A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Sistema Tegumentar

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sistema Tegumentar
Termos Importantes 
⇢ Alopecia: perda de pelo 
⇢ Cisto: cavidade cheia de líquido revestida por 
epitélio. 
⇢ Colarinho epidérmico: marca circular de alopecia e 
eritema circundada por borda descamada. 
⇢ Eritema: coloração avermelhada ou rosada da pele, 
devido a vasodilatação, normalmente ocorre devido a 
doenças alérgicas crônicas, agudas e doenças por 
leveduras. 
 
 
⇢ Comedão/Comêdo: folículo piloso obstruído. 
 
 
⇢ Crosta: massa superficial dessecada composta por 
combinações de restos celulares, nem sempre será 
uma resposta positiva. 
 
 
⇢ Escama: acúmulo excessivo de ceratinócitos 
(células superficiais cornificadas). 
⇢ Escara: crosta seca composta de líquidos corporais 
e restos celulares. 
⇢ Escoriação: área de lesão epidérmica resultante de 
auto-traumatismo. 
⇢ Fissura: rachadura profunda na epiderme. 
⇢ Foliculite: inflamação profunda na epiderme. 
 
 
 
 
⇢ Colarinho epidérmico: fragmento da epiderme 
circular que resta aderido à pele após a ruptura de 
vesículas, bolhas ou pústulas. 
 
 
⇢ Gangrena: necrose tecidual grave e 
desprendimento. 
⇢ Hiperqueratose/Hiperceratose: aumento de 
produção de ceratina sem esfoliação normal. 
 
 
⇢ Hipertricose: excesso de pelos. 
⇢ Impetigo: infecção estafilocócica da pele, 
caracterizada por vesículas ou bolhas que se tornam 
pústulas e rompem formando crostas amareladas. 
⇢ Prurido: é a sensação desagradável que manifesta 
no paciente o desejo de se coçar. 
⇢ Pústula: elevação circunscrita das camadas 
superficiais da pele cheia de pus. 
 
 
⇢ Seborréia: formação excessiva de escamas 
(descamação) e oleosidade da pele e dos pelos. 
⇢ Pápula: lesão sólida circunscrita, elevada que pode 
medir até 1 cm de diâmetro. 
 
⇢ Mancha: qualquer alteração na cor da pele com 
mais de 1 cm de diâmetro. 
@vettstudy.g 
 
 
⇢ Mácula: alteração na cor da pele com até 1 cm de 
diâmetro. 
⇢ Vesícula: elevação circunscrita da epiderme, com 
conteúdo líquido claro, turvo ou hemorrágico (frágil e 
transitória) possuindo até 1 cm de diâmetro. 
 
 
⇢ Bolha: elevação circunscrita da epiderme com 
conteúdo líquido, porém possui mais de 1 cm de 
diâmetro. 
⇢ Petéquias: são manchas avermelhadas de tamanho 
pequeno e causadas, por algum tipo de sangramento 
ocorrido na pele do indivíduo. 
 
 
⇢ Equimose: é o extravasamento de sangue dos vasos 
sanguíneos da pele que se rompem. 
 
 
⇢ Liquenificação: pele espessa e mais endurecida 
conhecida também como pele de elefante. 
 
 
 
 
⇢ Hiperpigmentação: causada por um aumento da 
melanina na pele. 
 
⇢ Despigmentação/Hipocromia: perda de 
pigmentação normal da pele. 
 
⇢ Calos/Escaras de Decúbito: são lesões de pele, que 
consistem em calos de apoio e resultam do 
espessamento da pele na região dos cotovelos e 
calcanhares. 
 
 
⇢ Descamação/Disqueratinização: acontece quando 
as camadas mais superficiais são eliminadas. 
 
 
Exame Clínico 
Anamnese 
Perguntas iniciais 
⇢ Localização geográfica, estação do ano e ambiente 
⇢ Prurido - quantas vezes ao dia, se coça, regiões e 
lambedura 
⇢ Doença cutânea prévia 
⇢ Terapia prévia e atual 
⇢ Dieta 
⇢ Outros sinais de enfermidade 
⇢ Outros animais ou pessoas acometidas 
Perguntas Específicas - Fichas Dermatológicas 
⇢ Qual idade que o animal foi adquirido? Onde foi 
adquirido? 
⇢ Ingeriu colostro? Histórico familiar? 
⇢ O tutor viajou com o animal? 
⇢ Quando o problema iniciou? Surgiram outras 
lesões? Houve disseminação para outras regiões do 
corpo? 
@vettstudy.g 
⇢ O problema é sazonal ou perene? 
⇢ O animal toma banhos com qual frequência e quais 
os produtos utilizados? 
⇢ Pulgas e carrapatos? É desverminado (produto e 
frequência), vacinado (produto e frequência). 
⇢ Fica maior período dentro ou fora de casa? 
⇢ Tem acesso à rua, quintal, jardins, campos, 
chácaras, fazendas, lagos, piscinas, etc? 
⇢ Qual é o período de exposição ao sol, o animal é 
exposto à chuva? 
⇢ O animal dorme dentro ou fora da casa do tutor? O 
animal possui “casinha própria”? 
Queixas comuns 
⇢ Prurido 
⇢ Alopecia 
⇢ Odor 
⇢ Atentar: idade, sexo e raça 
Avaliação de prurido 
⇢ Prurido intenso e contínuo: o prurido não cessa 
independente do que esteja acontecendo ao redor, 
até mesmo na hora da consulta. 
⇢ Prurido intenso: com episódios prolongados, pode 
ocorrer à noite. O animal pode interromper atividades 
como comer e brincar para se coçar. 
⇢ Prurido moderado: episódios intermitentes de 
coceira. Pode ocorrer à noite. O animal não 
interrompe atividades. 
⇢ Prurido discreto: o animal não se coça quando está 
dormindo, comendo ou brincando. 
⇢ Prurido bastante discreto: episódios causais, 
prurido mais intenso do que antes de ter iniciado o 
problema dermatológico. 
⇢ Animal normal: o prurido não é visto como um 
problema. 
Classificação das Lesões Cutâneas 
As lesões de pele podem ser classificadas quanto a 
distribuição, configuração, topografia, profundidade e 
morfologia, essa última denominada lesões 
elementares. Essas alterações devem ser anotadas em 
um quadro esquemático na ficha clínica. 
 
Exames Complementares 
⇢ Raspado Cutâneo/Parasitológico: utilizada para 
identificação de parasitas dos gêneros: Demodex, 
Sarcoptes, Psoroptes, Notoedres e Cheyletiella. Utiliza 
os seguintes materiais: lâmina de vidro, lâmina de 
bisturi, lamínula, potassa a 10% ou óleo mineral e 
microscópio óptico. O raspado pode ser realizado em 
lesão representativa do caso. 
 
 
⇢ Exame Parasitológico de Secreção Otológica/Ótica: 
deve ser realizado com um auxílio de um swab ou 
pinça com algodão e permite a identificação do 
parasita Otodectes cynotis. 
 
 
⇢ Luz/Lâmpada de Wood: possui um arco de 
mercúrio que emite radiação ultravioleta com um 
vidro associado a essa lupa que permite a passagem 
de radiações 340 a 450 nm. Empregado em 
diagnósticos das dermatofitoses. 
 
 
⇢ Fita adesiva: tem como indicação para busca de 
ectoparasitas e seus ovos. A fita deve ser colada e 
descolada em várias regiões do corpo do animal e 
posteriormente sobre a lâmina. O material deve ser 
levado para o microscópio óptico e deve ser analisada 
a presença ou não de ectoparasitas. 
 
 
⇢ Citologia: fornece rápidos resultados, importantes 
na orientação do diagnóstico ou, muitas vezes, 
capazes de determinar o diagnóstico definitivo de 
@vettstudy.g 
diferentes enfermidades. Os materiais necessários 
são: seringa, agulhas, lâmina de vidro, swab, corantes 
e microscópio óptico. O método de coleta depende da 
lesão a ser examinada, a coloração mais utilizada no 
exame citológico é o Diff-Quick ou panótico rápido, 
que permite que o exame seja coletado, analisado e 
corado em poucos minutos. 
 
 
Dermatopatias - Associadas ou Não a Doenças 
Primárias 
⇢ Sarna Demodécica/Demodiciose: causada pelo 
ácaro Demodex canis. Os sinais clínicos são infecções 
de pele e otites, gânglios aumentados, perda de peso 
e febre. 
 
 
⇢ Sarna Otodécica: para diagnosticar a ocorrência 
do parasito, pode-se fazer uso da otoscopia, que 
pode permitir a visualização do parasita, avaliar o 
grau de inflamação no interior dos condutos 
auditivos, a coloração e a quantia do exsudato. 
Também pode-se realizar a citologia na qual, 
ocasionalmente, é possível visualizar os parasitas 
a olho nu (aparentando pequenas figuras brancas 
que se locomovem no exsudato) ou ainda 
mediante avaliação em microscópio. 
 
 
⇢ Hiperadrenocorticismo/Síndrome de Cushing: é o 
resultado do funcionamento anormal das glândulas 
hipófise ou adrenais, tratando-se de um aumento da 
quantidade de corticoide no organismo do animal, 
que desencadeia o hipermetabolismo de lipídeos, 
carboidratos e proteínas. Os sintomas são: sede 
excessiva e aumento do volume da urina, ganho de 
peso, com aumento da região abdominal, pele mais 
fina, mudança na coloração da pele de rosada para 
acinzentada, presença de vasos aparentes, perda de 
pelos, fraqueza, irritabilidade ou agitação, atrofia 
muscular e alteração no ciclo reprodutivo das fêmeas. 
 
 
⇢ Hiperestrogenismo: