCIA :
Conforme o art. 38 do ECIJ – serão
consideradas as doutrinas dos juristas MAIS
QUALIFICADOS das distintas nações
◼*** Atualmente – consideram-se todas as
DOUTRINAS!
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
ATOS UNILATERAIS:
“São todos os atos que geram
direito à parte contrária”
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
DECISÕES DA ORG´s:
“São aquelas decisões, tomadas
pelas Organizações Internacionais
– de modo democrático pelos seus
membros e que geram
responsabilidades aos Estados”
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
 IUS COGENS (C.V./69 – arts 53 e 64):
“não são tratados, trata-se de um
direito flexível mas, materialmente
cogente” – exemplo: DECLARAÇÃO
UNIVERSAL DOS DIREITO
HUMANOS”
FONTES “SECUNDÁRIAS” 
(MEIOS AUXILIARES)
SOFT LAW (ainda há dúvidas se é ou
não fonte):
“É o direito flexível – compromissos dos
Estado em prol de um bem comum”
◼Exemplo: AGENDA 21 – compromisso
dos estados em defender o meio
ambiente.
Referência bibliográficas
 VARELLA, Marcelo D. Direito internacional público. São
Paulo: Saraiva, 2019.
 REZEK, José Francisco. Direito internacional público: curso
elementar. 8º ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2000.
 ACCIOLY, Hildebrando; SILVA, G. E. do Nascimento;
CASELLA, Paulo Borba. Manual de direito internacional
público. 17ª ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
 MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Curso de direito
internacional público. 4ª ed. rev., atual. e ampl. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 2010.