A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Abdome agudo

Pré-visualização | Página 1 de 2

Abdome agudo
Discente: Jardani Dias Vieira da Cunha
Matrícula: 20169055060
Parnaíba, 
2021
Universidade Federal do Delta do Parnaíba
Curso de Medicina
Internato em Clínica Cirúrgica
conceito
Sinais e sintomas de dor e sensibilidade abdominal, que, em geral, requer terapia cirúrgica de emergência
Diagnóstico varia de acordo com idade e sexo
APENDICITE
DIVERTICULITE
ISQUEMIA E INFARTO INTESTINAL
OBSTRUÇÃO INTESTINAL
DOENÇA BILIAR
Muitas doenças podem cursar com esse quadro, sendo cirúrgicos ou não. Devendo-se realizar uma avaliação completa e rápida para melhor programação terapêutica
2
CAUSAS NÃO CIRÚRGICAS
Endócrinas e metabólicas
Uremia
Hematológicas
Crise falciforme
Toxinas e drogas
Envenenamento por chumbo
Crise diabética
Crise addisoniana
Porfiria aguda intermitente
Febre hereditária do Mediterrâneo
Leucemia aguda
Outras discrasias sanguíneas
Intoxicações por outros metais pesados
Abstinência narcótica
Envenenamento por aranha viúva-negra
CAUSAS CIRÚRGICAS
Hemorragia
Trauma de órgãos sólidos
Infecção
Apendicite
Perfuração
Úlcera gastrointestinal perfurada
Obstrução
Isquemia
Vazamento ou ruptura de aneurisma arterial
Gravidez ectópica rompida
Divertículo gastrointestinal com sangramento
Malformação arteriovenosa do trato gastrointestinal
Ulceração intestinal
Fístula aortoduodenal após o enxerto vascular aórtico
Pancreatite hemorrágica
Síndrome de Mallory-Weiss
Ruptura espontânea do baço
Colecistite
Divertículo de Meckel
Abscesso hepático
Abscesso diverticular
Abscesso do psoas
Câncer gastrointestinal perfurado
Síndrome de Boerhaave
Divertículo perfurado
Obstrução do intestino delgado/grosso relacionado à aderência
Volvo do sigmoide
Volvo cecal
Hérnias encarceradas
Doença intestinal inflamatória
Neoplasia maligna gastrointestinal
Intussuscepção
Doença de Buerger
Trombose/embolia mesentérica
Torção ovariana
Colite isquêmica
Torção testicular
Hérnias estranguladas
Anatomia e fisiologia
5
Ombro direito
Fígado
Ombro esquerdo
Cardíaca
Escroto e testículos
Ureter
Vesícula biliar
Hemidiafragma direito
Cauda do pâncreas
Baço
Hemidiafragma esquerdo
Dor visceral
Vaga e imprecisa;
Epigástrio, região periumbilical ou hipogástrio
Dor parietal
Mais agudas e bem-localizadas
Depende do comportamento das raízes dos nervos segmentar que inervam o peritônio
Dor referida
Percebida em um local distante da fonte do estímulo
Origem do intestino embrionário anterior, médio ou posterior
Anamnese
ingesta de alimentos em geral exacerba a dor da obstrução intestinal, da cólica biliar, da pancreatite, da diverticulite ou da perfuração intestinal. O alimento pode aliviar a dor da úlcera péptica não perfurada ou da gastrite 
6
Dor
Início;
Sintomas associados
Náuseas, vômito, constipação, diarreia, prurido, melena, hematoquezia ou hematúria.
Localização;
Tipo;
Duração;
Irradiação;
Cronologia.
História clínica pregressa
Medicamentos em uso, cirurgias prévias, história ginecológica.
Exame físico
silêncio abdominal sugere íleo, enquanto ruídos intestinais hiperativos podem ser encontrados nas enterites e na fase precoce da isquemia intestinal.
Timpanismo: distensão gasosa do intestino, ar livre intra-abdominal;
Macicez localizada: massa abdominal;
Grau de ascite: onda líquida ou ondulação pode ser gerada por uma compressão firme e rápida;
Peritonite: tapotagem firme da crista ilíaca, do flanco ou do calcanhar com uma perna estendida;
7
Inspeção geral
Ausculta abdominal
Intensidade e qualidade de ruídos intestinais;
Inspeção abdominal
Aspecto: distendido, escafoide ou abaulamento;
Presença de eritema, edema ou equimoses;
Percussão abdominal
Timpanismo, macicez localizada, grau de ascite e peritonite.
Palpação abdominal
Gravidade e localização exata da dor, peritonite, organomegalia e massas intra-abdominais.
Toque retal e exame ginecológico
Exames complementares
laboratoriais
Dosagem de eletrólitos séricos, ureia no sangue e nível de creatinina ajudarão na avaliação do efeito de fatores tais como vômitos ou acúmulo de líquido no terceiro espaço.
amilase e da lipase séricas podem sugerir pancreatite como causa da dor abdominal, mas podem também estar elevadas em outros distúrbios como infarto do intestino delgado ou perfuração de úlcera duodenal.
níveis de lactato e as determinações da gasometria arterial podem ser úteis no diagnóstico da isquemia ou infarto intestinal. A análise de urina é útil no diagnóstico de cistite bacteriana, pielonefrite e determinadas anormalidade endócrinas
8
Nível de hemoglobina
Leucograma com diferencial
Eletrólitos, ureia, níveis de creatinina
Exame de urina
Nível de gonadotrofina coriônica humana na urina
Amilase, níveis de lipase
Níveis de bilirrubina total e direta
Nível de fosfatase alcalina
Aminotransferase sérica
Níveis séricos de lactato
Fezes para ovos e parasitas
Cultura de C. difficile e ensaio de toxina
Exames complementares
de imagem
Radiografias de tórax e abdome
Pneumoperitônio
Ultrassonografia abdominal
Cálculos biliares
Vesícula biliar
Calcificações anormais
Obstruções intestinais
Volvo cecal ou sigmoide
TC abdominal
Líquido intraperitoneal
Ovários, anexos e útero
Apendicite
Obstrução mecânica do intestino delgado
Íleo paralítico
Isquemia intestinal aguda
Lesão intestinal após trauma abdominal fechado
Monitoração da pressão-intra abdominal
graus 1 e 2 geralmente podem ser tratadas adequadamente com intervenções médicas focando manter a euvolemia, descompressão intestinal através da sonda nasogástrica e/ou laxantes e enemas, suspensão da alimentação enteral, aspiração por punção de líquido ascítico, relaxamento da parede abdominal e o uso criterioso de
líquidos hipotônicos intravenosos
10
pode elevar o diafragma
aumenta o pico da pressão inspiratória
diminui a capacidade ventilatória
Pressão intra-abdominal anormalmente elevada
reduz o fluxo sanguíneo para os órgãos abdominais
diminui o retorno venoso ao coração
aumenta estase venosa
Achados associados à doença cirúrgica
Exame Físico e Achados Laboratoriais
Pressão compartimental abdominal >30 mm Hg
Achados Radiográficos
Dilatação maciça do intestino
Lavagem Peritoneal Diagnóstica (1.000 mL)
>250 leucócitos/mL
Distensão piora após a descompressão gástrica
Guarda involuntária ou sensibilidade de rebote
Hemorragia gastrointestinal, exigindo >4 U de sangue sem estabilização
Sepse sistêmica inexplicada
Sinais de hipoperfusão
Dilatação progressiva da alça estacionária do intestino (alça sentinela)
Pneumoperitônio
Extravasamento de contraste do lúmen intestinal
Oclusão vascular na angiografia
Gordura encalhando, parede intestinal espessada com sepse sistêmica
>300.000 hemácias/mL
Nível de bilirrubina maior do que o nível plasmático (vazamento de bile)
Material particulado (fezes)
Nível de creatinina maior do que o nível plasmático (vazamento de urina)
Preparo para cirurgia de emergência
Alcançar o benefício máximo da terapia pré-operatória, sem retardar o tratamento
Acesso IV
Correções das anormalidades eletrolíticas
Infusão de antibióticos
Sonda nasogástrica
Pacientes com íleo paralítico generalizado
Reduz probabilidade de vômito e aspiração
Cateterização vesical com cateter de Foley
Avaliação do débito urinário
Adequação da reposição volêmica
Tipagem sanguínea
Transfusões de sangue
Pacientes atípicos
Criticamente doentes: comprometimento nutricional ou imunológico, narcoanalgesia ou uso de antibiótico. Possuem predisposições: derivação cardiopulmonar (DCP), medicamentos vasoativos e o suporte ventilatório
13
Gravidez
Exame físico dificultado pelo útero gravídico
Sintomas são atribuídos a gravidez
Paciente criticamente doente
Instáveis
Consciência alterada ou estão entubados
Imunocomprometido
Resposta inflamatória incompleta: sintomatologia