A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Anatomia do Coração

Pré-visualização | Página 1 de 3

ANATOMIA: CORAÇÃO 
1 
 
Tórax 
 A cavidade torácica tem o formato de um cone 
truncado. A caixa torácica é formada pelas costelas e 
cartilagens costais, também é sustentada pelo esterno, 
que é vertical, e pelas vértebras torácicas. 
 O tórax é dividido em 3 espaços principais: o 
compartimento central (mediastino), que aloja as 
vísceras torácicas (exceto pulmões), e as cavidades 
pulmonares direita e esquerda. A maior parte 
da cavidade torácica é ocupada pelo coração e pelas 
estruturas associadas à condução do ar e do sangue que 
entram e saem dos pulmões. 
 
Mediastino 
 É um compartimento central da cavidade 
torácica, que contêm todas as vísceras e estruturas 
torácicas, exceto o pulmão. É coberto de cada lado 
pela parte mediastinal da pleura parietal. 
 O mediastino estende-se da abertura superior 
do tórax até o diafragma inferiormente e do esterno, 
bem como cartilagens costais anteriormente até os 
corpos das vértebras torácicas posteriormente. Trata-se 
de uma cavidade flexível e com elasticidade, a fim de 
acomodar o movimento do coração e acomodar das 
alterações de pressão e volume na cavidade torácica. O 
mediastino é formado por um tecido conjuntivo frouxo 
e com tecido gorduroso 
 O mediastino superior estende-se 
inferiormente da abertura superior do tórax até o 
plano horizontal, que inclui o ângulo do esterno 
anteriormente e atravessa aproximadamente a junção 
(disco IV) das vértebras T IV e T V posteriormente, 
em geral denominado plano transverso do tórax. O 
mediastino inferior — situado entre o plano 
transverso do tórax e o diafragma — é subdividido, 
ainda, pelo pericárdio, em partes anterior, média e 
posterior. O pericárdio e o seu conteúdo (o coração e as 
raízes de seus grandes vasos) constituem o mediastino 
médio. 
 
Pericárdio 
 Trata-se de uma membrana fibrosserosa que cobre 
o coração e o início dos seus grandes vasos. Ele é 
formado por duas camadas: 
• Pericárdio fibroso: camada externa resistente, que 
estabiliza o coração e ajuda a evitar a dilatação 
excessiva (inflexibilidade); é contínuo com o centro 
tendíneo do diafragma (possível pelo ligamento 
pericardicofrênico); a sua face interna é revestida 
por uma membrana serosa, a lâmina parietal do 
pericárdio seroso. O pericárdio fibroso é ligado à 
face posterior do esterno pelos ligamentos 
esternopericárdicos 
• Pericárdio seroso: composto por 2 mesotélios 
- única camada de células achatadas - que 
formam dois epitélios de revestimento, os quais 
fazem contato com o pericárdio fibroso (lâmina 
parietal do pericárdio seroso) e com o coração 
(lâmina visceral do pericárdio seroso). 
 O pericárdio é influenciado por movimentos 
do coração e dos grandes vasos, do esterno e do 
diafragma. O coração e o saco pericárdico estão 
situados obliquamente, cerca de dois terços à 
esquerda e um terço à direita do plano mediano. 
 A cavidade do pericárdio é um espaço virtual entre 
as duas lâminas do pericárdio seroso, onde contém uma 
fina película de líquido que permite ao coração se 
movimentar e bater sem atrito, além de proteger o 
coração de impactos mecânicos. 
 A lâmina visceral do pericárdio seroso forma o 
epicárdio, a mais externa das 3 camadas da parede 
cardíaca. Ela estende-se sobre o início dos grandes 
vasos e torna-se contínuo com a lâmina parietal do 
pericárdio seroso (reflexão da lâmina visceral), no local 
onde a aorta, o tronco pulmonar, a veia cava superior 
(VCS), a VCI e as veias pulmonares passam pelo 
coração. 
 O seio transverso do pericárdio é uma 
passagem transversal dentro da cavidade pericárdica 
entre a aorta e as veias cavas, bem como as reflexões 
do pericárdio seroso ao seu redor. 
 O seio oblíquo do pericárdio é uma bolsa larga 
limitado lateralmente pelas reflexões pericárdicas que 
circundam as veias pulmonares e a VCI, e 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
2 
 
posteriormente pelo pericárdio que cobre a face 
anterior do esôfago. 
A irrigação 
arterial do 
pericárdio 
provém 
principalmente 
de um ramo fino 
da artéria 
torácica interna, 
a artéria 
pericardicofrênica. A drenagem venosa do pericárdio é 
feita por veias pericardicofrênicas. 
 
OBS! Graças aos ligamento descritos no pericárdio 
fibroso, o coração está relativamente preso no lugar. 
OBS! Seio = cavidade 
OBS! Reflexões = limites ou partes de uma estrutura 
 
Importância do seio transverso do pericárdio 
 O STP é utilizado em cirurgias cardíacas para 
introduzir um clampe cirúrgico ou posicionar uma 
ligadura ao redor dos grande vasos que passam por esse 
canal; insere-se os tubos de um aparelho de circulação 
extracorpórea e, depois, fecha a ligadura, para 
interromper ou desviar a circulação de sangue nessas 
artérias durante cirurgia cardíaca. 
 
Pericardite 
 Trata-se de uma condição, na qual, ocorre uma 
inflamação do pericárdio, que causa dor torácica. A 
inflamação crônica e o espessamento do pericárdio 
podem levar à calcificação, comprometendo muito a 
eficiência cardíaca. 
 
Tamponamento cardíaco 
 Trata-se de uma condição em que ocorre derrame 
pericárdico significativo (entrada de líquido dentro do 
pericárdio), em que o volume reduzido do saco não 
permite a expansão total do coração e limita a 
quantidade de sangue que o órgão pode receber, o que, 
por sua vez, diminui o débito cardíaco. 
 
Anatomia do Coração 
Coração 
 Trata-se de uma bomba dupla, autoajustável, de 
sucção e pressão, cujas partes trabalham em conjunto 
para impulsionar o sangue para todos os locais do 
corpo. 
 O lado direito do coração (coração direito) recebe 
sangue pouco oxigenado (venoso) do corpo pelas VCS 
e VCI, bombeando-o através do tronco e das artérias 
pulmonares para ser oxigenado nos pulmões. O lado 
esquerdo do coração (coração esquerdo) recebe sangue 
bem oxigenado (arterial) dos pulmões através das veias 
pulmonares e o bombeia para a aorta, de onde é 
distribuído para o corpo. 
 O coração tem quatro câmaras: átrios direito e 
esquerdo e ventrículos direito e esquerdo. Os átrios são 
câmaras de recepção que bombeiam sangue para os 
ventrículos (as câmaras de ejeção). As ações de 
coordenadas atrioventriculares (AV) constituem o 
ciclo cardíaco, que começa com a diástole 
(alongamento e enchimento ventricular) e termina com 
a sístole (esvaziamento ventricular). 
 
 
 
 
 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
3 
 
Parede cardíaca 
 A parede cardíaca é formada por 3 camadas: 
• Endocárdio: fina camada mais interna (endotélio e 
tecido conectivo subendotelial) ou membrana de 
revestimento do coração que também cobre suas 
valvas. 
• Miocárdio: camada intermediária helicoidal e 
espessa, formada por músculo cardíaco. 
• Epicárdio: camada externa fina (mesotélio) formada 
pela lâmina visceral do pericárdio seroso 
 As parede são formadas principalmente por 
miocárdio espesso, sobretudo nos ventrículos. A 
contração nesses locais é feita por “torção”, criada 
devido a orientação helicoidal dupla das fibras 
musculares cardíacas 
 
Esqueleto fibroso do coração 
 As fibras musculares cardíacas estão fixadas ao 
esqueleto fibroso do coração. Essa é uma estrutura 
complexa de colágeno denso que forma quatro anéis 
fibrosos que circundam os óstios das valvas, um 
trígono fibroso direito e outro esquerdo (formados por 
conexões entre os anéis), e as partes membranáceas dos 
septos interatrial e interventricular (separa átrios D e E, 
bem como ventrículos D e E). 
 
 As funções do esqueleto fibroso são de: 
• Manter os óstios (abertura) das valvas AV e artérias 
permeáveis e impede que sejam excessivamente 
distendidos por um aumento do volume de sangue 
bombeado através deles 
• Oferecer fixação para as válvulas das valvas 
• Oferecer fixação para o miocárdio 
• Forma um “isolante” elétrico, separando os 
impulsos conduzidos mioentericamente dos átrios e 
ventrículos, de forma que a contração dessas 
câmaras seja independente, e circundando e dando 
passagem à parte