A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Feridas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Aqla 3: Entendendo os diferentes asoectos a serem lepados em consideração oara classificar lesões 
Classificação das feridas 
- Causa, conteúdo microbiano, tipo de cicatrização, grau de 
abertura e tempo de duração. 
 Feridas cirúrgicas: provocadas intencionalmente e 
se dividem em três, incisivas – quando não há 
perda de tecido e as boras são fechadas por 
sutura; excisão – uma área da pele é removida; 
punção – resulta de procedimentos terapêuticos, 
como cateterismo cardíaco e biópsia. 
 Feridas traumáticas: causadas por agentes 
mecânicos (contenção, corte, perfuração); agentes 
químicos (iodo, ácido sulfúrico); agentes físicos (frio, 
calor, radiação). 
 Feridas ulcerativas: possui aspecto escavado, 
resultante de traumatismo, doenças ou suprimento 
sanguíneo inadequado. Ex: lesões venosas, arteriais 
e por pressão. 
 Conteúdo microbiano: possui quatro classificações 
 Limpas (sem microrganismos); 
 Limpas contaminadas (feridas com o tempo 
inferior a 6 hrs entre o trauma e o atendimento); 
 Contaminadas (feridas com o tempo maior a 
6hr entre o trauma e o atendimento) 
 Infectadas (há presença de agente infeccioso 
no local) 
 Tipo de cicatrização: primeira, segunda ou terceira 
intenção. 
 
Classificação do Conselho Federal de 
Enfermagem – resolução n* 501/2015 
- de acordo com o comprometimento tecidual 
Estágio I: comprometimento da epiderme, eritema na 
pele e sem perda tecidual; 
Estágio II: abrasão/ulcera, perda tecidual e 
comprometimento da derme e/ou epiderme; 
Estágio III: úlcera profunda, comprometimento total da 
pele e necrose do tecido subcutâneo, lesão não se 
estende até a fáscia muscular; 
Estágio IV: extensa destruição do tecido, lesão 
óssea/muscular ou necrose muscular. 
 
 
Úlceras Venosas 
- A bomba presente na panturrilha funciona para 
proporcionar o bombeamento do sangue de volta ao 
coração, possui válvulas que permite que isso 
aconteça; 
- funcionamento inadequado dessas bombas dificulta a 
circulação e ocasiona as úlceras. 
Obstrução/ válvulas incompetentes/ perda de função 
muscular  Bombeamento inadequado  Maior 
pressão e volume das veias  Extravasamento de 
água e eletrólitos  Edema  Fibrinogênio intersticial, 
fibrina, trombos/ dermatite de estase, menor 
suprimento de nutrientes. 
Características: 
- antecedentes de trombose venosa profunda, flebite e 
veias varicosas; 
- no membro afetado: coloração marrom e 
temperatura morna ao toque, veias varicosas e 
eczema. 
- ITB menor que 0,9 
- bordas irregulares e leito com aspecto vermelho 
brilhante 
Ulceras arteriais 
- bloqueio no suprimento arterial para as extremidades 
o que ocasiona inadequada perfusão arterial dos 
membros inferiores. 
- causa mais comum é a arteriosclerose 
Características: 
- dor intensa; 
- pernas frias, com aparência lustrosa e sem pelos; 
- pernas tendem a ficar esbranquiçadas quando 
elevadas e azuladas quando pendentes; 
- pulsos pediais reduzidos/ausentes; 
- unhas do pé grossas/ opacas 
- ITB menor que 0,9 
- mais comum na região do calcâneo, artelhos ou na 
região lateral da perna. 
Úlceras neuropáticas 
- locais de sustentação de peso e cisalhamento (face 
dorsal, medial e lateral do pé e artelhos) 
- aspecto redondo ou elípticos 
- o comprometimento do sistema nervoso autônomo 
provoca perda do controle dos vasos sanguíneos no pé 
e reduz a capacidade de transpiração  pele seca e 
descamativa. 
- ulceras ocasionadas por fatores mecânicos.