A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Tecido Adiposo (Cap. 6 - Junqueira e Carneiro 13ª ed.)

Pré-visualização | Página 1 de 2

Eduarda Lima (UFCA – T31) 
 
Tecido Adiposo 
- Tipo essencial de tecido conjuntivo, no qual predominam 
células adiposas (adipócitos); 
- Podem ser encontradas isoladas ou em pequenos 
grupos no tecido conjuntivo frouxo, porém, a maioria 
forma grandes agregados, constituindo o tecido adiposo 
distribuído pelo corpo; 
- Depende muito da faixa etária e do peso; 
- Nesse tecido estão depositadas moléculas de 
triglicerídeos (triacilgliceróis/TAG), também chamada de 
gordura neutra. São apolares, hidrofóbicas e insolúveis 
em água; 
- Também tem reservas energéticas em forma de 
glicogênio, mas são depósitos menores; sendo os grandes 
depósitos de TAG as principais reservas de energia do 
organismo; 
- Os TAGs se renovam continuamente e o tecido é muito 
influenciado por estímulos nervosos e hormonais; 
- Há duas variedades de tecido adiposo, que apresentam 
distribuição, estrutura, fisiologia e patologia diferentes: 
 
Tecido Adiposo Unilocular 
- Unilocular, comum ou amarelo; 
- Varia entre o branco e o amarelo-escuro, dependendo 
da dieta ingerida; 
- A coloração deve-se principalmente ao acúmulo de 
carotenos dissolvidos nas gotículas de gordura; 
- Praticamente todo o tecido adiposo encontrado em 
humanos adultos é desse tipo; 
- Seu acúmulo em alguns locais é influenciado pelo sexo, 
constituição genética e idade; 
- Quando as células estão completamente desenvolvidas, 
contêm apenas uma grande gotícula de gordura ocupando 
quase todo o citoplasma; 
 Funções 
 
 Reserva energética; 
 Panículo adiposo, localizado sob a pele, modela a 
superfície corporal (Com a idade, o panículo adiposo 
tende a desaparecer de algumas áreas e 
desenvolve-se em outras); 
 Forma coxins absorventes de choques mecânicos 
(principalmente na planta e palma de pés e mãos); 
 Isolamento térmico do corpo, já que as gorduras são 
más condutoras de calor; 
 Preenche espaços entre outros tecidos e ajuda a 
manter alguns órgãos em posição normal; 
 Atividade secretora, sintetizando e secretando 
diversos tipos de fatores e hormônios 
 
 Células adiposas uniloculares 
- Grandes, esféricas (quando isoladas) ou poliédricas 
(quando se reúnem formando o tecido); 
- Sua gotícula lipídica única é removida pelos solventes 
orgânicos na técnica histológica; 
- Por isso, no corte rotineiros, cada células mostra 
apenas uma delgada camada de citoplasma na periferia 
da célula; 
- Todas as gotículas independentemente do tamanho, são 
desprovidas de membrana envolvente; 
- Portanto, as gotas de gordura se encontram no citosol 
da célula; 
- A vascularização do tecido é abundante quando se 
considera a quantidade pequena de citoplasma ativo; 
Eduarda Lima (UFCA – T31) 
 
- A relação volume de capilar sanguíneo/volume de 
citoplasma é maior no tecido adiposo que no músculo 
estriado, por exemplo; 
- O tecido apresenta septos de tecido conjuntivo 
propriamente dito, que contêm os vasos e nervos; 
- Desses septos partem delgadas fibras reticulares que 
sustentam as células adiposas individualmente. 
 
 Deposição e mobilização dos lipídios 
- Os depósitos de TAG do organismo são dinâmicos, sendo 
removidos e acrescentados constantemente; 
- Em caso de necessidade energética, a retirada dos 
lipídios não se faz por igual em todos os locais; 
- São mobilizados os depósitos subcutâneos (hipoderme) 
do mesentério e os retroperitoneais, enquanto o tecido 
adiposo localizado nos coxins das mãos e pés, assim como 
no fundo das órbitas dos olhos, resiste a longos períodos 
de desnutrição; 
- Os triglicerídeos armazenados nas gotículas de lipídios 
originam-se de diferentes maneiras: 
 Absorvidos da alimentação e levados até as 
células adiposas pela circulação sanguínea na 
forma de TAGs, formando as partículas dos 
quilomícrons (formados pelas cél. epiteliais do int. 
delgado a partir de nutrientes absorvidos – 90% 
TAGs, e pequenas quant. de colesterol, 
fosfolipídios e proteínas); 
 Oriundos do fígado e transportados pela 
circulação até o tecido adiposo, sob a forma de 
TAGs constituintes das VLDL; 
 Formados pela síntese nas próprias células 
adiposas a partir da glicose (lipogênese). 
- No interior dos capilares sanguíneos do tecido adiposo, 
graças à enzima lipase lipoproteica, produzida pelas 
células adiposas, ocorre a hidrólise dos triglicerídeos dos 
quilomícrons e também das lipoproteínas (VLDL) 
plasmáticas; 
- Seus componentes, ácidos graxos e glicerol, são 
liberados e se difundem para o citoplasma das células 
adiposas; 
- No citoplasma dos adipócitos, eles se recombinam para 
formar novas moléculas de triglicerídeos, que são 
depositadas nas gotas lipídicas; 
- Além de receber ácidos graxos pela circulação 
sanguínea, as células adiposas podem sintetizar ácidos 
graxos e glicerol a partir de glicose, processo que é 
acelerado pela insulina; 
- Após longos períodos de alimentação deficiente em 
calorias, o tecido adiposo unilocular perde quase toda a 
sua gordura e se transforma em um tecido com células 
poligonais ou fusiformes, com raras gotículas lipídicas. 
 
 Secreção pelo tecido adiposo 
unilocular 
- É também um órgão secretor; 
- Sintetiza várias moléculas, como a lipase lipoproteica, 
que fica na superfície das células endoteliais dos capilares 
sanguíneos situados em volta dos adipócitos e cliva TAGs 
do plasma; 
- A leptina, hormônio proteico sintetizado pelos adipócitos 
e, em menor proporção, por outras células, e secretado 
na circulação sanguínea. Participa da regulação da 
quantidade de tecido adiposo no corpo e da ingestão de 
alimentos. Atua principalmente no hipotálamo, diminuindo 
a ingestão de alimentos e aumentando o gasto de energia; 
- Outros hormônios secretados são a adiponectina, 
diminui a liberação da glicose pelo fígado, e a resistina, 
com função hiperglicemiante. 
 
 Histogênese do tecido adiposo 
unilocular 
- Originam-se no embrião a partir de células derivadas do 
mesênquima, os lipoblastos. Essas células são 
Eduarda Lima (UFCA – T31) 
 
morfologicamente semelhantes aos fibroblastos, mas 
precocemente acumulam gordura neutra no citoplasma; 
OBS.: Em adultos, a obesidade se deve, geralmente, 
a um aumento na quantidade de triglicerídeos 
depositados em cada adipócito unilocular, sem que 
exista aumento no número de adipócitos. 
 
 
OBS.: Os adipócitos uniloculares com frequência 
originam tumores benignos, os lipomas, geralmente 
encapsulados e removidos cirurgicamente com 
grande facilidade. Os tumores malignos dos 
adipócitos uniloculares, ou lipossarcomas, são 
muito menos frequentes do que os lipomas, porém 
de tratamento muito mais difícil porque facilmente 
formam metástases. 
 
Tecido Adiposo Multilocular 
- Também chamado de pardo; 
- Sua cor característica se deve à vascularização 
abundante e às numerosas mitocôndrias encontradas em 
suas células; 
- Distribuição limitada, diferente do unilocular, que é por 
todo o corpo, localizando-se em áreas determinadas na 
região da cintura escapular e pélvica; 
- Abundante em animais que hibernam; 
- No feto e recém-nascido, esse tecido apresenta 
localização bem definida; 
- Como esse tecido não cresce, sua quantidade no adulto 
é extremamente reduzida; 
- Tamanho menor e forma poligonal; 
- Citoplasma carregado de inúmeras gotículas lipídicas de 
vários tamanhos; 
- As células apresentam um arranjo epitelioide, formando 
massas compactas em associação a muitos capilares 
sanguíneos, assemelhando-se a glândulas endócrinas; 
- Especializado na produção de calor, tendo quantidade 
significativa somente no recém-nascido, auxiliando na 
termorregulação; 
- Nesse tecido, ao contrário do que ocorre em outros, a 
oxidação dos ácidos graxos produz mais calor e pouco 
ATP; 
- O calor aquece o sangue contido na extensa rede capilar 
do tecido multilocular e é distribuído por todo o corpo, 
aquecendo diversos órgãos; 
 
 Histogênese do tecido adiposo 
multilocular 
- As células mesenquimais que o formam tornam-se 
epitelioides, adquirindo um