A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Aula Micro- Cocos gram +

Pré-visualização | Página 1 de 3

AULA MICROBIOLOGIA: COCOS GRAM POSITIVOS
STAPHYLOCOCCUS: 
 Características gerais:
- São cocos gram positivos: arredondados e coradas em roxa; organização semelhante a cachos de uva;
- Anaeróbios facultativos;
- Não possuem flagelo movimentação mis difícil;
- Enorme variedade de espécies: 
· -S. aureus: são as mais comuns e patogênicas; causam infecções simples ou graves, que podem levar até a morte;
· S. epidermidis: infecções na epiderme;
· S. haemolyticus: infecções nosocomiais (infecções hospitalares); ligado a infecções de cateter; 
· S. saprophyticus: organismo que vive em material em decomposição; grande causador de infecções no trato urinário;
- São ubíquias: presentes por toda parte (água, terra, queijo, leites, ovos...);
- Colonizam a pele dos seres humanos: narinas, axilas, região inguinal e períneo; nesse caso fazem parte da microbiota normal, mas pode gerar problemas para profissionais de saúde que podem acabar contaminando algum paciente imunossuprimido; se ocorrer um desequilíbrio essas bactérias podem acabar causando algum problema para você;
- São resistentes a diversos tipos de condições adversas ressecamento e calor;
- São sensíveis à clorexidina/”metiolate”;
- São cultivadas em ágar sangue (gelatina com sangue de animais onde as bactérias podem crescer);
- Fontes de contaminação: Humanos, superfícies e objetos contaminados (fômites), alimentos;
- Infecção: cortes, picadas de inseto, queimaduras, higiene precária;
- Favorecem a infecção: uso de drogas injetáveis (fator de risco para diversas doenças infecciosas), diabetes mellitus (maior tendência à formação de úlcera nas extremidades do corpo) e doença renal crônica (hemodiálise+agulha; imunodepressão);
 Enzimas:
- Catalase positivos (convertem peroxido de hidrogênio/água oxigenada (produto do metabolismo celular; é toxico) em água e O2; a catalase é encontrada nos peroxissomos nos eucariontes; não é tão virulenta, sua importância é para o diagnóstico (strepetococcus são catalase negativos e causam doenças semelhantes);
- São piogênicas suas infecções provocam muito pus;
- Coagulase positivos: converte fibrinogênio em fibrina sem a necessidade de um processo de coagulação ocorrer; gera um gatilho falso: forma um coagulo sobre a bactéria, que facilita a adesão entre as bactérias e faz com que a bactéria passe despercebida para o nosso sistema imune, já que esse coagulo é feito com o nosso material; nem todos os staphylococcus produzem coagulase, por isso são divididos em:
· Coagulases positivos: S.aureus 
· Coagulase negativos: S.epidermidis, S. haemolyticus, S. saprophyticus
- Lipase: hidrolisa lipídeos, facilitando a invasão de tecidos que possuem lipídeos;
- Hialuronidase: hidrolisa ácido hialurônico; é um importante componente do tecido conjuntivo, quando ele é destruído fica mais fácil para a bactéria invadir a matriz extracelular do tecido;
- Nuclease: hidrolisa DNA;
- Proteases: degradam vários tipos de proteínas;
- Penincilinases: maior resistência a penincilinas;
- Fibrinolisina ou estafilocinase: dissolução de coágulos; é exclusiva do S. aureus;
 Toxinas:
- Citotoxinas;
- Enterotoxinas: super-antígeno; provocam resposta muito intensa do sistema imune, pode ser perigoso e gerar choque hipovolêmico; são diversas enterotoxinas descritas de A-X; a enterotoxina A contamina comidas, gerando um quadro intenso de gastroenterite; 
- Toxinas alfa, beta e delta (mais responsáveis pela destruição celular; a alfa é especificamente ruim para o musculo cardíaco, pois causa um desbalanço de íons, provocando uma arritmia; além disso, a alfa é um grande mediador de dano tecidual; a beta hidrolisa a membrana celular); alfa e beta são exclusivas do S. aureus 
- Toxina gama e leucocidina: provocam poros na membrana celular e podem ter atividade hemolítica;
- Exfoliatinas (ETA e ETB): destruição entre as ligações das células da camada granulosa da epiderme; ETA é super antígeno;
- TSST-1/ Toxina relacionada à síndrome do choque toxico: super antígeno; é a mais perigosa; causa resposta imune super intensa no sangue-> resposta sistêmica mais grave e intensa; S.aureus- produz em 90% dos casos;
 Fatores de Virulência:
- Cápsula bacteriana: inibe quimiotaxia e fagocitose;
- Biofilme: aderência e movimentação da bactéria;
- Peptidoglicano: promove uma estabilidade osmótica da bactéria; mais peptidoglicano, maior virulência e maior atração de leucócitos para o local, o que promove um acumulo de células do sistema imune e a formação de abcesso;
- Proteína A: inibe a resposta imune mediada pelos Ig;
- Ácido teicoico: ajuda as bactérias a ancorarem na fibronectina (é uma proteína da matriz extracelular; bactéria vai ter substancias de superfície que a ajudam a se grudar dentro da célula);
 S. aureus: 
- Coagulase positiva;
- Causam diversas doenças: 
a) doenças mediadas por toxinas: nem sempre a bactéria está presente, mas sim as toxinas; síndrome da pele escaldada, intoxicação alimentar, síndrome do choque toxico;
· Síndrome da pele escaldada/ doença de Ritter em neonatos: o paciente começa com um eritema perioral/ vermelhidão que se espalha em 2 dias, sua pele começa a desgrudar (sinal de Nikolsky); causada pelas toxinas esfoliatinas A e B; formação de bolhas e descamação sem bactéria e célula imunológica, pois o que está presente é a toxina; depois de 7 a 10 dias a pele volta ao normal e não ocorre a formação de cicatrizes, pois isso ocorre na camada mais superficial da pele; afeta mais neonatos e crianças pequenas, pois são imunodeprimidos; podem causar a morte quando associadas a infecções secundarias; impetigo bolhoso: forma localizada da doença com a presença da bactéria no local;
· Intoxicação alimentar estafilocócica: comida contaminada por bactérias; a toxina é termorresistente; ocorre quando a bactéria é mantida em temperatura ambiente e produz suas toxinas; período de incubação é curto (+/- 4 horas) e os sintomas acabam depois de 24 horas (toxina já foi eliminada pelo corpo); vômitos e diarreias intensas; as fezes não são sanguinolentas; tratamento é feito por remédios ( não pode dar remédios para cortar diarreia, pois ela está promovendo a eliminação da toxina) e suporte à hidratação; algumas cepas do s. aureus podem causar enterocolite com formação purulenta;
· Síndrome do choque toxico: causada por um super-antígeno; pode estar relacionada ao uso de OB contaminado e que pelo sangue promove o cultivo da bactéria; toxina TSST-1; forma mais virulenta: púrpura fulminans- paciente possui coagulação intravascular disseminada;
b) doenças supurativas: a bactéria está presente e causa a doença diretamente; doenças de pele (impetigo, foliculite, furúnculo e carbúnculo) e doenças em órgãos mais nobres do nosso corpo (endocardite, pneumonia e empiema, osteomielite e artrite séptica);
· Impetigo: afeta as camadas mais superficiais da pele; classificado em bolhoso e não bolhoso; predisposição: trauma, queimadura, má higiene, deficiências dietéticas e picadas de insetos; mais comum em crianças; prevenção: limpeza adequada de feridas, evitar contato com contaminados e higienização das mãos; tratamento: antibióticos tópicos/ pomadas;
· Foliculite: infecção de folículos pilosos e formação de pápula eritematosa; pode ser tratada com antibiótico tópico; 
· Furúnculo: união de folículos infectados; muito doloroso; normalmente acompanhado de linfonodomegalia; tratamento: antibiótico oral e drenagem cirúrgica quando necessário;
· Carbúnculo: união de furúnculos; MUITO doloroso; pode ser acompanhado de linfonodomegalia; associado a febre e calafrios; tratamento: antibiótico oral e drenagem cirúrgica quando necessário;
· Outros: infecção de feridas (sitio cirúrgico ou pós-trauma) ou infecções por cepas resistentes do s.aureus (como a MRSA);
· Endocardite e bacteremia (bactéria já está presente na circulação sistêmica/sanguínea): a maioria dos casos é nosocomial (infecções hospitalares); bactermia pode levar ao acumulo de bactérias no endocárdio (camada mais interna do coração- se acumulam nas valvas cardíacas); é um quadro grave; prejuízo na função cardíaca;